Prefeitura Municipal de Campos do Jordão - Psicólogo (IPEFAE - 2020) Questão 33

O documento do CREPOP (Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas) “Referências técnicas para Prática de Psicólogas(os) no Centro de Referência Especializado da Assistência Social – CREAS” ( Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2012, 2013, p. 29, 33, 34 e 35 ) afirma, no item EIXO 1 – Dimensão Ético-Política para a Prática das(os) Psicólogas(os) no Centro de Referência Especializado da Assistência Social – CREAS, sub-item “A Psicologia e o paradigma da cidadania” que na Norma Operacional Básica de Recursos Humanos do Sistema Único de Assistência Social – NOB/RH/SUAS (BRASIL, 2006), a noção de cidadania é apresentada como um princípio ético do/a trabalhador/a do SUAS, definida como “defesa intransigente dos direitos socioassistenciais”. A Psicologia em sua história da profissão atuou mais de uma vez em processos de ajustamento do sujeito ou de conformidade com a realidade, que hegemonicamente buscava colocar no indivíduo a responsabilidade por sua condição social. Analise as alternativas abaixo e assinale aquela que contém erro sobre estas concepções.
  • A Esse passado, que precisa ser compreendido criticamente dentro de um processo histórico geralmente descontínuo, vem sendo reconstruído em consonância com a construção de uma sociedade de direitos.
  • B A Psicologia, por meio de seus profissionais, pela academia e entidades, vem se constituindo como uma força acrítica, e ausente na desconstrução de práticas e paradigmas anacrônicos existentes no campo socioassistencial.
  • C Não é novidade a atuação da Psicologia em defesa de direitos de crianças e adolescentes; no repúdio a toda forma de discriminação; na crítica às instituições totais, à judicialização da vida, à medicalização da sociedade e à criminalização da pobreza e a várias outras situações de violação de direitos.
  • D Essas questões atravessam todas as políticas públicas, mas tem especial relevância na construção da política de Assistência Social entendida como proteção social para a garantia e/ou reparação de direitos.