Prefeitura Municipal de Catolé do Rocha - Agente Comunitário de Saúde (2015) Questão 6

 É um nó dado por são Pedro,

E arrochado por são Cosme e Damião.
É uma paixão, é tentação, é um repente
    Igual ao quente do miolo do vulcão.
(...)

A lua olhando esse amor na brecha do telhado.
É rodeado do peru peruando a perua.
É canarim, é galeguim, é cantando o canário.
Zé do Rosário bolerando com Dona Isabel,
Dona Isabel embolerando com Zé do Rosário,
Imaginário de paixão voraz e proibida,
Escapulida, proibida pro imaginário.

Quer ver cenário?
É o vermelho da aurodidade.
É a claridade amarelada do amanhecer.
É ver correr um aguaceiro pelo rio abaixo.
É ver um cacho de banana amadurecer.
Anoitecer vendo o gelo do branco da lua
A pele nua com a lua a resplandecer.
É ver nascer um desejo com a invernia.
É a harmonia que o inverno faz nascer.

(Bolero de Isabel – Jessier Quirino).

Disponível em: > http://letras.mus.br/jessier-quirino/826919/<. Data da consulta:
08/09/2014.



Acerca do 5º verso “A LUA OLHANDO ESSE AMOR NA BRECHADO TELHADO" pode-se afirmar que

  • A não há adjunto adnominal na sentença.
  • B o sujeito sintático da sentença é “ESSE AMOR".
  • C a sentença apresenta sentido real, não figurativo.
  • D a expressão “ESSE AMOR" funciona sintaticamente como OBJETO INDIRETO.
  • E apresenta uma figura de linguagem chamada prosopopeia (personificação).

Encontre mais questões

Voltar