Prefeitura Municipal de Vila Velha - Médico infectologista (2020) Questão 55

Adolescente, 16 anos, atleta, estudante do ensino médio, dá entrada na emergência de um serviço de referência em doenças infecciosas com quadro de cefaleia, febre, mialgia, náuseas e manchas purpúricas em palmas das mãos, pé direito, pernas e tronco há 6 dias. Segundo relato da genitora, o paciente era saudável e estava bem antes do início desses sintomas. Ao exame físico, apresentava-se com confusão mental, desidratado, taquicárdico (FC: 135bpm), dispneico, saturando 94% em ar ambiente. ACV: RCR, 3T, sopro sistólico em bordo esternal esquerdo. PA: 100 x 60 mmHg; murmúrio vesicular presente bilateralmente, sem ruídos adventícios. Abdome depressível, indolor, RHA presentes. Radiografia de tórax mostrava sinais de congestão pulmonar e aumento de área cardíaca. Qual a melhor conduta nesse caso?

  • A Realizar expansão com soro fisiológico, coletar hemoculturas, iniciar ceftriaxone 4g ao dia, vancomicina 2g/dia e gentamicina 5mg/kg/dia, coletar LCR e solicitar vaga em Unidade de Terapia Intensiva
  • B Coletar hemocultura, iniciar ceftriaxone 1g de 12/12h e solicitar vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Realizar profilaxia para contactantes
  • C Coletar hemocultura e exames de rotina, expansão com soro fisiológico, iniciar ceftriaxone 2g de 12/12h, oxacilina 12g ao dia e gentamicina 5mg/kg/dia, solicitar ecocardiograma e coletar LCR, assim que possível
  • D Transferência para serviço de neurologia para realização de tomografia de urgência e coleta de líquor para diagnóstico de meningite meningocócica; não iniciar medicação ou profilaxia até uma confirmação diagnóstica
  • E Iniciar vancomicina 2g/dia e gentamicina 5mg/kg/dia, expansão com soro fisiológico, realizar ecocardiograma e solicitar vaga em UTI

Encontre mais questões

Voltar