Resumo de Biologia - Cnidários

Classificação, Fisiologia e Estrutura Corporal

Os Cnidários (Filo ) formam um grupo de animais invertebrados que têm como principais representantes: as medusas ou águas-vivas e anêmonas-do-mar. As espécies, possuem uma organização corporal bem simples, porém um pouco mais complexa do que o corpo das esponjas.
Os cnidários também recebem o nome de celenterados, pois foram os primeiros animais a desenvolverem uma cavidade digestiva no corpo, uma importante evolução estrutural que depois foi mantida entre os outros animais.
Os cnidários possuem aspectos bastante peculiares, mas uma das características mais marcantes do grupo é a presença dos cnidócitos, que são as ferramentas de defesa desses animais. 
Em se tratando de tipos morfológicos, são divididos em apenas dois: os pólipos e as medusas. Ainda assim, atualmente, 10.000 espécies de celenterados são reconhecidos e quase todos são do ambiente marinho.

Estrutura

Os cnidários apresentam uma simetria radial, que é aquela em que alguns eixos passam através do animal. O grupo foi o primeiro na escala de evolução a apresentar tecidos verdadeiros, embora não consigam formar órgãos. O filo cnidaria é basicamente composto por:
  • medusas (natantes) - que pode boiar à superfície da água
  • pólipos (sésseis) - vivem fixos, não se locomovem
Ambos podem formar colônias. Os corais, por exemplo, formam colônias sésseis, e as caravelas, colônias flutuantes. Embora apresentem algumas diferenças, os pólipos e as medusas têm aspectos muito comuns ao filo, como por exemplo, a presença do cnidócito.
O cnidócito é um tipo de célula especial, que garante a defesa desses animais. Presente em maior quantidade nos tentáculos, o cnidócito possui organelas, denominadas cnidas. O tipo mais comum de cnidas são chamadas de nematocistos, uma cápsula que contém um filamento enrolado que dispara um líquido urticante armazenado em seu interior.
Essa substância pode provocar queimaduras graves no homem ou também pode perfurar o corpo da presa e dos predadores, causando uma lesão, paralisia ou até mesmo a morte.
Outra característica estrutural comum a ambos é que o corpo do cnidário tem duas camadas de célula: a epiderme (externa), que é derivada da ectoderme e a gastroderme (camada mais interna) que deriva da endoderme.
 
  • Pólipos e medusas
Como explicado anteriormente, os cnidários têm duas variações morfológicas, o pólipo e a medusa. Algumas espécies passam todo o tempo com apenas uma das formas, outras podem desenvolver um estágio polipoide ou medusoide.
Medusa - as medusas são organismos livres e natantes, ou seja, elas podem se mover. Têm formato de sino e sua boca e tentáculos ficam voltados para baixo. Diferente da outra forma de cnidário, as medusas possuem uma mesogleia (matriz extracelular gelatinosa) bastante desenvolvida. As águas-vivas são exemplos de medusas.
Pólipo - os pólipos são sésseis, ou seja, normalmente não se movimentam, exceto nos casos em que a espécie se sinta ameaçada. Ao contrário das medusas, os pólipos têm formato cilíndrico e estão conectados ao substrato pela superfície aboral. 
Na área que não está conectada ao substrato é localizada a boca do animal, que é cercada por seus tentáculos. Anêmonas-do-mar e hidras são exemplos de pólipos.

Fisiologia

Como a organização desses animais é bem simples, seus sistemas não são tão complexos, como os encontrados nos animais vertebrados. Ainda assim, os cnidários apresentam alguns processos fisiológicos, como:
  • Sistema digestivo- a digestão é extracelular e intracelular. A atividade começa no interior da cavidade gastrovascular e termina no interior das células gastrodérmicas. O que não foi absorvido durante o processo é excretado pela boca.
  • Sistema excretor - os cnidários têm um sistema excretor, sendo assim, o resultado dos alimentos metabolizados ocorre pela superfície do corpo, assim como as trocas gasosas.
  • Sistema nervoso (sistema nervoso difuso) - os celenterados possuem células nervosas espalhadas por toda sua estrutura, o que permite a transmissão de impulsos nervosos em várias direções.

Classificação dos cnidários

O filo pode ser categorizado em quatro classes: , , e .
Classe - Os hidrozoários têm a forma de pólipos e medusas, por isso têm várias formas e ciclos de vida diferentes. As caravelas e as hidras são os tipos de hidrozoários mais conhecidos e podem ser encontrados em água salgada ou doce.
Classe - Os principais representantes dessa classe são as águas-vivas. Geralmente, elas possuem um tamanho maior que o das hidromedusas por conta da sua especialização e evolução.

Classe - os cubozoários ou cubomedusas são medusoides em forma de cubo, sino ou caixa. A classe possui uma das espécies mais perigosas já conhecidas, a . 

Também chamada de vespa-do-mar, a espécie tem uma toxina muito potente, comparada até a algumas cobras. Quando penetra em outros organismos, o líquido pode causar dores intensas, dificuldades para respirar, parada cardíaca e levar à morte.

Classe - os antozoários são a maior classe do reino, apresentando mais de 6 mil espécies. Diferente dos demais, os antozoários não têm estágio de medusa e podem ficar sozinhos ou formar colônias. As anêmonas e os corais são os representantes desse grupo.
Voltar

Questões