Resumo de Educação Artística - Expressionismo abstrato

Um movimento artístico norte-americano

¿

O expressionismo abstrato também conhecido por “Escola de Nova York”, foi um movimento artístico que surgiu na década de 1940, ocupando um lugar no mundo da arte no período que sucedeu a Segunda Guerra Mundial. Essa corrente artística teve origem em Nova York, nos Estados Unidos, e ganhou uma força tão significativa que foi reconhecida internacionalmente. 
O expressionismo abstrato tem características muito específicas, como a criação espontânea, o subjetivismo, a emoção, mas essa expressão também mescla aspectos de outros períodos, como o expressionismo alemão, cubismo, surrealismo, além de ser carregada de elementos da vanguarda. Para entender melhor como esse movimento surgiu, suas características, obras e principais artistas, continue a leitura!

Contexto Histórico

A ascensão do expressionismo abstrato se deu após a Segunda Guerra Mundial, que teve fim em 1945, mas na década de 1930, vários pintores da Europa já haviam se mudado para os Estados Unidos. Nesse período, os artistas americanos foram influenciados pelos europeus que se instalaram em Nova York. 
Durante esse tempo houve muita troca de experiências e técnicas entre os pintores de ambos os lados, e no ano de 1943, em um dos encontros de mestres europeus e pintores norte-americanos surgiu o movimento que hoje conhecemos como expressionismo abstrato, um dos mais importantes da pintura moderna americana. 
O cenário pós-guerra não era nada fácil. Em todos os âmbitos as pessoas experimentavam o desânimo, a incerteza e o medo do inesperado. As consequências causadas pela guerra afetaram profundamente a Europa e também os Estados Unidos, e isso também se refletiu na arte. A opção encontrada pelos artistas foi a de utilizar essa experiência de crise para desenvolver uma nova forma de fazer arte. 
Foi a partir da experimentação, da estética do absurdo, livre e subjetiva, e ao mesmo tempo extremamente sensível, que a pintura abstrata ganhava forma. Ela era cálida, rítmica, sutil e intensa. As telas não tinham mais imagens figurativas, representando perfeitamente as formas, seres, objetos, paisagens, mas agora eram as texturas, linhas, cores, bordas borradas e todo o material utilizado de forma mista, ocupando os quadros. As formas geométricas das pinturas expressionistas em nada se pareciam com as pintadas em outros períodos. 
A revolução ocasionada pelo expressionismo abstrato foi tão forte que ela chegou a influenciar outros expressões artísticas, como a fotografia e a escultura. A capacidade que as pinturas tinham de alcançar as pessoas através de uma linguagem visual mais intensa, fez do expressionismo abstrato o movimento artístico mais importante desde a Segunda Guerra Mundial

Características do Expressionismo Abstrato


Entre as características mais presentes no expressionismo abstrato estão a expressividade e o simbolismo. Esses dois elementos são muito importantes para atingir o objetivo desse movimento: expressar a emoção e subjetividade. Por isso, as obras do período buscam refletir aspectos da condição humana. Tamanha profundidade pode ser atingida através de outras peculiaridades, como:

  • Criação espontânea;
  • Subjetivismo, improviso e emoção;
  • Uso de formas geométricas;
  • Técnicas enérgicas na pintura;
  • A influência da psicanálise de Carl Jung na composição das obras;
  • O apelo ao subconsciente;
  • Valorização da obra;
  • Uso de materiais diferentes em uma mesma pintura.


A valorização da técnica também foi uma característica marcante do período. Um dos métodos mais importantes da pintura abstrata, o , foi utilizado por Jackson Pollock, norte-americano que é considerado o principal nome do movimento. O é uma técnica feita com o respingo da tinta sobre a superfície da tela. Com os gotejamentos, feito de forma equilibrada, a tinta vai escorrendo sobre o quadro e vai formando traços de forma harmoniosa. 


Para fazer seus quadros, Pollock tinha todo um processo criativo, ele pintava com a tela no chão e sua ação era feita de modo subconsciente. Ele dizia que dessa forma era possível expressar seus medos e também os sentimentos que estavam escondidos. Vale ressaltar que esse não é um método utilizado de forma aleatória, conhecido como automatismo, a técnica requer muita delicadeza, planejamento e detalhes. 

Além de utilizar o , criado por Max Ernst, Pollock também usava o também conhecido por pintura gestual ou gestualismo. Essa técnica, criado por ele, consiste em fazer pinturas a partir de movimentos bruscos e espontâneos, como o lançamento de tinta sobres as tela que ficam no chão ou na parede. No gestualismo, os artistas também não precisam usar as ferramentas tradicionais da pintura, como o pincel. Os quadros podem ser pintados com qualquer objeto. 

Grandes nomes do movimento


Jackson Pollock foi, sem dúvida, o principal artista do expressionismo abstrato. Além dele, outros artistas também despontaram no cenário, como os americanos Barnett Newman, Frank Kline, Clyfford Still, Adolph Gottlieb, o canadense Philip Guston, o letão Mark Rothko, o armênio Arshile Gorky e o holandês Willem de Kooning. São deles algumas das obras famosas do Expressionismo abstrato, a exemplo da:


 “Número 19, 1948”
Essa é uma pintura de Jackson Pollock, que foi feita entre 1947 e 1950. A obra possivelmente é a mais famosa do artista americano e também a mais conhecida do expressionismo abstrato. Nela, é possível observar o uso do através da mistura das cores.

“Mulher I”
A obra é do pintor expressionista holandês Willem de Koonning. O artista se tornou um dos grandes nomes do expressionismo abstrato após viver muito tempo nos Estados Unidos como clandestino. O pintor que sempre teve a mulher como um de seus temas prediletos, pinta uma figura com dentes ferozes em um mosaico de cores fortes. 


O Expressionismo Abstrato Europeu


Diferente dos Estados Unidos, onde o movimento buscava atingir o subconsciente, as emoções e o subjetivismo, o expressionismo abstrato europeu estava voltado para assuntos intelectuais, principalmente pelas teorias do existencialismo desenvolvido na França. 

As telas dos artistas europeus tinham um caráter mais mórbido, mais sombrio, carregadas de melancolia e imobilidade. Diferente do sentimento de revolta presente entre os artistas americanos, os pintores europeus estavam preocupados em expressar a condição humana, questões existenciais, o sentido da vida. 
Entre os pintores que mais se destacaram no expressionismo abstrato europeu, estão o alemão Alfred Otto Schulze, conhecido por Wols, Hans Hartung, os italianos Antonio Burri e Lucio Fontana e tantos outros.
Voltar