Resumo de História - Diretas Já

As “Diretas Já” foi um movimento político e popular realizado durante os anos de 1983 e 1984 e que levou milhões de pessoas para as ruas. Contou com a participação de partidos políticos, lideranças sindicais, trabalhadores, artistas, intelectuais e teve como objetivo exigir a realização de eleições diretas para o cargo de Presidente da República.

Durante as manifestações, foram realizados diversos comícios e apresentações musicais com a proposta de repudiar o regime militar e chamar a atenção do Congresso Nacional para a aprovação da Emenda Constitucional que reinstaurava a abertura política.

Apesar do grande apelo popular, as eleições para presidente somente aconteceram em 1985, e mesmo assim de forma indireta. O voto direto foi realizado apenas em 1989, mais de 20 anos após ser instaurada a Ditadura Militar no Brasil.

Histórico

O Brasil passava por mais de 20 anos de ditadura militar. A sociedade cansada das repressões e violências exigia dos representantes políticos propostas que possibilitassem a volta das eleições diretas.

No mês de março de 1983, o deputado federal Dante de Oliveira propôs uma Emenda Constitucional com objetivo de restaurar as eleições diretas. No mesmo ano, o senador alagoano Teotônio Vilela levantou a ideia de um movimento para apoiar as eleições diretas.

A primeira manifestação aconteceu em março de 1983, na Região Metropolitana de Recife. Após esse primeiro movimento, diversos outros foram realizados no mesmo ano, inclusive um em frente ao Estádio do Pacaembu na cidade de São Paulo.

Com o agravamento da crise econômica (aumento da inflação, crise no preço do petróleo e déficits fiscais) e mesmo com a repressão do regime militar, os movimentos populares tomaram força e mobilizaram sindicatos, entidades de classe, partidos políticos, artistas e intelectuais.

O movimento cresceu e em 25 de janeiro de 1984 reuniu mais de um milhão de pessoas no Vale do Anhangabaú, cidade de São Paulo, para manifestar apoio às Diretas Já.

Comícios

Mais de 30 comícios e passeatas foram realizados de 1983 a 1984 em apoio às Diretas Já. Os encontros aconteceram em diversos estados do Brasil, mas principalmente em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco.

Os maiores comícios reuniram mais de um milhão de pessoas. Foram eles:

Comício da Candelária

Manifestação realizada em 10 de abril de 1984, o comício da Candelária aconteceu no Rio de Janeiro em frente à igreja do mesmo nome. Começou a ser organizado três dias antes da data programada e levou cerca de um milhão de pessoas para as ruas.

Teve a participação de diversos políticos como Leonel Brizola, Fernando Henrique Cardoso, Luis Inácio Lula da Silva, Ulisses Guimarães, além de artistas como Maitê Proença e Fafá de Belém. Esta última foi a responsável por cantar o Hino Nacional e encerrar a manifestação.

Última passeata

O último evento pelo movimento das Diretas Já aconteceu no dia 16 de abril de 1987. A passeata saiu da Praça da Sé, na cidade de São Paulo e foi em direção ao Vale do Anhangabaú. Levou para as ruas mais de um milhão e meio de pessoas.

O comício final contou com a cobertura de diversas emissoras de TV, participação de vários partidos políticos e sindicatos de trabalhadores. Foi a segunda maior manifestação realizada no Brasil, ultrapassada em 2017 pelo movimento que pediu o Impeachment de Dilma Rousseff.

Lideranças das Diretas Já

O movimento das Diretas Já contou com apoio de diversas personalidades políticas, artistas e intelectuais, entre os quais:

  • Fafá de Belém: a cantora foi grande atuante durante o movimento. Participou de diversos comícios e cantou em vários deles;
  • Tancredo Neves: político foi eleito em 1985 com apoio da oposição;
  • Chico Buarque: cantor e compositor foi muito atuante durante a Ditadura a e movimentos pelas diretas;
  • Eduardo Suplicy: economista, professor universitário, administrador de empresas e político brasileiro; Aderiu ao movimento e participou de comícios em diversos estados; 
  • Sócrates (futebolista): participou ativamente do movimento.

Participaram ainda:

  • Miguel Arraes;
  • José Richa;
  • Christiane Torloni;
  • Mário Lago;
  • Gianfrancesco Guarnieri;
  • Ulysses Guimarães;
  • Leonel Brizola;
  • André Franco.

Proposta de Emenda Constitucional

A Emenda Constitucional Dante de Oliveira (PEC nº 05/1983) foi proposta pelo deputado federal Dante de Oliveira (PMDB) e tinha como objetivo alterar os artigos 74 e 148 da Constituição Federal de 1967 para a realização das eleições diretas para Presidente do Brasil.

Foi a partir da emenda que o movimento das Diretas Já começou a tomar fôlego. Mas apesar do apoio popular, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.

Uma nova eleição indireta foi realizada em 1985 e Tancredo Neves foi eleito o novo presidente. Os longos anos da Ditadura Militar no Brasil foram, então, encerrados.

Músicas

O período em que aconteceu as manifestações pelas Diretas Já foi de grande riqueza para a música nacional. Diversos compositores escreveram letras que se tornaram ícones para o período.

Seguem três músicas mais populares nas manifestações:

“Não me venha com indireta”

Escrito por Noca da Portela e Ratinho de Pilares a música “Não me venha com indireta” foi lançada em 1984 e fala abertamente sobre a necessidade de serem realizadas eleições diretas.

Não me venha com indireta
Que eu não aceito, não
Eu não, eu não
A moçada está inquieta
Querendo uma solução
E o meu povão
Já não guenta a dieta
Que afeta o seu coração
Se segura, meu irmão
Que o negócio é uma direta
A meta é a eleição

“Menestrel das Alagoas”

Escrita em 1983 pelos compositores Milton Nascimento e Fernando Brant. A canção foi uma homenagem ao senador Teotônio Vilela, político alagoano que lutou pela redemocratização do país.

Quem esse?
De quem essa ira santa
Essa sade civil
Que tocando a ferida
Redescobre o Brasil?
Quem esse peregrino
Que caminha sem parar?
Quem esse meu poeta
Que ninguém pode calar?
Quem esse?

“Coração de Estudante”

Composta em 1983 por Milton Nascimento e Wagner Tiso, a música Coração de Estudante é até hoje considerada o Hino das Diretas Já. Em 1984, foi cantada em show no Rio de Janeiro para 60 mil pessoas que levantaram e agitaram faixas e bandeiras.

Já podaram seus momentos
Desviaram seu destino
Seu sorriso de menino
Quantas vezes se escondeu
Mas renova-se a esperança
Nova aurora a cada dia
E há que se cuidar do broto
Pra que a vida nos dê
Flor, flor e fruto

Voltar

Questões