Resumo de Biologia - Leucócitos

Conhecida também como glóbulos brancos, os leucócitos são células sanguíneas responsáveis pela defesa do organismo contra infecções, alergias, entre outras doenças.

Eles são peças fundamentais do sistema imunológico do corpo humano. Através do número dos leucócitos, disponível por exame de sangue, é possível identificar diferentes patologias, especialmente doenças causadas por vírus ou doenças causadas por bactérias. Além disso, o exame pode identificar diversos tipos de leucemia.

Características

Incolores e com formato esférico, os leucócitos são encontrados em menor quantidade no sangue (6.000 a 10.000 por milímetro cúbico de sangue). Importante salientar que em pessoas com algum tipo de infecção, o número de glóbulos brancos pode chegar a 30 mil por ml de sangue.

 Normalmente, eles possuem o tamanho entre 7 e 20 micrômetros, podendo ser visualizado apenas com microscópios potentes.

Eles são capazes de defender o corpo humano de diversas formas diferente. O que se destaca é o processo de ingestão e destruição de partículas sólidas, como bactérias ou pedaços de tecido necrosado, conhecido como fagocitose, e na produção de anticorpos.

Principais tipos de leucócitos

Linfócitos

Os linfócitos fazem parte do sangue e podem ser encontrados de 20 a 30% do quantitativo dos leucócitos. Lembrando que essa porcentagem pode variar de acordo com o estado de saúde do paciente. Em casos de infecções virais, esse número pode crescer bastante, assim como na rejeição de um transplante.

Uma porcentagem baixa dos linfócitos certifica que o corpo não possui defesas contra doenças perigosas como o câncer.

Existem os tipos de linfócitos: células linfoides inatas (ILCs) que incluem as Natural Killers (ou células NK), linfócitos T e linfócitos B.

Neutrófilos

Os neutrófilos ou granulócito neutrófilo são os primeiros a chegar nas áreas de inflamação e têm um curto período de vida, podendo chegar às 6h no sangue e de 1 a 2 dias nos tecidos. Eles são responsáveis pela defesa contra bactérias e fungos.

Em um adulto, a quantidade média de neutrófilos em um adulto é de 2.300 a 8.100 milímetro cúbico de sangue. O aumento desse quantitativo normalmente indica uma infecção bacteriana.

Porém, há casos de que esse aumento pode estar associado ao estresse, prática elevada de exercícios físicos ou até mesmo o uso de medicamentos à base de cortisona e epinefrina.

Eosinófilos

Os eosinófilos ou granulócitos eosinófilos são células do sangue desenvolvidas na medula óssea e possuem a responsabilidade pela defesa do organismo contra parasitas e agentes infecciosos. Eles também fazem parte dos processos em que há inflamações em doenças alérgicas e asma.

Normalmente, a concentração de eosinófilos no corpo humano varia entre 50 a 500 eosinófilos por microlitro de sangue. Quando os valores dos eosinófilos são elevados, superior a 700 por microlitro, pode indicar doenças como: artrite reumatoide, Doença de Hodgkin (câncer linfático) ou doenças cutâneas (dermatites e outras lesões da pele).

Basófilos

Os basófilos são responsáveis pela liberação de duas importantes substâncias em casos de infecções no corpo humano, elas são: heparina (importante anticoagulante) e histamina (vasodilatador nas alergias).

Uma pessoa acima dos 16 anos possui entre 0 e 200 basófilos por milímetro cúbico de sangue, quando se está em um estado saudável. Apenas entre 1% e 2% dos leucócitos presentes em nosso sangue são basófilos.

Monócitos

Os monócitos são células sanguíneas que também fazem parte do sistema imunológico, responsável por remover partículas estranhas e destruir células tumorais.

Uma pessoa saudável possui entre 90 e 900 monócitos por milímetro cúbico de sangue. Qualquer alteração nesse quantitativo pode indicar diversas enfermidades.

A diminuição dessa célula pode indicar um enfraquecimento do sistema imunológico, como nos casos de tratamentos de quimioterapia ou problemas na medula óssea como anemia aplástica e leucemia.

Significado dos resultados anormais de leucócitos

  • Aumento de neutrófilos: infecções bacterianas, reações inflamatórias ou distúrbios da medula óssea como leucemia mieloide crônica;
  • Redução de neutrófilos: infecções graves e respostas a medicamentos, como a quimioterapia;
  • Aumento de eosinófilos: resposta a reações alérgicas, inflamações de pele e infecções por parasitas;
  • Aumento de linfócitos: infecções virais;
  • Diminuição dos linfócitos: presença de doenças que afetam o sistema imunológico, como lúpus eritematoso disseminado e AIDS;
  • Aumento dos monócitos: presença de infecções ou distúrbios inflamatórios.

Importante salientar que os resultados dos exames precisam ser avaliados por um médico clínico, acompanhado de um conjunto de análises do paciente.

Curiosidades sobre leucócitos

  • O corpo humano de uma pessoa pode produzir até 100 milhões de leucócitos por dia.
  • No pus (secreção amarelada) existe uma grande quantidade de leucócitos mortos, pois eles agiram na infecção e morreram. Portanto, a existência de pus é uma característica de que está ocorrendo um processo infeccioso no corpo e que o sistema imunológico, através dos leucócitos, está agindo.
  • A redução do número de leucócitos no sangue de uma pessoa é conhecida como leucopenia.
Voltar

Questões