Resumo de Educação Física - Kung Fu

O Kung Fu é considerada umas das artes marciais chinesas mais antigas do mundo. O significado literal da palavra em chinês é “arte da guerra”. Para os chineses, a expressão Kung Fu também pode se referir a algo que foi adquirido com muito esforço e competência durante a luta corporal.

O início das técnicas do esporte se deu através da observação dos movimentos dos animais. Segundo os historiadores, essa arte marcial foi criada há mais ou menos quatro mil anos.

Origem do Kung Fu

As lutas existem, provavelmente, desde que os primeiros povos habitaram o planeta Terra. As técnicas de combate, segundo os estudiosos, são muito antigas e seu surgimento é tão remoto quanto a guerra. As artes marciais chinesas, por sua vez, não são apenas técnicas de lutas. São os sistemas e teorias unidos a partir de categorias próprias da cultura.

As artes marciais chinesas são conhecidas no Ocidente como Kung Fu. Em chinês também chama-se Wu Shu ou Kuoshu. O Kung Fu veio do Extremo Oriente e, segundo pesquisadores, tem início há mais de 2000 a.C., durante o período da dinastia Xia (c. 2100—c. 1600 a.C.). 

A prática foi aperfeiçoada e sofreu algumas modificações por conta das diferentes épocas e dinastias nas quais foi sendo estruturada. Sabe-se, portanto, que logo no seu início, a arte marcial era bastante utilizada nas guerras internas chinesas.

Conta-se que os primeiros registros do Kung Fu foram encontrados em ossos e cascos de tartarugas da dinastia Shang (1766-1122 a.C.), mas existem controversas nesses dados, pois também acreditam que o Kung Fu se desenvolveu muito antes disso.

O Kung Fu se consolidou como uma arte marcial quando a sociedade transformou-se em nação. Os soldados profissionais já realizavam técnicas bastante objetivas e faziam uso de armas projetadas para uma finalidade bem específica. Também se estabeleceu por conta de “artes de guerra”, isto é, a estratégia militar. Foi um momento no qual as primeiras dinastias da China e as guerras se davam com bigas (carroça) intercaladas com a infantaria (antiga arma do exército).

Ch’uan fa, ou estilo do punho, como se chamava o Kung Fu inicialmente, tornou-se muito popular na época em que os guerreiros da China Ocidental derrotaram o imperador da dinastia Shang no ano de 1122 a.C. A época dos Estados Guerreiros (480-221 a.C.) criou muitas estratégias que ascenderam a importância do Kung Fu na construção de um forte exército.

Kung Fu e as mulheres

As grandes referências da arte marcial em luta de espadas naquele tempo eram mulheres. Yuenu, uma delas, foi convidada pelo Imperador Goujian para mostrar suas teorias sobre a arte de esgrimista. O termo oficial usado para o Kung Fu naquele tempo era “chi chi wu”.

As dinastias Ch’in, que compreende 221-206 a.C., e a dinastia Han, que foi de 206 a.C. a 220 d.C., viram de perto o crescimento de artes marcias como o shoubo, uma luta romana, e o jiaodi, um combate no qual os participantes se enfrentam com chifres de boi nas cabeças.

Kung Fu e o Taoismo

No período da dinastia Ch’in o Kung Fu passou a se chamar de chi ch’iao. Por conta disso, muitas outras armas foram incluídas na arte, e o taoismo passou a influenciar a filosofia da luta.

Na dinastia Chin, no período de 265-439 d.C., e nas dinastias do Norte e do Sul, de 420-581 d.C., um médico famoso, além de filósofo taoísta, incorporou no Kung Fu o chi kung, que são exercícios respiratórios, também chamados qigong. As teorias do médico de poder interior e exterior são respeitadas até os dias de hoje.

Um oficial do sul na época da Dinastia Jin da China, o famoso taoista e célebre alquimista chinês, Ge Hong, se inspirou na pesquisa de seu precursor, Hua T’o, que no período dos Três Reinos, entre 220-265 d.C., inventou uma técnica de movimento e respiração chamado wu chien shi. O taoísta se baseou nos movimentos de alguns animais como o pássaro, veado, urso, macaco e tigre.

Os historiadores acreditam que Hua T’o recebeu ajuda de um sacerdote taoísta que se chamava Chin Ch’ien. As obras de Hua T’o e Ge Hong marcou o desenvolvimento dos exercícios do Kung Fu.

As dinastias posteriores continuaram a usar a arte marcial, como por exemplo a Rã, entre os anos de 206 a.C. a 220 d. C., além das sequentes dinastias do Norte e do Sul, entre 420 d.C a 581 d.C.

Ao longo desse processo de desenvolvimento, o Kung Fu foi aperfeiçoando algumas das suas principais características, que consiste na imitação dos movimentos e comportamentos dos animais. Devido a isso, existem muitos estilos de Kung Fu com nomes de animais como: Garça, Macaco, Garça, Louva-a-Deus, Tigre, Leopardo, etc.

Uma outra forte característica dessa arte marcial desenvolvida no decorrer da sua história é o controle sobre a respiração, técnica utilizada por todas as técnicas orientais.

Ficou interessado no Kung Fu? Clica no vídeo e confere algumas dicas dessa arte marcial:

Características do Kung Fu

Como já dito acima, o Kung Fu é uma arte marcial inspirada nos movimentos dos animais, e por isso é dividida em estilos conforme determinados bichos.

O Choy Lay Fut, por exemplo, é influenciado pelos movimentos do tigre, pantera, garça, serpente e dragão. Já o estilo de Kung Fu denominado de Ton Long, se baseia nos movimentos de um Louva-Deus, uma espécie de inseto.

Essa arte marcial é um poderoso mecanismo de autodefesa, entretanto sua maior importância está na sua filosofia e nos benefícios proporcionados por ela. O primeiro desses benefícios, sem dúvidas, é o aumento da concentração.

O praticante aprende a controlar a respiração e os pensamentos para atuar como um todo durante a luta. Ter atenção aos movimentos e os passos que serão realizados no combate faz toda a diferença.

As técnicas do Kung Fu direcionam-se para a defesa e não para o ataque. A prática permite aprimorar não só o corpo, mas a moral, o caráter e, principalmente, a disciplina mental. Segundo a filosofia da arte marcial, o corpo não age sem a interferência da mente. Sua essência consiste na união da mente, corpo e espírito.

Curiosidades

Ao pensar no Kung Fu é impossível não lembrar do ator e atleta Bruce Lee. Para se ter ideia, até a década de 1970, fora da China, poucas pessoas fora da comunidade chinesa tinham conhecimento da arte marcial. Ele foi um dos responsáveis pela divulgação do esporte no mundo inteiro, principalmente por conta dos seus filmes.

Nascido na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, e filho de chineses, o verdadeiro nome do ator era Lee Jun Fan. Desde a infância já atuava como ator no cinema americano. Entre idas e vindas da China, Lee atingiu o auge da fama com os filmes mais famosos de sua carreira: “Hong Kong” e “Hollywood”, nas duas tramas ele exibia o Kung Fu.

Após as produções de “Operação Dragão” e “A Fúria do Dragão” consolidaram o ator como um representante adequado dessa arte marcial.

Voltar