Resumo de Biologia - Efeito Estufa

O efeito estufa é um fenômeno natural que ocorre pela aglomeração de gases na atmosfera.

Com isso, constitui-se uma camada que, além de liberar a passagem de raios solares, retém calor. Esse processo promove a conservação da temperatura na terra, fator importante para a sobrevivência dos seres no planeta. Por isso, ele não é só negativo, mas também essencial para a vida.

Como acontece o Efeito Estufa

O Efeito Estufa acontece da seguinte forma: o sol emite radiação para o planeta. Parte desses raios solares ficam retidos na atmosfera. Já a outra metade atinge a superfície da terra. 

Quando chega na superfície terrestre, a radiação é convertida em raios infravermelhos (calor). Esses, por sua vez, ficam reclusos na atmosfera em detrimento do gases do efeito estufa, como: o metano e o dióxido de carbono que absorvem esses raios.

Como abordado, esse fenômeno é necessário para manter a terra aquecida. No entanto, a partir do momento que há constante emissão de gases do Efeito Estufa, a temperatura média da terra aumenta. Esse fator pode colocar em risco a sobrevivência dos seres vivos no planeta.

Os gases do Efeito Estufa                                                

O efeito estufa é causado pelos gases atmosféricos chamados de gases estufas. Eles são:

  • Dióxido de Carbono: emitido pela queima de florestas e de combustíveis fósseis, como petróleo;
  • Metano: gás incolor que é emitido, por exemplo, na decomposição de lixos e durante a extração de combustíveis;
  • Óxido Nitroso: é conhecido também como gás hilariante. Ele é capaz de provocar o aumento da frequência respiratória e quando manipulado sozinho pode elevar a pressão intracraniana;
  • Vapor d’água: é a água no estado gasoso. É encontrado nas camadas baixas da atmosfera;
  • Clorofluorcarbonos: composto que apresenta na composição cloro e flúor. O CFC é um dos responsáveis pela redução da camada de ozônio, região da estratosfera que retém gás ozônio.
  • Dióxido de Enxofre: é um gás tóxico, incolor e não inflamável. Ele é composto por dois átomos de oxigênio e um de enxofre. São produzidos por vulcões e em processos industriais.

O Efeito Estufa e o Aquecimento Global

Como citado, o Efeito Estufa é um fenômeno natural. No entanto, com a alta concentração de gases estufas na atmosfera produzido pelas contínuas atividades do homem como a queima de combustíveis fósseis, têm elevado a temperatura da terra. Esse fenômeno é conhecido como aquecimento global.

As consequências do aquecimento global

Inúmeras são as consequências negativas que o aquecimento global pode causar para a qualidade de vida na Terra. Elas podem ser: extinção das espécies, aumento dos desastres naturais, dentre outros.

Derretimento das geleiras

Pode ser citado, por exemplo, o derretimento das geleiras nas regiões polares. Como consequência esse fato leva ao aumento do nível do mar.

Sabe-se que muitas pessoas habitam em áreas litorâneas e ilhas. Com a elevação do nível do mar essas regiões podem gerar alagamento e, com isso, força-se a migração dos moradores. Além disso, esse fator pode ainda interferir de forma negativa na economia e na segurança da população.

Impacto na biodiversidade

O impacto do efeito estufa pode ocasionar diversas consequências negativas para a biodiversidade do planeta terra. As espécies precisam de condições climáticas favoráveis para sobreviver e, com a mudança veloz de temperatura, não há um período adequado para que elas se adaptem. Com isso, acontece o desequilíbrio ecológico, como morte das espécies que é capaz de provocar a extinção.

Impacto alimentar

Com o aquecimento global, a sociedade como todo pode ainda enfrentar diversos problemas, como a fome. Como abordado esse fenômeno pode provocar o desequilíbrio na produção alimentar e agrícola, uma vez que as espécies podem entrar em extinção.

Desastres naturais

Outro aspecto que o aumento de gases estufas podem causar são os impactos na mudanças climáticas do planeta. Esse fator pode levar às ondas de calor que provocam as secas de rios e mares. Outro condição que também é capaz de levar é a incidência de tufões, chuvas torrenciais e inundações.

Medidas adotadas

Uma das medidas internacionais adotadas para evitar a emissão de gases que intensificam o efeito estufa é o Protocolo de Kyoto. Esse documento foi assinado por alguns países em 1997, no Japão. O objetivo é fazer com que a sociedade evite as consequências graves que aumento da concentração de gases estufas podem provocar para todos.

O protocolo aponta ainda a necessidade de redução da emissão de gases como o dióxido de carbono, um dos principais agentes de efeito estufa. As nações que assinaram em concordância com as diretrizes comprometeram-se em reduzir gases poluentes em quase 5%.  

O vídeo abaixo apresenta informações adicionais sobre esse documento.

O protocolo estimula que os países comprometam-se com a utilização de fontes de energias renováveis, reforme os setores de energia e transportes e diminua a emissão de metano, dentre outros incentivos. São exemplos de nações que aderiram as diretrizes: Brasil, Chile, Suécia, Japão, Espanha, Portugal, Itália, França, Argentina, El Salvador, Noruega, dentre outros.

Outras medidas gerais

Não apenas o Estado, mas as iniciativas privadas e pessoas físicas podem cooperar com a redução de gases que intensificam o efeito estufa. A lista abaixo apresenta algumas ações, como:   

  • Reduzir desmatamento;
  • Incentivar o consumo de biocombustíveis;
  • Modernizar os processos industriais;
  • Estimular o uso de fontes renováveis como: energia eólica e solar;
  • Reduzir a produção de lixo;
  • Investir na reciclagem e reutilização de materiais;
  • Melhorar as ações agropecuárias;
  • Incentivos aos hábitos sustentáveis;
  • Economizar energia;
  • Diminuir o consumo de carnes suínas e bovinas;
  • Utilizar transportes coletivos;
  • Utilizar meios de transportes como bicicleta ou caminhar.
Voltar

Questões