Resumo de Raciocínio Lógico - Dedução, Indução e Abdução

Neste resumo, vamos conhecer as principais diferenças entre Dedução, Indução e Abdução.

Na dedução, a conclusão apenas explicita ou reformula o que já havia sido dito pelas premissas, o raciocínio objetiva tornar explícito o conteúdo das premissas. 

Na indução, a conclusão enuncia algo que supera a informação contida na premissa, o raciocínio objetiva ampliar os conhecimentos do pesquisador/leitor. Ex: 

Indução

É o princípio lógico segundo o qual se deve partir das partes para o todo. Ou seja, ao fazer uma pesquisa, deve-se ir coletando casos particulares e, depois de certo número de casos, pode-se generalizar, dizendo que sempre que a situação se repetir o resultado será o mesmo. Se, por exemplo, eu quero saber a que temperatura a água ferve. 

Vejo um saco opaco sobre a mesa. Quero saber o que tem dentro”. O que fazer? Uso o método indutivo: vou tirando o conteúdo do saco um a um. Da primeira vez, deparo-me com um feijão branco. Na outra tentativa, de novo um feijão branco. 

Repito a experiência até achar que não restarem mais feijões. Então extraio uma lei: dentro deste saco só há feijões brancos. 


Dedução

É uma forma de raciocínio científico segundo o qual se deve partir do geral para o particular. Assim, devemos primeiro criar uma lei geral e depois observar casos particulares e verificar se essa lei não é falseada. Para os adeptos da dedução, o cientista não precisa de mil provas indutivas. Basta uma única prova dedutiva para que a lei possa ser considerada válida. 

No exemplo do saco de feijão, imagine que o vendedor nos disse que ele estava cheio de feijões brancos. Então retiro um feijão de dentro do saco. Se for branco, então minha hipótese está, por enquanto, correta. Um problema da dedução é que ela geralmente se origina de induções anteriores. Geralmente fazem uma lei geral depois de já se ter observado casos particulares. Eis o processo do raciocínio dedutivo.


Abdução

No método da Abdução, observa-se um fenômeno e, a partir deste, tecemos uma premissa que, se fosse verdadeira, explicaria naturalmente o fenômeno. No caso, se fosse verdade que os computadores da marca X sempre estragam, seria natural que o meu computador estragasse mesmo. Assim, por abdução, entendo que provavelmente é verdade que os computadores da marca X sempre estragam.

Voltar