Resumo de Geografia - Cuba

Cuba é uma ilha localizada no Mar do Caribe (Mar das Caraíbas), na América Central e Caribe, e seu nome oficial é República de Cuba. No século XX, o país teve um papel na geopolítica muito importante por ser o único Estado Socialista que ficava perto dos Estados Unidos da América.

É uma República Socialista Leninista-Marxista Unitária e, além da capital Havana ser a maior cidade do país, Santiago de Cuba, Santa Clara e Varadero, são outras cidades importantes. Possui área de 110.861 km² e o espanhol como língua predominante.

Sua bandeira tem origens maçônicas e foi criada no ano de 1849, pelo General Narciso López (1797 – 1851), mas só foi oficializada quando se tornou independente, no ano de 1902.  Possui cinco faixas horizontais, alternando as cores – três azuis e duas brancas -, que representam os ideias de liberdade, igualdade e fraternidade. Na esquerda, um triângulo vermelho com uma estrela branca no meio que representa a solidão de um país independente com ideais de humanidade.

É a principal ilha da República seguida pela Ilha da Juventude, além de mais 350 ilhas que completam o arquipélago. Suas fronteiras são: Estados Unidos ao norte; Jamaica ao sul; México ao leste; e ilhas como Turco e Caicos a oeste.

No país predomina o clima tropical úmido e a temperatura oscila durante o ano entre 18° e 31°. Tem duas estações: de novembro a abril predomina o clima seco e de maio a outubro o clima predominante é chuvoso e quente.

A ilha sofre constantemente com furacões. Eles acontecem principalmente entre os meses de agosto e outubro e isso se deve por conta da localização, como também em decorrência das tormentas caribenhas.

História de Cuba

Cuba, como a maior parte das ilhas do Caribe, era habitada por índios das etnias Taínos e Ciboneys. Essa população indígena acabou sendo praticamente extinta por causa das doenças e guerras que aconteceram após a chegada dos espanhóis no arquipélago.

O país foi uma das mais prósperas colônias do Império Espanhol e em 1837, com a prosperidade de sua economia, inaugurou a primeira linha ferroviária, antes da Espanha.

Os espanhóis importavam os africanos escravizados para trabalharem com as duas atividades mais importantes da ilha: engenhos de açúcar e plantações de tabaco. Era um porto importante tanto para redistribuir os negros escravizados, como também para ponto de parada dos galeões espanhóis que atravessavam o Atlântico. Com isso era considerada a “Pérola do Caribe” e a “Joia da Coroa”.

Independência de Cuba

Cuba só se tornou independente no final do século XIX e teve forte influência dos EUA, com ajuda de armas, dinheiro e também da política. Primeiro a Coroa Espanhola sufocou toda tentativa de revolta, tanto pelas armas, quanto por concessões econômicas. Depois, a ilha se tornou mais eficiente na vigilância.

Em 1852, o governo americano propôs a compra ao governo espanhol e foi recusada. Os EUA insistiram em comprar mais duas vezes e novamente teve as propostas recusadas pela Espanha.

Revolucionários provocaram vários levantes, querendo que a Espanha reconhecesse a independência, e o resultado disso foi o envio de mais soldados para a ilha. Em 1895, José Martí (1853 – 1895) liderou uma nova tentativa de separação, também fracassada.

Em contrapartida, foi realizada uma campanha contra a Espanha na imprensa, pelos americanos que também acolheram os exilados. O intuito era conseguir apoio da opinião pública para uma possível guerra contra o país europeu.

Guerra Hispano-Americana

No dia 25 de janeiro de 1898 houve a explosão de um navio americano chamado Maine, que estava ancorado no porto de Havana e matou 16 americanos. O governo americano responsabilizou a Espanha pelo atentado, declarando guerra ao país. Sem saída, os espanhóis perderam seus territórios para os EUA.

Protetorado Americano

Quando a guerra acabou, os EUA obrigaram o governo a aceitar a Emenda de Platt na Constituição de 1903, assim passou a controlar as atividades econômicas da ilha e obteve também a concessão de Guantánamo. A Emenda só seria revogada em 1934.

A Emenda de Platt previa:

  • Cessão de terras aos Estados Unidos;
  • Intervenção militar americana caso a soberania fosse ameaçada;
  • Limitação da divida pública e de empréstimos exteriores;
  • Proibição de tratado com outros países.

Revolução Cubana

Camilo Cienfuegos, Che Guevara, Fidel Castro entre outros, lideraram a Revolução Cubana e inflamaram o mundo na Guerra Fria. A oposição conseguiu derrubar o ditador Fulgêncio Batista, tomou o poder em 1959 e os EUA fracassaram na tentativa de invadir o país pela Baía dos Porcos.

O país então aceitou a ajuda da União Soviética e a partir daí, foi instalado o Socialismo na ilha Caribenha, que conseguiu eliminar o analfabetismo e transformar a saúde em um bem universal, mas seguiu perseguindo seus opositores e censurando jornais, além de proibir os habitantes de deixarem a ilha.

Economia de Cuba

A ilha se transformou em uma grande produtora de açúcar, rum e tabaco após ser colonizada pela Espanha e por causa da influência dos EUA, parte de sua economia se sustentou com a agricultura.

O setor de serviços como a construção de cassinos, hotéis e casas de veraneio para americanos ricos também foi impulsionado. Em 1960, depois da Revolução, o país conseguiu garantir boa parte do mercado soviético para seus produtos e recebia máquinas, peças e petróleo.

Voltar

Questões