Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (DETRAN-SP) - Analista de Trânsito (FCC - 2019) Questão 7

                                            Da alegria


      Fico comovido toda vez que ouço o finalzinho da música que Chico Buarque escreveu para a filha recém-nascida, dizendo o seu melhor desejo: “... e que você seja da alegria sempre uma aprendiz...”

      Haverá coisa maior que se possa desejar? Acho que não. E penso que Beethoven concordaria: ao final de sua maior obra, a Nona Sinfonia, o que o coral canta são versos da “Ode à alegria” de Schiller. Já o filósofo Nietzsche não se envergonhava de tratar desse assunto de tão pouca respeitabilidade acadêmica (em nossas escolas a alegria não é tópico de nenhum currículo), ele dizia que o nosso único pecado original é a falta de alegria.

               (Adaptado de: ALVES, Rubem. Tempus fugit. São Paulo: Paulus, 1990, p. 41) 



Ele não se envergonhava de tratar desse assunto tão desprestigiado.

Uma nova e aceitável redação da frase acima, em que se mantenham sua correção e seu sentido básico, será:

  • A Sendo tão depreciado esse assunto, nem por isso se envergonhava ao tratar dele.
  • B Ainda que fosse um assunto controverso, ele não se envergonharia de tratá-lo.
  • C Em que pese envergonhar-se, ele chegou a tratar desse assunto sem interesse.
  • D Nunca se mostrava intimidado pelo fato de desprestigiar esse assunto.
  • E Ao se redimir de um assunto cujo prestígio era pouco, nem por isso se embaraçava.

Encontre mais questões

Voltar