Resumo de Química - Lei de Lavoisier

A Lei de Lavoisier corresponde a Lei de Conservação das Massas. Ela foi criada em 1785 pelo químico francês Antoine Laurent Lavoisier (1743-1794) e recebeu esse nome em sua homenagem. O cientista foi considerado o pai da química moderna. A frase de elucidação da lei é:

“Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

Antes de constatar essa ideia, o químico realizou várias experiências em seu laboratório próprio. Uma delas consistia em pesar as substâncias participantes de uma reação química, antes e depois dela acontecer.

Com isso, ele percebeu que a massa total da experiência permanecia inalterada quando a reação acontecia em um ambiente fechado. Assim, ele concluiu que a soma total das massas dos elementos químicos envolvidas na reação (reagentes) é igual à soma total das substâncias produzidas por essa reação (produtos).

Isso revela que as substâncias químicas não são perdidas ao reagirem. Elas apenas se transformam mantendo as mesmas substâncias, pois, nesse caso, os átomos foram rearranjados.

Caso as experimentações que deram origem a Lei de Lavoisier fossem realizadas em um ambiente aberto ocorreria a perda de massa, visto que essa substância reagiria com o ar. Exemplo: um ferro que, com o passar do tempo, reage com o ar vira ferrugem.

Nesse caso, houve a variação da massa inicial do ferro. Ou seja, aconteceu um aumento da massa do ferro, já que as massas de ar e ferro se juntaram. Isso explica o porquê da Lei de Lavoisier funcionar apenas em ambientes fechados.

Quem foi Lavoisier?

Antonie Laurente Lavoisier nasceu na França em 1743. Ele recebeu uma boa educação de seus pais que eram ricos. Apesar de ter cursado Direito na faculdade, a sua vocação sempre foi a área de ciências.

Dessa forma, ele chegou a ocupar uma cadeira na Academia de Ciências da França, sendo então considerado o pai da química moderna.

Lavoisier descobriu a composição da água: oxigênio e hidrogênio. Determinou a composição de um determinado volume de ar: 78% nitrogênio, 21% oxigênio, 0,9% gás argônio, 0,03% gás carbônico e 0,07% de outros gases.

No entanto, o químico era ligado à política e ideias iluministas. Na época em que ele esteve à frente da Fazenda Geral da França, ele foi odiado por revoltosos da Revolução Francesa. No dia 8 de maio de 1794, aos 50 anos, Lavoisier foi então condenado a guilhotina.

Lei de Lavoisier: experimento

Para ilustrar melhor o proposto pela lei de Lavoisier imagine o seguinte:

Ao adicionar 65 g de zinco dentro de um vidro contendo 98 g de ácido sulfúrico e o vidro for fechado, haverá uma reação química entre as duas substâncias e uma formação de sulfato de zinco e desprendimento de hidrogênio.

A massa do sulfato de zinco somada com a massa do hidrogênio desprendido atingirá o total de 163 g.

Com esse experimento é possível confirmar o que postula a Lei de Lavoisier: em um sistema fechado, quando duas ou mais substâncias reagem entre si, a massa total dos produtos é igual à soma das massas dos reagentes.

Perceba que nessa reação não houve ganho ou perda de massa, o que aconteceu foi a transformação de substâncias reagentes em outras substâncias.

Com o tempo, outros cientistas realizaram novas experiências buscando testar a hipótese proposta pela Lei de Lavoisier e, mesmo ao utilizarem balanças com menos  precisão, os testes confirmavam o que foi proposto pela Lei.

Entre os cientistas, vale destacar o francês Joseph Louis Proust (1754-1826). Ele foi o responsável pela criação da “Lei das Proporções Constantes ou definidas, em 1801.

Ao lado da Lei de Conservação das Massas (Lei de Lavoisier), essas duas leis marcaram o início da química moderna, sendo classificadas como “Leis Ponderais”. Assim, ambos os cientistas focaram no estudo sobre as massas das substâncias envolvidas nas reações químicas.

A Lei das Proporções Constantes diz que:

“Uma substância composta é formada por substâncias mais simples sempre unidas na mesma proporção em massa”.

Para ilustrar o que dita essa lei, veja o exemplo:

3g de carbono (C) que se une a  8g de oxigênio resulta em 11g de gás carbônico (CO2);

6g de carbono (C)  com 16 g de oxigênio resulta em 22 g de gás carbônico (CO2).

Sendo assim, conclui-se que existe a razão de 2 para cada um, caso algum elemento químico for multiplicado por 2. Observe que os números se modificaram, mas a proporção entre eles continua a mesma.

Proust percebeu que a evolução acontecia também com outros elementos. Observe:15,06 g de sulfeto cúprico (CuS) são formados reagindo com 10,00 g de cobre metálico (Cu) e com 5,06 g de enxofre (S).

Ou seja, se a quantidade de cobre for dobrada, atingindo um total de 20,0 g e o desejado for que todo cobre reaja, será necessário dobrar também a quantidade do enxofre para 10,12 g. Assim a formação atingirá um total de 30,12 g de sulfeto.

Dessa forma, é possível concluir que a reação só ocorre com a proporção definida.

Voltar

Questões