Resumo de História - Egito Antigo

O Egito Antigo se desenvolveu em torno do rio Nilo, um oásis em meio ao deserto do Saara que possibilitou a fixação do homem em decorrência da água e solos férteis.

Entretanto, outras razões também explicam o desenvolvimento dessa civilização, como a capacidade do homem em aproveitar os recursos com criatividade, trabalho e planejamento.

Para proteger as casas das inundações, por exemplo, os egípcios construíram diques. Eles também desenvolveram canais de irrigação para levar a água do rio para locais mais distantes. Dessa forma, a civilização egípcia cresceu em um clima árido e adverso, às margens do rio Nilo.

Por conta disso, o rio Nilo tinha muita importância para os egípcios, tanto que era considerado um deus.

Egito Antigo: religião

A religião no Egito Antigo era politeísta. Os egípcios veneravam vários deuses, com características diversas. Esses deuses também eram cultuados fora do Egito, chegando até a Europa.

Os deuses egípcios têm pontos em comum com os homens: podem nascer, envelhecer e morrer. Além disso, possuem um nome, sentimentos e corpo que deve ser nutrido.

Entretanto, essas características parecidas com os humanos escondem uma natureza excepcional: seu corpo, formado de matérias preciosas, é dotado de um poder de transformação e suas lágrimas podem dar origem a seres ou minerais.

Os atributos desses deuses podem aparecer em várias combinações: totalmente humanas, inteiramente animais, com corpo de homem e cabeça de animal, com o animal inteiro no lugar da cabeça ou com cabeça humana.

Egito Antigo: deuses

A cultura do Egito Antigo era baseada na crença de um panteão dessas criaturas estranhas e adoradas pelo povo. Eram mais de 1.500 divindades que esclareciam a criação do mundo, mostravam as formas da natureza e outros conceitos da vida.

Veja abaixo alguns dos principais deuses da civilização egípcia.

Ámon – O oculto

Ámon era o rei dos deuses e deusas do Egito. Esse deus se apresentava na maioria das vezes na forma humana, mas também era retratado com cabeça de carneiro.

Mut – A deusa mãe

O significado de Mut, na língua egípcia, é mãe. Mut era uma das principais deusas tebanas, esposa de Amon e mãe de Khonsu.

Osíris – O deus da vida

Filho mais velho do deus da terra, Zeb, e da deusa do céu, Nut, Osíris é adorado como o deus da vida após a morte, uma vez que os egípcios acreditavam em uma existência além da morte.

Seth – O deus do caos

Seth era considerado o deus do deserto e das tempestades. Seth era descrito como um homem com cabeça de cão e cauda bifurcada, mas às vezes ele também era representado como porco, crocodilo, escorpião ou hipopótamo.

Ísis – A deusa da ressurreição

Ísis era a deusa da fertilidade, mãe do deus Hórus e esposa e irmã de Osíris. Ísis era retratada como uma mulher, às vezes com um corpo feminino e cabeça e chifres de vaca.

Hórus – O deus da vingança

Hórus era um dos mais importantes deuses egípcios antigos, filho de Osíris e Ísis. Também adorado como o deus da luz e do céu, Hórus era descrito como uma criatura masculina com cabeça de falcão, usando uma coroa branca e vermelha.

Thoth – O deus do conhecimento e sabedoria

O deus da sabedoria, escrita e magia era frequentemente retratado como um homem com cabeça de íbis ou de babuíno.

Egito Antigo: cultura

A cultura do Antigo Egito pode ser vista a partir do modo de vida, costumes e tradições da antiga sociedade. Tudo começou no período Neolítico e evoluiu até à época romana, quando quase desapareceu ao entrar no Império Romano e adotar os costumes cristãos.

A história do Antigo Egito como um Estado unificado começou no período Neolítico, por volta do ano 3100 a. C. e foi dividida em três impérios.

O Império Antigo foi marcado pelo crescimento das artes e o levantamento de grandes pirâmides. Durante o Império Médio, após uma fase de descentralização, o Egito teve um período grandioso em sua economia.

No período do Império Novo a monarquia egípcia chegou ao seu auge conquistando os povos vizinhos e expandindo os seus domínios sobre administração dos faraós da XVIII dinastia.

O declínio do Império Faraônico ocorreu em 1075 a.C., por causa das diversas investidas de exércitos de outros povos. Ainda assim, a cultura egípcia manteve as suas principais características até o domínio dos romanos, influenciando todo o Mediterrâneo Ocidental.

Curiosidades sobre o Egito Antigo

  • Anões – No Egito Antigo os anões eram respeitados, nessa época eles não eram vistos como deficientes;
  • Casamento – A tradição da troca de alianças no casamento começou no Egito Antigo;
  • Cabeça dura – No Egito Antigo dormia-se em travesseiros de pedra;
  • Cidade perdida achada – Após 1.200 anos, a cidade perdida de Heracleion foi encontrada no fundo do mar;
  • Bate-papo – A linguagem escrita foi inventada pelos egípcios, sumérios, chineses e maias;
  • Mundo fashion – O vestido mais antigo do mundo foi encontrado no Egito há cinco mil anos;
  • Circunferência da Terra – Há 2.200 anos, o egípcio Eratóstenes estimou a circunferência do planeta Terra utilizando apenas cálculos matemáticos, e seus resultados foram bem precisos;
  • Velejadores – Os barcos a vela foram inventados no Egito;
  • Alimentação – Ao contrário do que mostra as representações, muitos faraós egípcios eram gordos, devido ao excesso de comida e uma dieta a base de pão e mel;
  • Tratamento para cegueira – Os egípcios tratavam a cegueira espremendo o olho de porco no ouvido do paciente;
  • Respeito aos gatos – No Egito Antigo, quem matasse um gato era punido com a morte. Quando seus gatos morriam os egípcios depilavam as sobrancelhas em forma de luto.
Voltar

Questões