Resumo de Biologia - Formigas

As formigas pertencem ao Reino Animal e estão localizadas na família Formicidade. Esses animais são conhecidos pela organização social e capacidade de carregar objetos mais pesados que eles.

Esses insetos estão presentes em todos continentes, exceto nos polos. Estima-se que existem cerca de 18.000 espécies de formigas, das quais 2.000 são encontradas no Brasil.

A formiga louca (Paratrechina longicornis) é a espécie doméstica mais popular, ela habita o interior e exterior das casas. Sua principal característica é forma irregular de andar, geralmente em círculos, quando está em busca de alimentos.

Acredita-se que esses animais surgiram na Terra durante o período Cretáceo (cerca 140 milhões de anos atrás) e, provavelmente começaram a diversificar-se há 100 milhões de anos, acompanhando as linhagens de plantas com flores.

Há uma área responsável pela análise desses insetos: a mirmecologia. Essa ciência estuda a evolução, a ecologia, a fisiologia, a taxonomia, a biogeografia e importância econômica das formigas.

Anatomia da formiga

De modo geral, os insetos possuem o corpo dividido em três partes: cabeça, tórax e abdômen. Contudo, as formigas apresentam uma divisão própria e seus corpos são organizados em: cabeça, mesossoma e metassoma.

Na cabeça estão localizados os órgãos sensoriais – antenas (função olfativa), olhos (detecção de movimentos) e ocelos (olhos captadores de luz). A mandíbula também está localizada nessa região e auxilia na mastigação.

O mesossoma representa o tórax fundido ao primeiro segmento abdominal. Nessa região estão localizadas as seis pernas e asas (quando presentes). Em cada perna existe uma espécie de garra que ajuda a formiga a escalar e se pendurar em objetos.

Já o metassoma é formado pela cintura e gáster. Na região apical do gáster, localizam-se as aberturas anais e o aparelho reprodutivo (machos ou rainhas), assim como a glândula responsável pela comunicação.

Características

Organização

Assim como as abelhas e os cupins, as formigas são insetos sociais, isto é, vivem em grupos e interagindo entre si numa relação ecológica harmônica chamada de sociedade. Elas constroem seus ninhos em diferentes locais, que vão da terra até o interior de troncos de madeira.

Esses insetos também possuem uma característica peculiar: a eussocialidade, um alto grau de organização que baseia-se em três fatores:

  • Sobreposição de gerações: várias gerações convivem em um mesmo ninho;
  • Cuidado com a prole: há uma relação de cooperações entre as formigas para alimentação e proteção da cria;
  • Divisão de tarefas: as formigas se organizam em grupos, e no formigueiro dividem-se nas castas de operárias, rainha e machos.

As formigas rainhas são responsáveis pela reprodução, uma vez que são elas que acasalam e põem os ovos. Já os machos não possuem nenhuma atividade no formigueiro, eles servem apenas para o acasalamento com as rainhas.

As formigas operárias são maioria no formigueira. São elas que constroem, fazem a manutenção e defendem o ninho contra invasores. Além disso, as operárias alimentam e cuidam da rainha e de suas crias, mas elas não podem ser reproduzir pois são estéreis.

Todos as formigas passam pelas fases de ovo, larva, pupa e adulto. Contudo, é na fase larval que acontece a divisão de castas. As formigas se tornam rainhas, pois recebem mais alimentos e de melhor qualidade.

Alimentação

As formigas consomem diferentes tipos de alimentos. Contudo, a variação na dieta depende da fase da vida. As larvas, por exemplo, necessitam de uma dieta rica em proteínas, já as adultas buscam por uma alimentação rica em carboidratos.

A maioria das formigas são onívoras, ou seja, alimentam-se de vegetais, animais ou restos de alimentos deixados por humanos. Há também as carnívoras, que comem animais mortos e secreções de insetos vivos. E as herbívoras, que se alimentam de seiva, néctar ou fungos.

As formigas operárias são responsáveis por buscar o alimento e distribuí-lo no formigueiro. Elas realizam a trofalaxia, um processo de alimentação em que um indivíduo transfere do seu tubo digestivo o alimento para outro por regurgitação (vômito).

Reprodução

Somente as rainhas e os machos possuem asas. Essa característica possibilita que em um determinado período do ano, eles voem e acasalem. O macho deposita seus espermatozoides em uma cápsula interna da fêmea chamada de espermateca.

Depois da cópula, as formigas perdem as asas. Já no chão, a rainha busca um local seguro para depositar os ovos e então forma um formigueiro. Inicialmente, os ovos que ela põe servem apenas para a sua própria alimentação.

Só depois a rainha coloca ovos que irão formar indivíduos completos, os chamados ovos de desenvolvimento, que podem ser de dois tipos: as fêmeas, que são diploides e os óvulos que não foram fecundados formam os machos, que são haploides.

Curiosidade: por que as formigas andam em filas?

As formigas se comunicam por meio de sinalizações químicas, através da liberação de feromônios. Essa substância é capaz de provocar reações específicas entre organismos da mesma espécie.

Quando uma formiga encontra alimento, ela deixa um rastro de feromônio no caminho de volta para o formigueiro.Esse rasto é seguido por outras formigas que, por sua vez, reforçam-o na volta.Quando a trilha é bloqueada por algum tipo de obstáculo, elas começam a buscar novas rotas e seguem o feromônio. Contudo, essa não é uma característica comum a todas as espécies de formigas.

Voltar

Questões