Resumo de Biologia - Hormônios

Substâncias químicas produzidas pelas glândulas do sistema endócrino

Os hormônios são substâncias químicas importantes para a realização de diversos processos no corpo humano. Eles são produzidos pelas glândulas endócrinas e regulam o crescimento dos indivíduos, a absorção de nutrientes, a vida sexual e outras atividades. Mas da mesma forma como garantem o bom funcionamento do corpo, os hormônios podem causar distúrbios quando se apresentam em níveis abaixo do que o necessário ou em excesso. 
Neste artigo, vamos conhecer alguns dos hormônios produzidos pelas glândulas do corpo humano, o modo como eles funcionam e alguns dos problemas de saúde que estão associados a desníveis hormonais. Continue a leitura para garantir que você tenha um bom entendimento do assunto e um bom desempenho na prova de Ciências Naturais do Enem. Esse tema costuma ser recorrente no exame justamente porque possibilita a explicação de situações próprias do dia a dia. 

Como os hormônios atuam? 


Os hormônios são secreções produzidas pelas glândulas endócrinas. Essas substâncias são excretadas diretamente na corrente sanguínea e determinam que outras estruturas diferentes das que os produziu realizem ações específicas. Cada glândula do corpo humano produz um tipo de hormônio diferente que é responsável por estimular órgãos e células específicas do corpo humano. Mas se todos os hormônios são depositados na corrente sanguínea, como as células e os órgãos sabem a qual obedecer? 
Esse mecanismo é explicado pelo fato de que cada hormônio possui uma célula-alvo a quem determina que seja executada uma ação. Essa conexão acontece porque as células que são estimuladas ou inibidas por hormônios possuem em sua membrana plasmática uma estrutura denominada receptor hormonal. E cada receptor une-se a apenas um tipo de hormônio. Com isso, ainda que diversos hormônios estejam presentes na corrente sanguínea, eles só se ligam aos seus alvos. 
O controle dos níveis hormonais no sangue é feito através do mecanismo denominado , que pode ser positivo ou negativo. O negativo é o mais comum. Ele acontece para garantir a homeostase, por isso interrompe a produção de determinado hormônio quando ele está em níveis elevados no organismo e estimula sua liberação quando os níveis estão deficitários. 
O positivo é definido como um estímulo na glândula produtora do hormônio que faz aumentar sua liberação. Esse tipo de é menos comum que o negativo e sua ocorrência é responsável por alterações hormonais


Hormônios importantes para o organismo 


Todos os hormônios produzidos pelas glândulas do sistema endócrino são importantes, pois desempenham funções que garantem o equilíbrio do corpo. Contudo, separamos alguns que merecem destaque por estarem associados a atividades fundamentais do metabolismo humano. E que, por isso, é necessário que os conheçamos. 
Hormônio antidiurético (ADH): essa substância garante que os ductos coletores realizem a reabsorção da água nos rins. Ela é produzida na glândula hipotálamo e armazenada na hipófise; 
Ocitocina: também é produzido pelo hipotálamo e armazenado na hipófise. Contudo, a atuação desse hormônio é bem diferente do ADH. Ele estimula a contração dos músculos uterinos durante o parto e a produção de leite pelas glândulas mamárias
Hormônio do crescimento (GH) ou somatotrofina: essa substância é produzida pela hipófise e é responsável pelo crescimento dos ossos e, consequentemente, do indivíduo; 
Insulina: talvez seja um dos hormônios mais conhecidos, pois está associado a uma doença muito comum no Brasil: a diabetes. A insulina é uma substância produzida pelo pâncreas e atua para garantir que a glicose presente nos alimentos seja absorvida pelas células; 
Glucagon: esse hormônio também é produzido pelo pâncreas e assim como a insulina atua na regulação da glicose no sangue, mas com mecanismo oposto. Ao promover a quebra de glicogênio, ele aumenta o nível da substância na corrente sanguínea; 
Paratormônio: essa substância é produzida pela paratireoide e atua na regulação dos níveis de cálcio no sangue. Para isso, ele estimula a retirada dessa substância dos ossos; 

Desequilíbrios hormonais 

Uma vez que os hormônios garantem o bom funcionamento do organismo, desiquilíbrios nos níveis dessas substâncias provocam agravos à saúde. Em geral, essas situações acontecem devido a distúrbios nas glândulas produtoras. Eles fazem com que haja aumento excessivamente na produção das substâncias ou interrompam a sua secreção. 
As condições de saúde mais comuns associadas aos distúrbios hormonais são a diabete; hipotireoidismo e hipertireoidismo. A ocorrência da diabetes, como já antecipamos, está associada aos distúrbios na insulina. A doença é caracterizada pela ausência desse hormônio ou sua incapacidade em promover a absorção da glicose pelas células. Com isso, há elevação dos níveis da substância no sangue. 
O hipotireoidismo e o hipertireoidismo, por sua vez, estão associados a distúrbios na glândula tireoide. O primeiro diz respeito à uma perda na capacidade de produzir os hormônios T3 e T4. Isso resulta no comprometimento de processos metabólicos, que gera ganho de peso, fadiga e fraqueza muscular. Quando o quadro é de hipertireoidismo, o excesso de hormônios produz perda de peso, sudorese excessiva, irritabilidade e aumento dos batimentos cardíacos. 
 
Voltar

Questões