Resumo de Educação Artística - Estilo Barroco

Riqueza de detalhes e elementos rebuscados caracterizam esse estilo artístico

O estilo barroco começou por volta de 1600 em Roma, Itália, mas o movimento logo se espalhou por todos os países da Europa, chegando até o continente americano. Em uma tradução bastante simplista, o termo barroco é utilizado para descrever algo que é muito elaborado e cheio de detalhes.
Durante muito tempo, o estilo barroco foi considerado por muitos críticos da arte uma expressão artística “exagerada”, algo que beirava a bizarrice. Acostumados com as regras e métricas bem estabelecidas, muitos que criticavam a tendência não conseguiam compreender a essência do barroco. 
Essa visão deturpada, que via no barro algo grotesco, estranho e excessivamente decorado só foi rompida anos depois, quando ele foi classificado como um estilo, propriamente dizendo, e não sendo utilizado como sinônimo para o excesso. 
De um modo geral, a arte barroca, pode ser caracterizada como rebuscada. Toda a produção do período barroco tinha como objetivo atingir os estados emocionais e os sentidos, apelando até mesmo para o drama, uma de suas principais características. Também são aspectos do estilo barroco a riqueza sensual, a tensão, o movimento, a grandeza, vitalidade e o apelo às emoções. 

Contexto Histórico


Um dos fatores que influenciaram o estilo barroco foi o contexto histórico. À época, a Europa estava discutindo os pontos da Reforma Protestante e Contrarreforma, e assim como muitas expressões artísticas, o movimento barroco recebeu o estímulo da Igreja Católica, por isso, a arte desse período é tão ligada à instituição. 


A Igreja Católica não só estimulava a arte, mas havia decidido durante o Concílio de Trento, que as artes deveriam tratar de assuntos religiosos. Mais ainda, as expressões artísticas tinham um papel fundamental no envolvimento emocional da população em resposta à Reforma Protestante. 


Características do Estilo Barroco


Em todas as expressões artísticas, na escultura, dança, arquitetura, música, pintura e também na literatura, o estilo barroco é carregado com os movimentos exagerados e os detalhes bem evidentes para produzir drama. A estética de todas as representações visuais tinham como o objetivo apelar para os sentidos e às emoções


Pintura do estilo barroco
Assim como as demais obras do período, as pinturas refletiam o cenário político, religioso e cultural Europeu. Embora existisse uma diversidade de estilos, predominava a riqueza sensual e um conteúdo emocional. Esses dois elementos foram os grandes responsáveis por provocar emoções no espectador. 


O chiaroscuro, uma técnica de pintura à óleo desenvolvida durante o Renascimento, também é uma característica da arte barroca. No chiaroscuro são utilizados fortes contrastes tonais entre as formas tridimensionais da luz e da obscuridade em direção ao modelo, para produzir o efeito dramático. Entre os principais pintores do período barroco, estão: Rembrandt van Rijn, Peter Paul Rubens, Johannes Veermer e Diego Velázquez. 


Escultura
Os escultores do estilo barroco também ganharam destaque, sendo o principal escultor Gian Lorenzo Bernini. Embora a arquitetura tivesse maior importância, foi a escultura que foi mais difundida durante o período barroco, sendo caracterizada até como uma forma de arte cristã. A escultura barroca ganhou uma força tão significativa que acabou influenciando a produção de quase todos os demais artefatos artísticos do período, sendo amplamente comum em toda a Europa. 


A escultura barroca tradicional tinha características muito específicas. A técnica empregada era perfeita. Os escultores possuíam uma habilidade que os distinguiam dos de outros períodos. Eles produziam obras que tornavam a aparência da pele humana muito reais, de acordo com o gênero do personagem e faixa etária. 


Tudo era extremamente perfeito e detalhado, o uso dos tecidos como a lã e seda, a textura das armaduras, os escultores tinham o domínio de todo o material que utilizavam para esculpir as estátuas em mármore.


As estátuas barrocas tinham um aspecto bem característico que era o poder de perpetuar uma expressão e um movimento. Isso era muito importante porque ao manter as estruturas da forma humana, era possível provocar os sentidos de quem estava observando a obra. 


Arquitetura
A expressão barroca na arquitetura pode ser evidenciada nas igrejas, que foram construídas em grande quantidade durante a Contrarreforma. Como dito anteriormente, a Igreja Católica se apropriou desse movimento artístico para dar uma resposta a Reforma Protestante, por isso, esse tipo de arquitetura também buscava, não só evocar emoções, mas mostrar as grandezas, poder e riqueza da igreja. 

 
A arquitetura barroca também rejeitava a simetria do renascimento. Suas construções eram cheias de elementos contorcidos, e espirais que criavam diferentes efeitos visuais nas fachadas e parte interna dos prédios. Os edifícios também eram bem sinuosos e oponentes, com uma combinação de linhas opostas. Os arquitetos também gostavam de utilizar um jogo de claro e escuro, para criar efeitos ilusórios e cênicos.


Além disso, os prédios eram decorados com colunas torsas, e salomônicas para produzir um efeito de movimento e dramatismo. Um exemplo do estilo barroco na arquitetura pode ser encontrado no Palácio de Versalhes. 


O estilo barroco no Brasil

No Brasil, o estilo barroco foi introduzido através de missionários católicos jesuítas, no início do século XVII. O movimento não veio só como uma expressão artística, mas de expandir a fé cristã.

Quando o barroco chegou ao Brasil, se tornou a expressão artística predominante no período do colonialismo, principalmente porque, naquela época, a Igreja e o Estado funcionavam juntos. Mas, diferente dos países da Europa, não houve muito espaço para construir grandes palácios, pois a elite brasileira não tinha tanto interesse em patrocinar as obras. Ainda assim, muito foi produzido nesse período, principalmente na arte sacra.

Aqui no Brasil, o barroco manteve suas características de ornamentação, plasticidade, sedução e drama. Além de cultivar um interesse pela arte, cumpria o seu principal fim: ajudar os nativos e também os negros escravizados a absorver a fé cristã.

Não demorou muito para que os indígenas e também os negros começassem a dominar as expressões artísticas e se tornar também os principais produtores da arte barroca no país.

Os artistas que mais se destacaram no Brasil durante esse período foram Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, que era escultor, entalhador e arquiteto, e o pintor Mestre Ataíde.

Voltar