Resumo de Antropologia - Cultura do Nordeste

As manifestações culturais que se destacam nos nove estados


A cultura do Nordeste é bastante rica e diversificada. Nessa região do país, são encontrados elementos culturais provenientes dos três principais povos envolvidos no processo de construção da identidade política, cultural e social brasileira, a saber: os povos indígenas, a população negra e os europeus. Esses elementos são encontrados na culinária, na música, nas festas populares e nas manifestações religiosas.
É importante destacar que a pluralidade da cultura do Nordeste está diretamente ligada com a extensão geográfica que a região possui (os nove estados nordestinos ocupam uma área de 1.554.000 km²). Apesar de possuírem identidades, costumes e manifestações culturais próprias, é inegável que Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe possuem muitos traços culturais em comum.
Ao observar as manifestações culturais que mais sobressaem quando falamos da região Nordeste, fica evidente como a religiosidade atravessa os festejos, a produção artesanal e até mesmo a culinária. A importância da cultura do Nordeste brasileiro já foi reconhecida, inclusive, pela ONU, que através da UNESCO conferiu o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade para o frevo e a capoeira.




Algumas manifestações da cultura do Nordeste


Em se tratando de uma região que possui uma grande extensão territorial, a segunda maior do país, é impossível para um artigo dar conta de tamanha diversidade cultural. Mas conheceremos aqui alguns elementos e manifestações importantes da cultura do Nordeste brasileiro. É importante ressaltar que, alguns deles, são encontrados apenas em alguns estados, mas possuem grande repercussão na região.
Festas juninas
Sem dúvidas, essa é a mais expressiva manifestação da cultura do Nordeste. A nomenclatura diz respeito aos festejos que acontecem durante o mês de junho em homenagem a três santos católicos. No dia 13 a celebração homenageia Santo Antônio (o santo casamenteiro); dia 24, São João; e dia 29, São Pedro.
Durante as festas juninas, diferentes aspectos da cultura do Nordeste são acionados. Na música, temos a presença marcante do forró, um ritmo do sertão nordestino que tem o acordeão ("sanfona"), triângulo e zabumba como principais instrumentos. Na dança, tem lugar a quadrilha junina que, apesar da presença marcante na região, tem origem nas antigas danças populares encontradas nas áreas rurais da França (Normandia) e da Inglaterra.
Na culinária, observamos o reflexo do período de abundância. Os produtos agrícolas abundantes no período são aproveitados de diversas formas. Com isso, a festa junina é marcada pela presença de milho (e diversos pratos feitos com o grão, como canjica, pamonha e bolo), amendoim, laranja e preparados de massa de mandioca.
Poesia e literatura popular
A literatura de cordel é um forte elemento da cultura do Nordeste. Essa manifestação cultural apresenta traços do processo colonial brasileiro, já que sua origem é datada do século XII em países como França, Espanha e Itália. Mas, no Brasil, esse tipo de literatura adquire características próprias, como a linguagem e regionalização dos temas.
Os textos são produzidos em pequenos livretos, nos quais, através de prosa ou verso, são contadas histórias que abordam diferentes temas. Política, religião, folclore e costumes são alguns pontos que podem ser observados na literatura de cordel. Esse tipo de produção tem destaque nos estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.
Frevo
O frevo é uma dança marcante do carnaval de rua de pernambucano. O nome está associado à celeridade com que ele deve ser dançado e surge a partir do verbo ferver, coloquialmente verbalizado como “frever”, em uma referência ao quão acelerado devem ser feitos os passos da dança. Tradicionalmente, o ritmo é dançado com uma sombrinha na mão e trajes coloridos.
Essa expressão da cultura do Nordeste possui reconhecimento nacional e internacional de sua importância. Desde 2007, o frevo possui o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). E em 2012 foi incluído na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.
Capoeira
A capoeira pode ser descrita como dança e luta ritmada. Ela é um dos elementos da cultura do Nordeste introduzidos pelos povos negros escravizados. Os movimentos realizados durante uma roda de capoeira são acompanhados pelo som do berimbau, uma espécie de instrumento musical, cantos e palmas. Essa expressão cultural é preservada e perpassada através dos mestres de capoeira.
Atualmente, rodas de capoeira são realizadas em diversos países ao redor do mundo. Mas em sua origem está uma tentativa de socialização entre aqueles que foram submetidos à escravidão. Assim como o frevo, a capoeira foi reconhecida pela UNESCO como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade
Voltar

Questões