Resumo de História - Neoliberalismo

O neoliberalismo é uma tentativa de recuperar os pressupostos do liberalismo econômico do século XVI e XVII. Vem a partir, principalmente, da Segunda Guerra Mundial, tentando recuperar as ideias de uma sociedade livre, ou seja, de um mercado aberto, fazendo uma crítica ao modelo chamado de keynesianismo.

O keynesianismo é um modelo econômico, que se baseia nas ideias do economista John Maynard Keynes, que defendia a participação do Estado no que diz respeito às suas responsabilidades sociais, auxiliando no desenvolvimento da economia (a criação e benefícios trabalhistas). Esse modelo é responsável pela política de bem-estar.

Origem do neoliberalismo

O neoliberalismo, modelo que visa romper com o estado interventor, prega que a intervenção excessiva retira a liberdade das ações econômicas, como a livre iniciativa privada.

A política neoliberal surgiu na década de 1970, através do economista Milton Friedman, a partir do colapso do bloco socialista – onde se tinha um estado altamente interventor, a que se chamava de economia planificada (o estado determinava o quê, como e quanto produzir).

Outra contribuição foi através das deliberações do Fundo Monetário Internacional (FMI), do Banco Mundial e do tesouro Norte-americano em 1989, por meio do chamado Consenso de Washington.

Esse consenso foi uma decisão tomada por esses três órgãos com o objetivo de influenciar os países latino-americanos endividados que diminuíssem os gastos, consequentemente, diminuiriam as intervenções do Estado sobre as atividades econômicas. Diversos economistas e intelectuais conservadores contrários às tendências da época reuniram-se para debater sobre o modelo.

Formulou-se, então, uma nova doutrina, pretensamente universal, que se opunha a todo o pensamento econômico de inspiração keynesiana e às políticas consequentes. Como, por exemplo, o incipiente Estado do Bem-estar social (Estado-providência) e às políticas econômicas de cunho anticíclico.

O austríaco Friedrich August von Hayek e o norte-americano Milton Friedman, principais formuladores dessa corrente conservadora, criticavam o caráter autoritário desse Estado. Segundo eles, os encargos sociais e a atuação reguladora estaria impedindo a realização das liberdades individuais e a competição que levava à prosperidade econômica.

A partir desse diagnóstico, propunham o afastamento do Estado em relação às atividades econômicas,  a realização de inúmeras reformas institucionais que permitissem a livre competição e a livre circulação dos capitais, de forma que a única ação reguladora possível fosse a do mercado.

A primeira experiência de implantação de políticas neoliberais ocorreu no Chile, comandado pela ditadura do General Pinochet, ainda nos anos 70. Seu “ressurgimento” correspondia à necessidade do sistema capitalista de redinamizar o processo de acumulação.

Esse processo entrou em crise na medida em que o padrão de financiamento público (estatal) da economia se tornava insuficiente para suprir as necessidades de expansão permanente do capital.

O aumento exagerado dos déficits fiscais converteu-se em ameaça ao próprio sistema, na medida em que o Estado não podia mais financiar tais encargos. As reformas neoliberais, que identificavam o problema não no capital, e sim no Estado.

A partir disso, surgem então como a panaceia: reduzir encargos sociais, encargos trabalhistas, saneamento fiscal (redução dos gastos públicos e privatizações), redução de direitos sociais, entre outras. Nos anos 1990, sobretudo na América Latina, o receituário neoliberal assumiu ares de hegemonia.

Características do neoliberalismo

Os neoliberais são progressistas, incentivam a mudança útil e defendem a manutenção do estado de bem-estar social, mas percebem a necessidade de reformá-lo para uma eficiência maior de gastos, além da ampliação do universo dos beneficiados e a contenção de privilégios conquistados por grupos de interesse de forte presença na sociedade e no governo.

Veja as principais características do neoliberalismo:

  • Pouca intervenção do governo no mercado de trabalho;
  • A política de privatização de empresas estatais, ou seja, a privatização de todos os setores da economia nacional;
  • Desregulamentação do sistema financeiro;
  • Transferência de serviços públicos ao setor privado;
  • Redução dos encargos e direitos sociais como um todo;
  • A abertura da economia para a entrada de empresas multinacionais;
  • Defesa dos princípios econômicos do capitalismo e também ênfase na globalização.

Neoliberalismo e a globalização

O neoliberalismo surgiu graças à globalização, e mais concretamente à globalização da economia. Depois da Segunda Guerra Mundial, o aumento do consumo e o avanço da tecnologia da produção lideraram a sociedade para o consumismo.

Essa sociedade consumista fomentou a globalização da economia, para que os capitais, serviços e produtos pudessem fluir para todo o mundo, um claro pensamento neoliberal.

Principais governos

As ideias neoliberais foram inicialmente implementadas na Alemanha Ocidental. Já o Chile foi um dos primeiros países do mundo a adotar o neoliberalismo. Houve também no Reino Unido. O neoliberalismo também fez parte da história do Brasil.

Teorias econômicas

Geralmente são agregadas no termo da teoria neoclássica. Foram influenciadas e interagem com as seguintes escolas de pensamento: neoliberalismo econômico; economia clássica; Escola Keynisiana e o monetarismo.

Neoliberalismo no Brasil

O neoliberalismo começou a ser seguido de uma forma aberta nos dois governos consecutivos do presidente Fernando Henrique Cardoso e de Fernando Collor. Neste caso, seguir o neoliberalismo foi sinônimo de privatização de várias empresas do Estado.

O dinheiro que conseguia com essas privatizações foi, na sua maioria, utilizado para manter a cotação do real (uma nova moeda na altura) ao nível do dólar.

A estratégia de privatização encorajada por ideais neoliberais não foi seguida por todos os países. Ao contrário do Brasil, a China e Índia (países que têm mostrado um crescimento enorme nas últimas décadas) adotaram tais medidas de forma restrita e gradativa.

Nesses países, o investimento de grupos econômicos foi feito em parceria com empresas nacionais. O neoliberalismo é o conjunto de ideias políticas e econômicas capitalistas que defendem a não participação do estado na economia.

De acordo com essas ideias deve haver total liberdade de comércio, pois esse princípio garante crescimento econômico e o desenvolvimento social de um país

Consequências do neoliberalismo

• Desigualdade social;
• Desemprego;
• Economia instável;
• Salários baixos;
• Fluxo de capital invertido;
• Dependência do capital internacional (principalmente nos países mais pobres e menos desenvolvidos);
• Tremenda liberação financeira.

Voltar

Questões