Resumo de Biologia - Doenças causadas por fungos

As doenças causadas por fungos são normalmente identificadas através das micoses na pele, unhas, mucosas ou couro cabeludo. Doenças que aparentemente são inofensivas, quando aliadas a queda no sistema imunológico ou ferimentos na pele, elas podem provocar outras enfermidades que driblam a proteção do organismo. 

Além das doenças superficiais, existem algumas doenças causadas por fungos que podem causar lesões profundas, que chegam a afetar a circulação sanguínea e órgãos, como: esportoricose, histoplasmose, aspergilose, entre outras.

Principais doenças causadas por fungos

Apesar de haver muitas doenças causadas por fungos, algumas são mais conhecidas como por exemplo:

Pano branco

Essa doença é causada pelo fungo Malassezia furfur e provoca manchas arredondadas na pele. Normalmente de cor branca, as manchas são dessa cor pois os fungos impedem a produção de melanina quando a pele é exposta ao sol. Elas são mais comuns nas regiões do tronco, abdômen, pescoço, face e braços.  

Este tipo de infecção por fungo é mais comum em climas quentes e úmidos, sendo, por isso, muito frequentem em vários locais do Brasil.

Possíveis causas: O calor excessivo, oleosidade da pele e pré-disposição genética são alguns dos fatores que podem causar o pano branco. Além disso, pessoas com o sistema imune enfraquecido, como crianças, idosos ou com doenças autoimunes, como HIV, lúpus ou artrite reumatoide, também têm maiores chances de ter esta infecção da pele.

Tratamento: Sob orientação médica, o tratamento costuma ser realizado através de cremes ou loções a base de antifúngicos, como Clotrimazol e Miconazol. Em alguns casos, quando a lesão é maior, são indicados comprimidos, como Fluconazol.

Candidíase

Ocasionada pelo fungo Candida albicans, a candidíase permanecesse naturalmente no organismo humano. Porém, mesmo parecendo ser inofensivo ele pode causar diversas infecções no organismo.

Algumas regiões do corpo são mais propícias para a doença como: virilha, axilas, entre os dedos, nas unhas, além da boca, esôfago, vagina e reto.

O caso mais grave da doença pode ser chegar a afetar as correntes sanguíneas e órgãos como o pulmão, coração e rim.

Uma das infecções que mais afetam os bebês é a candidíase oral. A baixa imunidade das crianças aumenta os riscos de contaminação.

Outra infecção bastante comum entre as mulheres é a candidíase vaginal. Ela fica normalmente na região da flora vaginal e se desenvolve com mais facilidade quando o sistema imunológico está enfraquecido ou quando não há uma higienização correta.

Tratamento: O tratamento para candidíase é feito principalmente com pomadas antifúngicas como Fluconazol, Clotrimazol, Nistatina ou Cetoconazol. Vale ressaltar que, nos casos mais graves, pode ser necessário a utilização de medicamentos em comprimido ou na veia.

Aspergilose

É uma doença que afeta o sistema respiratória e é capaz de provocar alergias, além de agravamento na sinusite e otites.

O Aspergilose pode ser identificado em diversas partes da casa, principalmente nos cantos da parede e/ou banheiros. Ao invadir a região pulmonar, ele pode provocar lesões, chamadas de bolas fúngicas, ocasionando falta de ar, perda de peso, febre e até mesmo secreção com sangue.

É importante ressaltar que alguns sintomas como tosse, falta de ar e febre, podem ser agravados rapidamente, chegando a afetar o cérebro, o coração ou os rins.

Algumas reações podem ser causadas principalmente em pessoas que possuem doenças pulmonares, como: febre acima de 38ºC; tosse com sangue ou catarro; sensação de falta de ar; coriza e dificuldade para sentir cheiros.

Tratamento: O tratamento para aspergilose é feito com antifúngicos potentes, como Itraconazol ou Anfotericina B, que devem ser usados de acordo com a orientação do médico.

Como evitar as doenças

Alguns procedimentos básicos podem ajudar a impedir a proliferação de fungos e, consequentemente, reduzir os riscos de doenças, como por exemplo:

  • Enxugar bem todas as partes do corpo ao sair do banho;
  • Usar roupas frescas e bem limpas, principalmente na época de altas temperaturas;
  • Não andar descalço em locais úmidos e de grande circulação de pessoas (vestiários, saunas, etc.);
  • Não compartilhar instrumentos de manicure;
  • Evitar usar meias de tecidos sintéticos. As de algodão são as mais recomendadas;
  • Evitar contato físico com pessoas que estão com doenças de pele (muitas micoses são contagiosas);
  • Em caso de suspeita, procurar rapidamente um dermatologista ou médico clínico geral. Identificar e tratar com rapidez doenças deste tipo é fundamental para que ela não aumente e possa se espalhar pelo corpo.
Voltar

Questões