Resumo de Geografia - Comunidade dos Estados Independentes (CEI)

A organização surge a partir da destituição da URSS

Você já ouviu falar da Comunidade dos Estados Independentes (CEI)? Se sua resposta foi negativa, este artigo é o instrumento para a acabar com esse desconhecimento. Continue a leitura e descubra o que é essa organização, quem são os participantes e para que ela foi criada. Esse conhecimento pode ser de grande importância nos processos seletivos para ingresso no ensino superior, como o Enem, e também vai ajudar no seu desempenho escolar.
Vamos começar nossa imersão na Comunidade dos Estados Independentes (CEI), explicando que ela é um dos resultados da extinção da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1991, quando a gigante socialista se desagrega, as nações que integravam a URSS se tornaram independentes, contudo, ainda nutriam fortes relações de dependência política, econômica e militar. Esse é um dos motivos para que eles se organizassem em comunidade.
 
De início, a CEI foi formada por apenas três dos estados independentes, sendo eles Bielorrússia, Ucrânia e a Federação Russa (ou Rússia, como é mais popularmente conhecida). Letônia, Estônia e Lituânia se mantiveram de fora, pois não queriam ser influenciados pela Rússia dentro da comunidade. Atualmente, além dos três primeiros membros, Armênia, Azerbaijão, Cazaquistão, Moldávia, Quirquistão, Tadjiquistão, Uzbequistão e Turcomenistão (como membro associado) integram a Comunidade dos Estados Independentes (CEI).


Um pouco de contexto histórico

Como já foi dito, o Comunidade dos Estados Independentes (CEI) surgiu no ano de 1991, mais precisamente no mês de dezembro desse ano. Nos meses anteriores, aconteciam os eventos da história mundial que possibilitariam a criação dessa nova forma de organização dos antigos membros da URSS. Vamos listar alguns deles!
Em setembro, no final da Guerra Fria, as repúblicas soviéticas que formavam a URSS conseguiram a independência política do bloco. Esse também foi o período de surgimento dos blocos econômicos, a exemplo da União Europeia, fato que, aliado à dependência que havia se estabelecido entre aqueles países durante o período de existência da URSS, incentivou o surgimento de uma nova forma de cooperação entre eles.
No dia 08 de dezembro, a Federação Russa, a Ucrânia e a Bielorrússia, iniciaram as discussões acerca de um projeto de cooperação econômica entre essas nações, que ficou conhecido como Acordo de Minsk e, mais tarde, desencadearia na Comunidade dos Estados Independentes (CEI). No dia 21 do mesmo mês, foi assinado o Tratado de Alma-Ata, no Cazaquistão. E a partir desse momento que, Armênia, Quirguistão, Uzbequistão, Azerbaijão, Cazaquistão, Moldávia, Tadjiquistão e Turcomenistão passaram a integrar a CEI.
Dois anos depois, em 1993, a Geórgia passou a fazer parte do novo bloco de países soviéticos. Contudo, em 2009, o país deixou de fazer parte da organização. A decisão foi motivada por um referendo popular que externalizou o repúdio do país ao apoio da Rússia para que as províncias de Abkhasia e Ossétia do Sul se tornassem independentes.
Dentre as 15 repúblicas que constituíram a União Soviética, Letônia, Estônia e Lituânia foram as únicas que, desde o início se mantiveram de fora da CEI. Como esses países haviam sido anexados à URSS contra a vontade, a independência que havia conquistado com o fim do estado socialista tornou-se a oportunidade que eles precisavam para se manter livres da influência Russa.

Características da Comunidade dos Estados Independentes (CEI)

Uma vez que é constituída por diferentes países, pode-se dizer que a CEI é uma organização intergovernamental. Mas, ainda que seja formada por nações diferentes com interesses em comum, ela não pode ser interpretada como um bloco econômico. Isso acontece porque dentro da CEI não há políticas comerciais. Por outro lado, os países que fazem parte da Comunidade dos Estados Independentes (CEI) partilham acordos políticos, econômicos e até mesmo possuem moeda própria: o rublo russo.
A população aproximada da CEI é de 275 milhões de habitantes, sendo a Rússia responsável por quase metade dessa população: 140,8 milhões de habitantes. A hegemonia da Federação Russa na Comunidade dos Estados Independentes também se expressa em fatores econômicos, militares e de condição geopolítica global. Em 2019, os membros da comunidade foram responsáveis por movimentar um PIB de 587,8 bilhões de dólares.
Ainda no que diz respeito às características da CEI, é importante ressaltar a estrutura do bloco. A comunidade possui sede na cidade Minsk, capital da Bielorrússia. E, administrativamente, é constituída por dois conselhos. O primeiro é formado pelos chefes de Estado de cada uma das nações integrantes do bloco, no segundo estão reunidos os chefes de Governo.
Os conselhos se reúnem trimestralmente para a tomada de decisões coletivas do bloco, com vistas à cooperação econômica entre os estados. Contudo, diferente do que acontecia quando estavam incorporados à URSS, a soberania política de cada nação é respeitada.
Voltar

Questões