Questão 14 do Concurso Câmara Municipal de Marialva - PR - Assessor de Imprensa (2015)

POSOLOGIA E CONTRAINDICAÇÕES: VIDE BULA

O riso, antes restrito a piadas, comédias e conversas informais, tornou-se “assunto sério”, material de pesquisa. E, depois de muitos estudos acerca desse tema, comprovou-se a estreita ligação entre o senso de humor e a vida harmônica da sociedade: aquele que mantém o sorriso no rosto está mais apto a lidar com seus próprios problemas e a se relacionar com os outros.

Primeiramente, o bom humor afasta o desespero trazido pelos obstáculos cotidianos que a vida impõe. Frente a situações difíceis e penosas, é comum que as pessoas tenham reações incoerentes e descontroladas, como considerar tudo incontornável. Nesses casos, o riso funciona como uma luz que clareia a questão e aponta bons caminhos. Enfim, os dotados de senso de humor se mostram menos rígidos e mais pró-ativos na resolução dos problemas do dia a dia.

A segunda capacidade importante desse estado de espírito é plenamente notada nas relações interpessoais. O riso, por constituir uma linguagem universal, já representa um forte fator de aproximação; enquanto o bom humor tem papel essencial na manutenção de qualquer amizade ou “coleguismo”. Devido ao poder de flexibilidade que essa característica concede, aqueles que a possuem também costumam tolerar mais as diferenças e lidar melhor com as pessoas.

Há, contudo, limites para o humor; não se deve confundir risos descontraídos com gargalhadas maníacas e constantes. Muitas pessoas veem a vida como uma piada eterna, na tentativa de escapar dos obstáculos encontrados, e têm dificuldades para distinguir os momentos em que é preciso manter uma postura séria e lutar pelo que se deseja.

Tanto nas questões individuais quanto nas interpessoais, o bom humor tornou-se pré-requisito, pois traz consigo uma gama enorme de qualidades indispensáveis para a vida em sociedade. Deve-se apenas atentar ao “vício do riso” para não o transformar em obsessão. Em todos os outros casos, rir é mesmo o melhor remédio e não tem contraindicações.

      (Guia do Estudante – Redação Vestibular 2008. São Paulo: Abril, 2008. p.44)



De acordo com o texto, julgue as sentenças Falsas (F) ou Verdadeiras (V):

I. No último parágrafo, o termo “vício do riso” diz respeito à uma psicopatia desenvolvida em algumas pessoas, que exigem que todos à sua volta as tratem cordialmente, ou seja, não aceitam tratamentos ríspidos de seus colegas.

II. O bom humor não elimina, necessariamente, possíveis dificuldades nos relacionamentos interpessoais, porém, propicia maior tolerância para com o outro, o que reflete positivamente nas relações.

III. No terceiro parágrafo, na frase: “Devido ao poder de flexibilidade que essa característica concede”, o termo “essa característica” é referente ao bom humor.

IV. Ao afirmar que: “aquele que mantém o sorriso no rosto está mais apto a lidar com seus próprios problemas e a se relacionar com os outros”, o autor defende a tese de que se deve sempre sorrir, inclusive nos momentos mais difíceis da vida, pois o bom humor é uma maneira de escapar dos obstáculos.

As afirmações são, respectivamente:

  • A F; V; V; F
  • B F; V; F; V
  • C V; V; F; V
  • D F; F; V; F