Resumo de Biologia - DST-Doença Sexualmente Transmissível

 Usar preservativo é a melhor forma de prevenção

DST – Doença Sexualmente Transmissível é a doença transmitida através do ato sexual, pelo parceiro ou parceira infectados. 

Para que ocorra a transmissão é necessário o contato sexual, sem o uso do preservativo. Algumas DST's também podem ser transmitidas através de transfusão de sangue, compartilhamento de agulhas, seringas e outros objetos cortantes, ou através do parto e gestação, através do contato entre a mãe infectada e o bebê. 
Alguns dos sinais da DST são o aparecimento de feridas, corrimentos, verrugas ou bolhas nas genitais, tanto femininas como masculinas. Porém, algumas dessas doenças sexualmente transmissíveis podem não apresentar indícios. Por isso, a importância de ir ao médico com frequência e se atentar para qualquer mudança no corpo. As mulheres, principalmente, podem confundir alguns sintomas com reações normais do seu organismo. 
A DST, quando descoberta no início e tratada de forma correta, não traz grandes prejuízos à saúde do indivíduo. Porém, quando não é tratada, pode evoluir e gerar algumas complicações, como câncer, e até a morte. 

DST: como prevenir?

O uso da camisinha é ainda o melhor método para prevenção da DST. Algumas feridas provocadas por ela podem ficar fora do perímetro coberto pelo preservativo, mas, mesmo não livrando o indivíduo de todas as doenças, o seu uso pode reduzir em até 95% a chance de contraí-las. 
Não existe relação sem risco. Até mesmo os casais que estão juntos há bastante tempo, precisam se prevenir. Quando usadas corretamente, as camisinhas, tanto a masculina como a feminina, podem evitar problemas mais graves. Contudo, principalmente entre os jovens, a camisinha é estigmatizada como “desconfortável” ou como um obstáculo na intimidade.
Mesmo sendo um assunto recorrente, tanto em sala de aula como nas redes sociais ou no dia a dia, o uso da camisinha ainda é negligenciado pelos jovens. O que eles não compreendem é que qualquer pessoa está vulnerável às doenças sexualmente transmissíveis, e isso não depende da quantidade de parceiros conquistados ao longo da vida.
Outra compreensão importante é a de que, após o contágio, seja feito o tratamento necessário e correto. O ideal é procurar um médico quando acontecerem os primeiros sintomas, e a partir do diagnóstico, buscar o tratamento adequado. Algumas DST's têm cura, e as que não tem, quando tratadas de forma correta, possibilitam uma melhor qualidade de vida para esses sujeitos, como os portadores de HIV, por exemplo.
Em todo o país são distribuídas camisinhas gratuitamente nos postos de saúde do SUS. Nas farmácias e mercados também é possível comprá-las facilmente, encontrando ainda diversos modelos, cores, tamanhos e até sabores. 

Tipos de DST's

São vários os tipos de DST's, com transmissões e tratamentos diferenciados. Veja uma pequena lista com algumas delas e as suas formas de prevenção:
HIV/Aids: o HIV é o vírus da imunodeficiência humana e causador da Aids. A pessoa portadora desse vírus tem o seu sistema imunológico enfraquecido, incapaz de reagir contra doenças e infecções. Dessa forma, o próprio tratamento da doença é difícil de ser realizado.
Apesar de, antigamente, a Aids ser considerada uma sentença de morte para quem recebe o seu diagnóstico, hoje em dia é possível ter uma melhor qualidade de vida convivendo com o vírus, através do uso de medicamentos e o tratamento adequado.
Além do contato sexual sem camisinha, o HIV pode ser transmitido por transfusões de sangue e pelo uso compartilhado de agulhas, seringas ou demais matérias cortantes. Também pode ser transferido de mãe para bebê, no parto. 
Sendo assim, a melhor maneira de prevenção é o uso do preservativo em todos os tipos de relação sexual, o não compartilhamento de objetos e, no caso das grávidas, realizar o pré-natal adequadamente. 
HPV: o papiloma vírus humano, conhecido como HPV, é um dos vírus mais adquiridos pelas mulheres. Assim como pode causar verrugas na região genital, essa DST pode se transformar em câncer do colo do útero e o câncer de ânus, por exemplo.
A forma de transmissão do HPV é pelo contato direto entre a pele e a mucosa infectada pelo vírus. Para que isso aconteça, não é necessária a penetração no ato sexual. Além do uso do preservativo para sua prevenção, ejá existem vacinas tanto para meninos quanto para meninas entre 9 e 26 anos de idade. O exame Papanicolau é eficiente na descoberta desta DST  ainda na fase inicial.

Sífilis: causada pela bactéria , essa DST se manifesta em três estágios. Nos dois primeiros é possível perceber a presença de feridas nos órgãos sexuais e ínguas na região da virilha. Esses sintomas podem desaparecer com o tempo, o que faz com que o paciente acredite que está curado. 

Portanto, a doença pode ficar estacionada no organismo, gerando complicações no futuro, como cegueira, AVC, problemas cardíacos e até a morte.  O ideal é que o indivíduo procure o médico se perceber qualquer sintoma diferente no corpo.
Tricomoníase: em geral, a tricomoníase ataca mais as mulheres. Causada pelo protozoário , é transmitida através da relação sexual ou do contato com secreções de uma pessoa contaminada. 
Costuma causar corrimento amarelado, coceira, dor e odor forte e desagradável. Sentindo algum desses sintomas, deve-se procurar o médico para receber o tratamento necessário, que geralmente é feito com o uso de antibióticos. Como é uma DST, a melhor maneira de prevenção é com o uso do preservativo nas relações sexuais.
Voltar

Questões