Resumo de Português - Conto

Características e os tipos dessa narrativa literária 

O conto é um tipo de texto ficcional. Isso significa que as narrativas trazidas nas suas histórias são curtas, centralizadas em certo acontecimento e marcadas por um momento de grande tensão, chamado de clímax. Além disso, geralmente apresenta poucos personagens, os espaços e cenários são reduzidos e o tempo é limitado. 
Esse tipo de gênero literário é fechado e objetivo, pois caracteriza-se por um início, meio (onde o clímax se revela) e situação final. Diferentemente da novela ou romance, cuja trama envolve enredos secundários, é formado por apenas uma história e conflito. 

Estrutura do conto

 
A narração normalmente é dividida em três etapas e explora alguns elementos para construção da parte de maior intensidade na história. Sendo assim, o conto é estruturado da seguinte forma:
Introdução – Apresenta a situação que será desenrolada ao longo do texto. É o momento que o leitor conhece quem são os personagens, o espaço e tempo que ambientam a narrativa e o acontecimento. 
Desenvolvimento – Presente nos diálogos dos personagens, revela a ação e/ou problema que precisa ser resolvido. É justamente este conflito que resulta no clímax, ponto de tensão máxima. 
Desfecho – é a finalização da história, que pode trazer a solução do problema ou não. A depender do tipo, os personagens são levados a uma nova circunstância ou recebem uma lição de moral. 

Tipos 

Existem alguns fatores que ajudam a construir ou narrar um conto, como o personagem e a época em que o enredo acontece. Essa diversidade também origina subcategorias no gênero, das quais destacam-se:
Conto fantástico 
Narrativas curtas que possuem situações fora da própria realidade. O enredo é sempre marcado pela presença de algo sobrenatural, fatos estranhos e muitas vezes inexplicáveis. No livro "A Metamorfose", do escritor Franz Kafka, por exemplo, o caixeiro-viajante Gregor Samsa acorda e percebe que transformou-se em um inseto, acontecimento que é totalmente distante da realidade. 
Ficção científica 
Como o nome já sugere, é o gênero que inclui elementos científicos ou tecnológicos para o desenvolvimento da trama. Entre os contos brasileiros de ficção científica encontra-se as obras “Rui de Leão” e “O Imortal”, escritas por Machado de Assis. As duas versões mostram a história de um português que toma um elixir da imortalidade, despertando o questionamento se a poção é mística ou somente uma criação baseada nos conhecimentos de quem o fez. 
Conto de fadas
De origem medieval, é uma narrativa composta por fadas, bruxas, duendes animais personificados, etc. Como os lugares e tempos geralmente não são determinados, caracteriza-se pela expressão “Era uma vez” logo de início. Também apresenta um caráter moral, pois o final feliz costuma acontecer para os personagens que têm comportamentos bondosos. 
Confira, abaixo, como começa um dos contos mais famosos: A Bela e a Fera.
"Era uma vez um rico comerciante que tinha três filhas, cada uma mais encantadora que a outra. A mais moça era tão linda — de mente, corpo e coração — que a chamavam de Bela. O pai dava às filhas tudo o que queriam, e também uma boa educação. As duas irmãs mais velhas não ligavam muito para essa parte, gostavam mesmo era de se vestir elegantemente e dançar a noite inteira. Já Bela adorava livros". 
Madame de Beaumont
Além desses, há os chamados de realistas, infantojuvenis, eróticos, terror, humor, populares e psicológicos. 


Propriedades do gênero 

Para que uma narrativa literária seja classificada como conto, certos elementos são indispensáveis. A seguir, veja cada um deles:
Personagens
Embora o conto tenha poucos personagens, correspondem aos seres – tanto humanos quanto animais, plantas e objetos falantes – que vivenciam a história, sendo os executores da ação ou os que sentem as consequências. Eles ainda são definidos como principais ou secundários. 
Foco narrativo 
Refere-se ao narrador, ou seja, aquele que conta os fatos. Essa categoria é separada em:
Narrador-personagem: narra a história em primeira pessoa do singular ou plural (eu, nós), ou seja, participa do enredo e o preenche com suas subjetividades e emoções. Com isso, o leitor tem acesso somente ao seu ponto de vista. 
Narrador-observador: não participa das ações, apenas conta a história na terceira pessoa (ele (a)/eles (as). É objetivo e imparcial diante dos acontecimentos, mas sabe toda a trama envolvida. Contudo, não tem conhecimento íntimo dos personagens, como pensamentos e experiências passadas ou futuras. 
Narrador-onisciente: costuma aparecer na terceira pessoa, mas, como sabe tudo sobre os personagens (sentimentos, emoções, intimidades), pode atuar como uma “voz” (narrada em primeira pessoa). Usa-se o discurso indireto livre para trazer tanto o passo quanto o futuro dos envolvidos.
 
Tempo
Delimita o período que a história acontece. Pode ser entendido de três maneiras:
Cronológico: os fatos ocorrem de maneira linear. O tempo de duração entre o começo e o final é medido em horas, dias, meses, anos, etc.
Psicológico: baseia-se na memória e imaginação do narrador ou personagem, descrevendo as sensações vivenciadas em determinados momentos. 
Flashback: remete a uma volta no tempo, possibilita que o acontecimento seja relembrado ou compartilhado. 
Espaço
Trata-se do cenário onde o enredo é desenrolado, que pode ser físico (casa, rua, parque, escola, etc.) ou social (condições socioeconômicas, psicológicas e morais). 
Enredo
É a série de ações que define a história, o elemento que permite o início, meio e fim de uma narrativa. Expressa-se através dos diálogos (direto, indireto ou interior) contidos no texto. 
Conflito
Como o conto é um gênero curto, corresponde a uma situação e ou/problema experimentada pelos personagens. É o elemento que contribui para o clímax, que pode levar a um desfecho imprevisível ou surpreendente. 
Voltar

Questões