Resumo de História - Aqueus

Aqueus foram os primeiros povos a ocuparem uma parte do Mar Mediterrâneo. Eram seminômades que viveram na Idade do Bronze e buscavam terras férteis para se estabelecer.

Posteriormente, os aqueus ficaram conhecidos como micênicos ou Civilização Micênica devido à criação de várias cidades afixadas nas regiões próximas ao Mar Mediterrâneo, na qual ganhou destaque a cidade de Micenas. Uma das tendências dos aqueus foi o comércio que permitiu o domínio econômico da região do Mar Mediterrâneo.

História dos povos aqueus

Os aqueus equivalem a uma das civilizações mais antigas que vivenciaram a Idade do Bronze. Foram os responsáveis por uma parte da colonização da Grécia Antiga, tendo habitado a região do Peloponeso.

Ao adentrar a região grega se depararam com um grupo intitulado pelasgos. Os aqueus extinguiram os pelasgos que habitavam as terras férteis e que estavam escassas no território grego, ainda mais devido à desproporção tecnológica entre os dois grupos, o que garantiu uma vantagem para os aqueus.

Eles fundaram núcleos populacionais em território helênico, que ficou conhecido como a Civilização Micênica. Depois, os aqueus entraram em contato com a Civilização Minoica de Creta.

Nas epopeias Ilíada e Odisseia, de Homero, os povos aqueus são conhecidos como opositores dos troianos na guerra. Nessa conjuntura os aqueus e gregos têm o mesmo significado.

Civilização Micênica

A Civilização micênica é um termo que descreve a última fase da Idade do Bronze na Grécia Antiga e abrange o período de 1600 a 1100 a.C. Simboliza a primeira civilização avançada da Grécia continental com organização urbana, obras de arte, sistema de escrita e seus estados palacianos.

O mais protuberante foi Micenas, mas outros centros de poder surgiram e incluíram Pilos, Tirinto e Mideia no Peloponeso, Orcômeno, Tebas e Atenas na Grécia Central e Iolcos na Tessália.

Os gregos micênicos incorporaram inovações na engenharia, arquitetura e na infraestrutura militar, enquanto isso o comércio em áreas do Mediterrâneo era essencial para a economia.

A escrita, a Linear B, ofereceu os primeiros escritos da língua grega e a religião incluía divindades que podem ser encontradas no Panteão Olímpico.

A Grécia micênica era dominada por uma sociedade de elite guerreira e baseava-se em uma rede de Estados centrados no palácio, no qual se desenvolviam sistemas rígidos, políticos, hierárquicos, econômicos e sociais.

Idade do bronze

Idade do Bronze foi um período da civilização que ocorreu o desenvolvimento desse metal, resultado da mistura do cobre com o estanho. Teve seu início no Oriente Médio por volta de 3300 a.C. substituindo o Calcolítico, apesar do fato de nas outras regiões essa fase ser desconhecida e a do bronze ter sido substituído de modo direto o período Neolítico.

O Neolítico é seguido da Idade do Ferro na África subsaariana.

A expressão Idade do Bronze é derivada das Idades do Homem, fases da existência humana na Terra, de acordo com a mitologia grega. Dessas fases, a Idade do Ouro e a Idade da Prata são identificadas pelos historiadores modernos como míticas. Contudo, a Idade do Bronze, assim como a Idade do Ferro, possuem um importante valor histórico.

Todo esse período é caracterizado pela adesão do bronze em muitas regiões, apesar que o local, a hora da introdução e progresso da tecnologia do bronze não é universalmente simultânea.

A técnica de produção do estanho e bronze feita pelo homem demanda habilidades. O estanho deve ser extraído e fundido separadamente e,  logo após, acrescentado ao cobre derretido para fazer a liga do bronze. A Idade do Bronze foi uma fase de uso intenso dos metais e das redes de desenvolvimento e do comércio.

Grécia Antiga

A civilização da Grécia Antiga pertence a um período da história grega que engloba o Período Homérico dos séculos XII a IX a.C. até o final da antiguidade 600d.C. Logo após esse período se iniciou a Idade Média e a era bizantina.

Cerca de três séculos depois do Colapso da Idade do Bronze da Grécia micênica, as pólis gregas ganharam formação no século VIII a.C., iniciando então o Período Arcaico e à Colonização da Bacia do Mediterrâneo. Seguido pelo período da Grécia Clássica, era que começou com as Guerras Greco-Persas e que durou no século V ao IV a.C.

Com as conquistas de Alexandre, o Grande, o Período Helenístico se desenvolveu da Ásia Central ao extremo oeste do Mar Mediterrâneo. Essa era chegou ao fim graças às conquistas e anexações do mundo mediterrâneo oriental pela República Romana, a qual estabeleceu a província romana da Macedônia na Grécia romana e depois a província de Acaia durante o Império Romano.

Na cultura grega clássica, principalmente a filosofia, teve grande influência da Roma Antiga, que conduziu sua versão para várias partes da Bacia do Mediterrâneo e da Europa. Assim, a Grécia Clássica é considerada por muitos como a cultura seminal que forneceu a base da cultura ocidental moderna e o berço da civilização ocidental. Pois, os gregos davam importância ao conhecimento.

No contexto da ciência e da religião que não eram separadas, pois a verdade se aproximava dos deuses e eles entendiam a importância da matemática como instrumento para um conhecimento mais confiável, ou seja, divino.

Em poucos séculos, conseguiram explorar e progredir nos campos da matemática, da ciência, conhecimentos gerais e filosofia, deixando um legado contínuo. Conceitos como democracia e cidadania são gregos, ou pelo menos de desenvolvimento grego.

Voltar

Questões