Resumo de Educação Artística - Obras de Salvador Dalí

Conjugam o onírico e a subjetividade com questões do mundo real


As obras de Salvador Dalí carregam as características do movimento artístico e literário denominado Surrealismo, do qual o pintor espanhol é um dos principais representantes. Em seus quadros, o artista transpõe os limites do real e investe na produção de imagens ambientadas no universo do onírico e que, por isso, são dotadas de subjetividade, ilusões de ótica, variedade de perspectivas e hologramas.

Contudo, existem obras de Salvador Dalí que foram pintadas em conformidade com as características de outros movimentos artísticos. Essas criações são datadas do período em que o artista ainda estudava na Escola de Belas Artes de Madri. No momento de sua formação, o artista espanhol pintou nos mais diferentes estilos, a exemplo do Realismo e do Cubismo.
Embora seja mundialmente famoso pelo seu trabalho na pintura, Salvador Dalí sempre foi um artista bastante versátil. Desse modo, sua produção e contribuição não se limitam às telas. Dalí foi autor de esculturas; projetou peças de vestuário, como gravatas e vestidos; e desenvolveu capas de revistas e imagens publicitárias. Além disso, ele colaborou com o teatro e o cinema. Junto com o diretor britânico Alfred Hitchcock, Dalí construiu a cena do sonho presente no filme “Quando fala o coração”.

Dalí e o Surrealismo


Embora tenha sido expulso do movimento surrealista, é como expoente desse movimento que as obras de Salvador Dalí serão internacionalmente reconhecidas. Mas, mesmo antes de se tornar um artista surrealista, o pintor espanhol já apresentava traços do movimento em suas obras. Isso vai ser observado em 1925, quando ele faz sua primeira exibição individual, na Sociedade de Artísticas Ibéricos. E se acentua quando ele entra em contato com as teorias de Sigmund Freud, o pai da Psicanálise.
Após a leitura das teorias psicanalíticas, as obras de Salvador Dalí passam a refletir uma tentativa do artista de representar seus sonhos através de imagens. Nesse processo, em 1927, ele dá vida ao seu primeiro trabalho reconhecido como genuinamente surrealista: (Aparelho e mão). Mas é somente no ano de 1928, convencido pelo Joan Miró, que Dalí ingressa oficialmente no movimento surrealista.
A essa altura, você pode estar se perguntando o que foi esse movimento surrealista. Pois bem, o surrealismo foi um movimento artístico e literário que surgiu na Europa a partir do Manifesto Surrealista escrito por André Breton em 1924. O Manifesto propunha que os artistas rompessem com as barreiras da racionalidade e conjugassem as dimensões do sonho e da realidade, da lucidez e do delírio em suas obras. Esse movimento coloca a dimensão do surreal em evidência.
O Surrealismo é caracterizado pela liberdade e espontaneidade criativas, valorização do acaso e do inesperado, análise dos sonhos, escrita experimental e utilização de técnicas de colagem. Além das obras de Salvador Dalí, integram o Surrealismo os trabalhos de André Breton, Louis Aragon (literatura); Joán Miró, Max Ernst (artes plásticas); Man Ray, Dora Maar (fotografia); e Luís Buñuel (cinema).

Quais são as principais obras de Salvador Dalí?

Embora tenha passagem nos diferentes movimentos artísticos, as principais obras de Salvador Dalí estão situadas no Surrealismo. Elas exploram os limites entre o real e o irreal, e chamam atenção pela natureza onírica das imagens, através das quais o artista apresentava sua interpretação sobre eventos históricos, como a Guerra Civil Espanhol; temas culturais, como a religião; e representações da sua amada Helena Ivanovna Diakonova, mais conhecida pelo nome de Gala.

Por se tratarem de produções surrealistas, as obras de Salvador Dalí dão margem para diversas interpretações. Afinal de contas, o processo imaginativo e o mundo dos sonhos são aspectos importantes para produção dessas peças. Desse modo, encontrar significados precisos para seus trabalhos é uma tarefa contraproducente. Isso não quer, contudo, que não se possa elencar algumas marcas observáveis nas telas desse artista.
Algumas obras importantes desse artista são:
  • A tentação de Santo Antônio;
  • A face da guerra;
  • Criança geopolítica assistindo o nascimento de um novo homem;
  • Galatea das esferas;
  • Cabeça rafaelesca arrebentada;
  • Girafa em chamas.




A Persistência da Memória: significados possíveis

Em “A Persistência da Memória”, uma de suas obras mais populares, Dali apresenta uma reflexão sobre o tempo e a construção de memórias. Os relógios distorcidos podem ser interpretados como referência a uma noção distorcida do tempo, que passa rápido nos momentos de diversão e mais lentamente em períodos de tédio ou cansaço.

As formigas que aparecem no relógio virado para baixo expressam uma noção de putrefação. Nas obras de Salvador Dali, esses insetos aparecem sempre relacionados a uma ideia de apodrecimento. Já a mosca pousada no relógio distorcido pode ser interpretada através da ótica da velocidade na passagem temporal expressa no dito popular “o tempo voa”.

A árvore que serve de sustentação para um dos relógios derretidos simboliza a reafirmação das origens do artista. É comum encontrarmos nas obras de Salvador Dali elementos característicos da Catalunha, terra natal do pintor. Na obra em questão, a árvore seca é uma oliveira, que é muito comum naquela região da Espanha.

Até mesmo a figura de Dali aprece nesse quadro. Dormindo no chão e coberta por um relógio distorcido, a representação do artista reforça a ideia de que o tempo a que se faz referência nesse quadro é um tempo subjetivo.

Voltar