Resumo de História - Invenções de Benjamin Franklin

As invenções de Benjamin Franklin contribuíram significativamente para o progresso da sociedade.

Desde criança, Franklin já mostrava perfil inovador. Sujeito disciplinado e autodidata, ele contribuiu com pesquisas e inovações que são usadas até os dias atuais.

Sua fama deu-se em maior parte pela invenção do para-raios. No entanto, ele também foi o responsável por inventar um aparelho de aquecimento dos lares e criou termos técnicos amplamente utilizados como “bateria” e “condensador”.

Dentre as principais invenções de Benjamin Franklin estão:

Principais invenções de Benjamin Franklin

Aquecedor

Embora não exista um consenso sobre quem inventou o aquecedor residencial, aceita-se que Franklin inventou, visto que ele fazia experimentos nesse sentido na época.

Cartum

O cartum é uma das invenções de Benjamin Franklin. Espécie de desenho humorístico, o cartum satiriza comportamentos humanos e normalmente é veiculado em publicações jornalísticas.

Registra-se que Benjamin Franklin criou o primeiro cartum da história, analisando a união das colônias contra a França.

Cateter flexível

O cateter flexível é um instrumento médico considerado como uma das invenções de Benjamin Franklin. Conta-se que ele criou para ajudar o seu irmão John que sofria com pedras nos rins e precisava usar um cateter de metal.

Corrente do Golfo (Gulfstream)

Benjamin Franklin fez o primeiro estudo sobre a corrente do Golfo ao observar que o tempo de viagem de ida para lá era menor do que o retorno.

Lentes bifocais

Muito usadas atualmente, as lentes bifocais surgiram a partir de Benjamin Franklin que, cansado de ter que trocar seus óculos constantemente para as leituras, decidiu criar as bifocais para solucionar o caso.

Pés de pato

Muito usado por quem nada, os pés de pato surgiram a partir de uma das invenções de Benjamin Franklin, chamada “mãos-de-pato”. A ferramenta era um grande nadador usado para acelerar e otimizar as braçadas.

Quem foi Benjamim Franklin?

Benjamin Franklin foi um filósofo, escritor, jornalista, cientista e diplomata americano que ganhou notoriedade pelos estudos acerca da eletricidade, que contribuíram para a descoberta do para-raios. Ele faleceu na Filadélfia (Estados Unidos), no dia 17 de abril de 1790.

Nascido em Boston, na colônia de Massachusetts, no dia 17 de janeiro de 1706, Benjamin Franklin ficou conhecido pelos seus feitos que incluem, além das contribuições sobre energia, a criação da primeira biblioteca pública da Filadélfia, a fundação de uma Academia e a liderança de importantes cargos como a embaixada dos Estados Unidos, na França.

Benjamin Franklin foi um dos líderes da Revolução Americana (Guerra da Independência dos Estados Unidos). Ainda assim, foi como cientista que ele deixou um grande legado para a humanidade.

A partir das suas investigações e interpretações, as invenções de Benjamim Franklin foram de fundamental importância. Exemplo é o estudo acerca do fenômeno elétrico da carga positiva e negativa.

Infância

Benjamin Franklin foi o 20º filho de pais fabricantes de sabão e produtor de velas. Autodidata, ele aprendeu a ler sozinho. Aos oito anos de idade ele foi para a escola, pela primeira vez. Contudo, dois anos depois de iniciar os estudos teve que abandonar a escola para trabalhar com o pai.

Com uma vida de trabalho precoce para a época, aos 12 anos, Benjamin Franklin trabalhou na oficina gráfica de seu irmão James. Lá saía a publicação do semanário “The New England Courant”.

Foi diante desse contato com o periódico que Benjamin Franklin decidiu seguir o caminho de jornalista. No entanto, por causa da idade, não recebeu apoio necessário da família que acreditava tratar-se de um sonho de criança.

Então, Benjamin Franklin começou a apresentar artigos com o pseudônimo de Slilence Dogwood. A iniciativa deu certo por um tempo, até o seu irmão descobrir a façanha a começarem os desentendimentos entre eles.

Vida profissional

Quando estava com 17 anos, Benjamin Franklin mudou-se para Filadélfia onde passou a trabalhar como impressor. Nas horas vagas, ele dedicava-se ao estudo das letras e das ciências.

Por volta de 1729 ele abriu a sua própria oficina gráfica e, então, iniciou a publicação do jornal “The Pennsylvania Gazette”.

Por volta de 1732, assinando com o pseudônimo Richard Saunders, ele iniciou a publicação de um almanaque intitulado “Poor Richard”, uma coletânea de anedotas e provérbios populares.

Em 1731, Benjamin Franklin criou a primeira biblioteca pública de Filadélfia. Como resultado da iniciativa, começaram a surgir novas bibliotecas em outras cidades americanas.

A partir do sucesso das bibliotecas na Filadélfia, Benjamin Franklin – que já tinha destaque na região – transformou o local em “Cidade Líder das Colônias Inglesas”.

Além das invenções de Benjamin Franklin, em meados de 1731, aos 25 anos, ele fundou a primeira biblioteca circulante dos Estados Unidos, criou o Corpo de Bombeiros em Filadélfia e contribuiu para a formação da primeira companhia norte-americana de seguros contra fogo.

Pouco tempo depois, em 1740, Benjamin Franklin ajudou a fundar a Academia da Pensilvânia, que transformou-se na Universidade da Pensilvânia.

Benjamin Franklin foi nomeado Diretor dos Correios nas Colônias e introduziu o sistema de correio pago. Após essa conquista, foi enviado à Inglaterra para solucionar a disputa entre a Assembleia da Pensilvânia e a coroa britânica.

Seu perfil conciliatório rendeu-lhe participação no II Congresso Continental onde redigiu e assinou a “Declaração de Independência” (1776). Nesse mesmo ano, ele partiu para a França onde foi recebido como personalidade eminente nos círculos parisienses.

Em 1783, Franklin assinou o "Tratado de Paz", que resultou em uma aliança entre as colônias inglesas.

Em 1785, foi eleito presidente da Pensilvânia e foi um dos delegados da convenção que elaborou a Constituição Americana, assinada em 1787.

Principais obras de Benjamin Franklin

  • Experiências e Observações Sobre Eletricidade (1751)
  • Autobiografia (publicada postumamente, em 1791)
Voltar

Questões