Resumo de Educação Artística - Arte Rupestre

Arte rupestre é o termo que se refere ao tipo de representação artística realizada na Pré-História, mais especificamente no período Paleolítico (40.000 a.C.), e que continuou a ser produzida até o subsequente, o Neolítico.

Consistia em pinturas e gravuras rupestres realizadas em paredes e outras superfícies de cavernas e abrigos rochosos ou mesmo ao ar livre, e podem ser encontradas em locais diversos espalhados pelo mundo.

Acredita-se que a arte rupestre teve início após o surgimento de alguns objetos, como utensílios e esculturas em ossos, chifres e pedras, mas não é possível determinar a idade exata da maioria das imagens localizadas, pois a datação em carbono – técnica mais utilizada para isso – pode não ser tão precisa caso a amostra seja contaminada.

De toda forma, sabe-se que a arte primitiva é de grande importância para a história da humanidade por fornecer dados e informações que contribuem para o entendimento do estilo de vida e desenvolvimento cultural do homem na pré-história. Além disso, permite a análise do comportamento humano em contextos extremos.

Quando e onde surgiu a arte rupestre

Por meio de diversas pesquisas, especialistas acreditam que a arte rupestre teve início com a chegada do homem de Cro-Magnon (população primitiva do homo sapiens) à Europa.

As primeiras formas de arte rupestre foram localizadas pelo farmacêutico, botânico e arqueólogo espanhol Marcelino Sanz De Sautuola, há aproximadamente 150 anos, na Caverna de Altamira, na Espanha. Entretanto, estudiosos da época as consideraram fraude fundamentados no processo apresentado por Charles Darwin sobre a Teoria da Evolução e alegavam que os primitivos não teriam capacidade para criar algum tipo de arte.

Já no século XX, especialistas aceitaram as pinturas conforme apresentadas inicialmente, realizadas por homens pré-históricos, e afirmaram que estes possuíam a mesma capacidade intelectual do homem moderno.

As pinturas consideradas mais antigas estão localizadas na Caverna De Chauvet, na França, e estima-se que foram criadas há cerca de 32 mil anos.

Características

A arte rupestre pode ser dividida em dois tipos: a pintura, realizada com pigmentos em superfícies lisas, e a gravura, imagens gravadas em incisões na própria rocha em baixo relevo.

De maneira geral, ambos tinham como temática a representação da vida e do cotidiano da época, apesar de já terem sido encontradas também imagens abstratas que muitos acreditam ser de cunho ritualístico ou mágico.

As imagens eram formadas, principalmente, por desenhos de animais selvagens como cervos, bisões e cavalos, entre outros. As figuras humanas, apesar de surgirem em menor quantidade, eram retratadas em atividades que sugeriam dança, luta e caça, mas de maneira diferente dos animais, em desenhos esquemáticos. Também fazem parte da arte rupestre palmas de mãos humanas.

Na Caverna de Altamira, por exemplo, a pintura de um bisão impressiona pelo tamanho, volume e realismo. Outros desenhos destacavam pontos vitais do animal marcados por flechas.

Materiais utilizados

Os materiais utilizados na pintura rupestre são facilmente encontrados no meio ambiente até os dias de hoje. Carvão, argila de várias cores, além de minerais triturados são facilmente identificados, mas presume-se também que eram usados sangue, clara de ovo, resinas vegetais, ceras e até mesmo excrementos, gordura animal e saliva humana como estratégias para fixar o pigmento.

Arte rupestre no Brasil e no mundo

Existem registros da arte rupestre espalhados nos diversos locais do planeta. As mais preservadas ficam localizadas na França, Portugal, Espanha, Itália, Alemanha, Balcãs (norte mediterrâneo da África), Austrália e Sibéria.

Caverna de Altamira

A Caverna de Altamira fica no município espanhol de Santillana del Mar, em Cantábria e conserva um dos conjuntos pictóricos mais importantes da arte na Pré-História. As pinturas e gravuras datam do período Paleolítico Superior (14.500 a 12.000 a.C.) e se caracterizam pelo realismo de desenhos que retratavam bisões, cavalos e veados, além de mãos e outros símbolos.

Descoberta por Marcelino Sanz de Sautuola foi o primeiro lugar do mundo em que se identificou a existência da arte rupestre.

Caverna de Chauvet

A Caverna de Chauvet, no sul da França, abriga as pinturas rupestres consideradas mais antigas (30.000 a 32.000 a.C.). Foram catalogadas 435 pinturas de animais que descreviam 13 diferentes espécies, como leões, ursos, panteras, aves predadoras, rinocerontes, corujas, hienas, bem como cavalos, veados e bovídeos.

É um dos sítios arqueológicos mais importantes do mundo e foi nomeada em homenagem ao seu descobridor, Jean-Marie Chauvet, que a localizou em 18 de dezembro de 1994, juntamente com outros pesquisadores, Christian Hillaire e Eliette Brunel-Deschamps.

Vale do Rio Côa

O Vale do Rio Côa fica situado ao longo das margens do rio que leva o mesmo nome, no município português de Vila Nova de Foz Côa. Forma uma concentração de arte rupestre que inclui gravuras em pedras que datam do Paleolítico Superior, sendo um dos mais antigos registros da atividade humana de gravação no mundo.

As milhares de gravuras localizadas nessa região foram feitas em superfícies verticais de xisto e possuem dimensões que variam entre 15 cm e 180 cm. As técnicas usadas eram a picotagem e o abrasão com desenhos que representavam figuras animalistas, além de humanas e abstratas.

Em Portugal existem ainda mais de trezentas localidades com vestígios de arte rupestre, como o Vale do Tejo, a Gruta do Escoural, a Anta Pintada de Antelas, entre outros.

Parque Nacional da Serra da Capivara

O Parque Nacional da Serra da Capivara, no estado brasileiro de Piauí, é um patrimônio cultural da Unesco e abriga o maior e mais antigo acervo de arte rupestre do continente americano, além de um dos mais estudados.

Os artefatos lá encontrados datam de 50.000 anos. Além disso, inúmeras pinturas rupestres em ocre vermelho possuem datações entre 17.000 e 25.000 anos.

Outros sítios arqueológicos

Outros locais no Brasil e no mundo onde são encontradas formas de arte rupestre são:

  • Parque Nacional Sete Cidades (Piauí)
  • Cariris Velhos (Paraíba)
  • Lagoa Santa (Minas Gerais)
  • Rondonópolis (Mato Grosso)
  • Peruaçu (Minas Gerais)
  • Caverna de Les Trois-Frères (França)
  • Complexo de Cavernas de Lascaux (França)
  • Arte Rupestre de Vale Camonica (Itália)
  • Arte rupestre na região de Ha’il (Arábia Saudita)
  • Cueva de las Manos (Argentina)
  • Abrigos na Rocha de Bhimbetka (Índia)
  • Tadrart Acacus (Líbia)
Voltar