Resumo de Biologia - Leucemia

A leucemia é um tipo de câncer que afeta os glóbulos brancos. A doença tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, substituindo as células sanguíneas normais.

Na medula óssea, localizada na cavidade dos ossos, são fabricadas as células sanguíneas. Nela é possível encontrar as células que formam os glóbulos brancos, também conhecidos como leucócitos, os glóbulos vermelhos, denominados também como hemácias ou eritrócitos, e as plaquetas.

A leucemia acontece quando uma célula sanguínea sofre uma mutação genética, se transformando em uma célula cancerígena. O que torna essa doença um caso de risco é o fato das células anormais se multiplicarem rapidamente e se tornarem resistentes no organismo. Sendo assim, as células saudáveis vão sendo substituídas pelas cancerosas.

Classificação da leucemia

A leucemia é classificada de acordo com o nível de evolução da doença e quanto ao tipo de células envolvidas.

Quanto a evolução

Leucemia aguda

Considerada como o tipo mais agressivo, na leucemia aguda as células cancerígenas se multiplicam muito rápido. Nesse caso, as células se desenvolvem de forma anormal, impedindo a produção de células sanguíneas normais.

Por ter uma evolução acelerada, a doença afeta rapidamente as estruturas dos nódulos linfáticos, fígado, baço, cérebro, medula espinhal e testículos.

Nesses casos, o paciente é submetido um tratamento agressivo, em um período específico.

Leucemia crônica

A leucemia crônica, normalmente, é o estágio inicial da doença. Envolvendo células sanguíneas mais maduras, ela pode ser caracterizada por diversos tipos. Alguns produzem muitas células e outros possuem uma carência na produção de células.

Em alguns casos, a doença não possui sintomas e pode passar despercebida durante anos.

Quanto ao tipo de células atingidas

Leucemia linfoide crônica

Esse tipo de leucemia afeta as células linfoides. Na maioria dos casos, essa doença é diagnosticada em pessoas com mais de 55 anos.

Leucemia linfoide aguda

Igualmente à leucemia linfoide crônica, a aguda agrava-se de forma rápida, porém é mais comum em crianças, podendo ocorrer também em adultos.

Leucemia mieloide crônica

A leucemia mieloide crônica se difere dos outros tipos de leucemia, pois apresenta uma anormalidade genética nos glóbulos brancos. Com uma evolução vagarosa, a doença normalmente é diagnosticada em adultos com aproximadamente 60 anos.

Leucemia mieloide aguda

A leucemia mieloide aguda avança rapidamente, podendo ocorrer tanto em adultos quanto em crianças, porém a gravidade aumenta de acordo com a idade.

Sintomas da leucemia

Os sintomas da leucemia podem ser confundidos com algumas outras doenças, por isso, ao sinal de qualquer anormalidade é importante buscar um especialista.

Os principais sintomas da doença acontecem em virtude do acúmulo de células na medula óssea, prejudicando a produção dos glóbulos vermelhos, causando anemia; dos glóbulos brancos, causando infecções; e das plaquetas, ocasionando hemorragias.

Em alguns, a leucemia não causa qualquer sintoma aparente, principalmente no estágio inicial. Já nos casos mais agressivos, os sintomas são mais graves.

Principais sinais e sintomas da leucemia:

  • Febre ou calafrios
  • Fadiga
  • Fraqueza
  • Infecções frequentes ou graves
  • Perda de peso sem esforço
  • Aumento do fígado ou do baço
  • Sangramento fácil ou hematomas
  • Hemorragias nasais recorrentes
  • Manchas vermelhas minúsculas na pele
  • Transpiração excessiva (principalmente à noite)
  • Dor nos ossos ou articulações.

Há casos em que as células cancerosas se infiltram no cérebro, chegando a causar dores de cabeça, convulsões, perda de controle muscular e vômito.

Tratamento

O tipo de tratamento varia de acordo com a gravidade da doença, idade e saúde geral do paciente. Os mais utilizados para combater a leucemia são:

Quimioterapia

Feito através de substâncias químicas quem matam as células cancerígenas, a quimioterapia é a forma de tratamento mais utilizada.

De acordo com o tipo e nível da leucemia, o tratamento pode ser através de pílula ou por medicamento injetável diretamente na veia.

Terapia biológica

Esse método funciona com tratamentos que contribuem para haver um reconhecimento das células cancerosas, através do sistema imunológico.

Terapia direcionada

Na terapia direcionada, as drogas utilizadas atacam partes específicas das células cancerígenas, a exemplo do fármaco imatinib, que impede a ação de uma proteína dentro das células, podendo assim ajudar no controle da doença.

Terapia de radiação

Esse tipo de tratamento usa raios-X ou outros métodos de alta energia para impedir o crescimento das células de leucemia. Durante a terapia, uma máquina direciona a radiação para pontos específicos do corpo. Há casos em que o processo é realizado em todo corpo.

Esse método pode ser utilizado também para a preparação de um transplante de células estaminais.

Transplante de células-tronco

Nesse tratamento, há uma substituição da medula óssea doente por uma medula saudável. Antes da realização desse procedimento, o paciente recebe altas doses de quimioterapia ou radioterapia. Após isso, é feita uma infusão de células-tronco, formadoras de sangue, que contribuem na reconstrução da medula óssea.

As células-tronco podem ser de um doador ou até, em alguns casos, podem ser utilizadas células do próprio paciente.

Medicamentos

Alguns dos principais medicamentos utilizados para tratar sintomas da leucemia são:

  • Androcortil
  • Betatrinta
  • Betametasona
  • Celestone
  • Decadron
  • Dexametasona
  • Diprospan
  • Duoflam
  • Prednisolona
  • Predsim
  • Prednisona

Vale ressaltar que somente um especialista pode indicar qual o medicamento específico para cara tipo de tratamento ou doença.

Voltar

Questões