Questão 12 do Concurso Instituto Nacional do Câncer (INCA) - Médico (2017)

TEXTO:

Transcrição de diálogo do filme ELE ESTÁ DE VOLTA, entre Hitler (H) e Sawatzki (S). Sawatzki mantém Hitler sob a mira de um revólver e o ameaça, dirigindo-o para a beirada do pátio de um edifício alto.

H – Sawatzki? [vira-se para trás e vê Sawatzki que lhe aponta um revólver]. Você demorou de responder...

S – É você... Você é ele!...

H – Nunca disse o contrário. Acho que meu destino é me despedir de meus leais companheiros de trabalho.

S – Por ali [indica uma porta que dá acesso ao pátio superior de um edifício]. A história está se repetindo. Está enganando as pessoas com seus discursos.

H – Ah, Sawatzki, você não entende. Em 1933, ninguém precisou de discurso nenhum. O povo elegeu um líder que deixou claro para todos quais eram seus planos. Os alemães me elegeram...

S – [Encaminha-o, apontando o revólver, para a beirada do prédio]. Continue... Você é um monstro! H – Sou? Então é melhor culpar também aqueles que elegeram esse monstro. Eles todos eram monstros? Não, eram pessoas normais... Que escolheram eleger alguém diferente dos outros, para confiarem o destino de seu país. O que vai fazer, Sawatzki? Impedir as eleições?

S – Não, mas vou impedir você...

H– Nunca se perguntou por que as pessoas me seguem? Porque, no fundo, elas são como eu. Têm os mesmos princípios. E é por isso que você não vai atirar...

[Sawatzki atira]


ELE ESTÁ DE VOLTA. Direção de David Wnendt. Intérpretes: Oliver Masucci, Fabian Busch, Thomas Köppl e outros. Alemanha, 2015. Baseado no livro Er Ist Wieder Da, de Timur Vermes.



Na cena transcrita, frente ao julgamento que dele faz o personagem Sawatzki, o personagem Hitler reage do seguinte modo:

  • A Considera os argumentos de seu interlocutor superficiais e improcedentes pelo fato de não serem baseados em fatos reais, e sim em alucinações, uma vez que Sawatzki estava em tratamento psiquiátrico, usando drogas muito fortes.
  • B Argumenta que seu interlocutor o está culpando por fatos que não são mais de sua responsabilidade, pois ele abdicou de suas ideias iniciais para atender às atuais requisições populares, o que atualiza suas propostas de recuperação da Alemanha.
  • C Não se considera um monstro, pois o que lhe dá legitimidade e direito de expor suas ideias e realizar seus planos é o fato de ter sido eleito pelo povo alemão, que se identifica com suas ideias e que confia na condução que ele poderá dar aos destinos do país.
  • D Não se considera culpado, pois as ideias nazistas que sempre defendeu fazem parte da tradição histórica do povo alemão, e ele não conseguiu dissuadir seus eleitores quanto à inviabilidade de colocá-las em prática e, portanto, deve acatar a vontade expressa nas urnas.
  • E Tenta convencer seu interlocutor de que não está enganando as pessoas, porque elas sabem de sua autocrítica em relação às ideias que defendia em 1933 e que não mais defende, o que o faz ser idolatrado por todos e escolhido para conduzir a recuperação do país.