Resumo de Biologia - Centríolos

Essas organelas podem se autoduplicar antes da divisão celular

Os centríolos são organelas citoplasmáticas que marcam presença em células eucarióticas ou células eucariontes, com exceção apenas dos fungos e células vegetais que possuem sementes (gminospermas e angiospermas.)
Os centríolos têm como principal função a separação do material genético na divisão celular e a capacidade de formar cílios e flagelos. Além disso, essas organelas:
- Auxiliam a estruturação celular e os processos de meiose e mitose que garantem divisão celular, regeneração dos tecidos e reprodução;
- Organizam o fuso mitótico;
- Podem se duplicar ao logo do ciclo que incorpora a divisão celular;
- Se deslocam em direção aos polos da células para formar os cílios e flagelos. 
Para entender melhor qual papel os centríolos desempenham, é preciso conhecer o sistema a que eles fazem parte. 

O que são Organelas Citoplasmáticas?

Como explicado acima, os centríolos são organelas citoplasmáticas. Mas o que isso quer dizer? No interior celular há uma estrutura chamada citoplasma e nele há repartições separadas entre si denominadas organelas ou orgânulos. 
Essas organelas são responsáveis pela respiração, fabricação, armazenamento de substâncias. Além dos centríolos, também são organelas citoplasmáticas: 
Ribossomos – organelas não membranosas responsáveis pela síntese proteica.
Citoesqueleto – encontrado em células eucarióticas e tem como funções a organização interna da célula, seu formato, garante a transferência de substâncias e movimento de organelas no espaço intracelular e demais movimentos celulares. 
Retículo endoplasmático – também encontrado nas eucarióticas, o retículo endoplasmático promove o transporte de substâncias pelo citoplasma.
Complexo de golgi – composto por membrana lipoproteica, ele tem como função a secreção celular.
Lisossomos – organelas que se originam no complexo golgiense e fazem a digestão intracelular.
Mitocôndrias – organelas que liberam energia para o metabolismo celular.
Cloroplastos – também atuam nos processos energéticos, sendo responsável pela fotossíntese.
Vacúolos – estruturas que armazenam água, sais minerais, carboidratos, aminoácidos. 
Parede celular – comum entre os vegetais, essa estrutura fornece proteção extra à membrana plasmática. 
Os centríolos também compõe esse grupo e desempenham uma função muito importante. Por isso, vamos nos aprofundar um pouco mais nessa organela. 

Centríolos: função, estrutura e características

Os centríolos são constituídos por túbulos de proteínas. Essas organelas citoplasmáticas são comuns nas células eucariontes. Porém, nas células de fungos complexos e plantas superiores e nematoides, não há presença de centríolos. 
Normalmente, eles estão na maior parte das células de algas, vegetais inferiores como as briófitas e pteridófitas e células de animais, sendo fundamentais para esses organismos. 
Os centríolos ficam situados próximos ao núcleo, em uma região chamada de centrossomo, organizados em pares e perpendiculares uns aos outros. Embora apresentem uma organização bem simples, são essenciais para o funcionamento celular. Sua distribuição ocorre da seguinte forma:
Um conjunto de microtúbulos compostos por proteínas globulares alfa e beta em ordenação padrão: são nove grupos, cada um composto por três microtúbulos, conectados por proteínas chamadas de dineínas. 
Entre as funções desempenhadas, destacam-se:
  • Composição do fuso aromático durante a divisão celular por meiose e mitose. 
Os pares da organela se deslocam, cada um, para lados opostos da células e espalham projeções em formação de estruturas filamentosas. Posteriormente, os feixes filamentosos se conectam à área mais condensada dos cromossomos, que, de forma equivalente, faz a separação dos cromossomos homólogos ou das cromátides irmãs.

  • Formação dos cílios e flagelos
A depender do organismo, que pode ser unicelular ou multicelular, os centríolos desenvolvem cílios ou flagelos, essenciais para diversas atividades. Em algas e protozoários, por exemplo, eles são úteis na absorção de partículas e também indispensáveis para a locomoção. 

Cílios e Flagelos

Os cílios e flagelos são estruturas formadas a partir dos centríolos, que participam da locomoção e revestimento das células especializadas. Eles migram da região do centromosso para a periferia da célula e se desenvolvem por meio do alongamento de seus microtúbulos. 
Nesse processo, eles são acompanhados pela membrana plasmática, que os cobre. Embora sejam formados de forma idêntica, seu tamanho e movimentação se diferem. Além disso, essas estruturas proteicas são encontradas em partes diferentes, como veremos a seguir. 
Cílios
Os cílios são mais curtos que os flagelos e desenvolvem a função locomotora. Essas estruturas estão em maior número nas células do que os flagelos e se movimentam de forma semelhante a um chicote. 
Os cílios podem ser encontrados, por exemplo, na traqueia, auxiliando no transporte de muco e eliminação de substâncias. Ao expulsar o muco que lubrifica as vias respiratórios, os cílios tiram do organismo as partículas e bactérias absorvidas através do ar. Eles também estão em alguns grupos de protozoários, garantindo sua locomoção em meio aquoso. 
Flagelos
Os flagelos têm um tamanho maior que os cílios e atuam na mobilidade da célula. Se movimentam por ondulações que se deslocam da base para a extremidade livre do filamento. Geralmente, são encontrados em protozoários e células reprodutoras, como o espermatozoide. 
No espermatozoide humano, o flagelo pode medir cerca de 40 µm (micrometro ou um milionésimo de metro). Essa estrutura é responsável por conduzir o espermatozoide até o ovócito. Os flagelos também podem ser encontrados nos gametas de algumas plantas.
Voltar

Questões