Resumo de Português - Literatura Brasileira

A literatura brasileira começou no século XVI com os escritos dos viajantes para a coroa portuguesa. Os textos continham informações sobre a terra descoberta e os habitantes.  

Para entender a literatura brasileira é preciso dividi-la em dois grandes momentos: A era colonial e a nação independente.

O primeiro envolve o Quinhentismo (1500-1601), Barroco (1601- 1768) e Arcadismo (1768-1836). Já o segundo abrange: o Romantismo (1836-1881), o Realismo e o Parnasianismo (1881-1893), o Simbolismo (1893-1922), o Pré-Modernismo (1902-1922) e o Modernismo (1922-1945).

O início da literatura brasileira: Quinhentismo

O Quinhentismo é considerado como o ponto de partida na literatura brasileira. Não é visto como uma escola, mas, corresponde as produções textuais sobre as terras brasileiras descobertas pelos portugueses ainda no século XV e XVI. O principal escrito, visto como um marco inicial para a literatura, foi a carta de Pero Vaz de Caminha destinada para Manuel I de Portugal. 

O quinhentismo está dividido em dois tipos de textos: literatura informativa e a de catequese.

Literatura informativa

Eram documentos, cartas e relatórios escritos por viajantes e aventureiros que exploravam o Brasil e descreviam o que eles viam na colônia. Os assuntos eram voltados, por exemplo, sobre os habitantes indígenas, o clima e a natureza no país. Esses textos eram destinados à nobreza de Portugal. Portanto, não são literaturas românticas, mas apenas descritivas.  

Literatura de catequese

Eram textos produzidos com o objetivo de catequizar os índios. São exemplos os escritos do Padre José de Anchieta. Ele produziu textos teatrais e poemas, com a união de elementos da cultura indígena e católica para atraírem os índios a fé cristã.  

O Barroco brasileiro

O Barroco faz parte de umas das escolas literárias do Brasil, e teve início no século XVII. Para entender um pouco sobre o Barroco é preciso voltar ao contexto europeu no século XVI.

O século XVI era a época marcado pelo movimento artístico, intelectual e político do Renascimento e caracterizado pela crise vivenciada pela Igreja Católica, com influência da Reforma Protestante.

O Barroco, por sua vez, surgiu durante uma tensão entre os ideais humanistas e os religiosos devido a Contrarreforma Católica (movimento destinado a responder os princípios iniciados por Lutero).

O Barroco no Brasil

O Barroco no Brasil foi trazido pelos jesuítas e teve expansão de fato apenas no final do século XVI. O objetivo inicial era catequizar os indígenas, mas logo depois espalhou-se também às pessoas das cidades. O estilo foi fortemente influenciado pelo Barroco em Portugal.

Essa escola literária teve desenvolvimento na Bahia, nos centros de produção de açúcar. Os principais autores são: Gregório de Matos Guerra, Padre Antônio Vieira e Bento Teixeira. Esse último produziu o poema Prosopopeia e marcou em 1601, o início do Barroco no país.

A literatura brasileira no Arcadismo

Em oposição ao Barroco, a subjetividade não é uma característica no Arcadismo, mas sim a racionalidade. Essa escola, que faz parte da literatura brasileira, chegou na metade do século XVIII no país.

Destaque para Minas Gerais que após a descoberta do ouro passou por um período com intensa influência econômica. O texto marco do Arcadismo foi o “Obras” de Cláudio Manuel da Costa.

Os textos do Arcadismo apresentam temas sobre: a exaltação a vida campestre (bucolismo), o aproveitamento do momento presente (carpe diem), o índio como personagem literário, exaltação a flora e fauna brasileira, dentre outros.

Contexto e influências do arcadismo 

  • Revolução Industrial
  • Iluminismo
  • Revolução Francesa
  • Ciclo do Ouro
  • Inconfidência Mineira
  • Independência dos Estados Unidos da América

Romantismo

O marco inicial do Romantismo no Brasil foi em 1870. O patriotismo é apresento como uma das características nos textos dessa escola literária devido a independência da colônia em relação à metrópole portuguesa, em 1822. Autores como Gonçalves Dias e Castro Alves produziam obras que marcaram o romantismo inicial no Brasil.

O Romantismo apresenta as seguintes fases:

  • Nacionalismo ou ufanismo: textos influenciados pela Independência, em 1822
  • Mal do século: textos com temas sobre morte, escravidão, além de amor impossível.
  • Condoreirismo: textos voltados às preocupações políticas e sociais.

O Realismo

O Realismo, escola que também faz parte da literatura brasileira, teve início na segunda metade do século XIX, precisamente, em 1881. Tem como principal característica texto antirromânticos, ou seja, não possui subjetividade como o Romantismo. A principal obra é a literatura brasileira “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis.

Contextos do Realismo

  • Segunda Revolução Industrial (aumento da produção)
  • Dom Pedro II (segundo reinado)
  • Capital Rio de Janeiro
  • Abolição da Escravatura em 1888 (Lei Áurea)
  • Proclamação da República, em 1889

A escola da literatura brasileira: o Parnasianismo

Em 1882 teve início o Parnasianismo no Brasil. Essa escola literária poética apresenta como características textos descritivos e é preocupado com a forma. Portanto, diferente do romantismo, não preocupa-se com a subjetividade, mas com a objetividade. A literatura brasileira “Fanfarras”, de Teófilo Dias, foi a obra que marcou o parnasianismo no país.

Características gerais do Parnasianismo

  • Objetividade (textos descritivos)
  • Culto a forma (as poesias são marcadas pela preocupação ao preciosismo)
  • Arte pela arte (a arte fala por si só)

Naturalismo e Simbolismo

O Naturalismo chegou ao Brasil no final do século XIX. A obra clássica da literatura brasileira, “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo, publicada em 1881, é considerada um marco para o naturalismo no país.

Os textos no naturalismo são marcados pela verossimilhança (semelhante ou mais próximo a realidade), objetivismo e universalismo, ou seja, aborda de forma geral sobre os indivíduos (em oposição ao romantismo que tratava a individualidade).

O Simbolismo, por sua vez, começou no Brasil em 1893. O simbolismo tem como característica a ênfase na subjetividade, por isso, os textos apresentam metáforas, aliteração e assonância (musicalidade para os poemas através de repetições). Além disso, temas como morte, loucura, mistério e sofrimento ganharam destaque.

Pré-modernismo e o Modernismo

O Pré-Modernismo começou no Brasil nas décadas de 1910 e 1920. Assim como o Quietismo, o Pré-modernismo não é visto como uma escola da literatura brasileira, mas como um período literário com influências das escolas anteriores.

O Pré-Modernismo apresenta como características: renovação na linguagem (ruptura com a expressão parnasiana), ênfase na realidade brasileira, regionalismo e temas políticos e sociais.

Já o Modernismo foi um movimento literário que rompeu com os ideais das escolas anteriores:  Parnasianismo e o Simbolismo.

O marco inicial foi a Semana de Arte Moderna, em 1922 (evento cultural que buscou mostrar novas tendências artísticas). Apresenta como característica a liberdade estética, versos livres e valorização da cultura brasileira.

Resumo

O quadro a seguir mostra as escolas literárias no Brasil, principais características de cada uma e autores.

Escola ou período Característica Principais autores
Quinhentismo

Literatura informativa

Literatura de catequese

Padre José de Anchieta
Barroco

Dualidade conflituosa principalmente na religião

Textos com figuras de linguagem (antíteses, paradoxos, hipérboles)

Linguagem rebuscada e erudita

Gregório de Matos Guerra

Padre Antônio Vieira

Bento Teixeira

Arcadismo

Texto com valorização a natureza

Bucolismo:  literatura que exalta os costumes rurais e a vida no campo

Cláudio Manuel da Costa

José de Santa Rita Durão

Romantismo

Primeira fase textos influenciados pela Independência da colônia

Segunda fase: escritos sobre morte, escravidão e amor impossível

Terceira fase: preocupações políticas e sociais

Gonçalves Dias

Álvares de Azevedo

Castro Alves

José de Alencar

Joaquim Manuel de Macedo

Realismo Denúncia dos problemas sociais

Machado de Assis

Raul Pompéia

Artur Azevedo

Parnasianismo

Valorizava a ciência e o positivismo

Teófilo Dias

Alberto de Oliveira

Raimundo Correia

Olavo Bilac

Francisca Júlia

Naturalismo Textos retratam a miséria, adultério e problemas sociais

Raul Pompéia

Aluísio de Azevedo

Adolfo Caminha

 

Simbolismo

Textos com ênfase em temas: místicos, imaginários e subjetivos

Cruz e Sousa

Alphonsus de Guimarães

Augusto dos Anjos

 

Pré-modernismo

Texto com linguagem coloquial

Rompe com o arcadismo

Euclides da Cunha

Graça Aranha

Monteiro Lobato

Lima Barreto

 

Modernismo

Ruptura com o tradicional

Liberdade estética

Versos livres

Valorização da cultura brasileira

Mário de Andrade

Oswald de Andrade

Manuel Bandeira

Cecília Meireles

Clarice Lispector

Vinícius de Morais

João Guimarães Rosa

Voltar

Questões