Questão 10 do Concurso Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) - Juiz Leigo (2017)

Leia o fragmento a seguir da obra O filho eterno, de Cristovão Tezza.


A manhã mais brutal da vida dele começou com o sono que se interrompe — chegavam os parentes. Ele está feliz, é visível, uma alegria meio dopada pela madrugada insone, mais as doses de uísque, a intensidade do acontecimento, a sucessão de pequenas estranhezas naquele espaço oficial que não é o seu, mais uma vez ele não está em casa, e há agora um alheamento em tudo, como se fosse ele mesmo, e não a mulher, que tivesse o filho de suas entranhas — a sensação boa, mas irremediável ao mesmo tempo, vai se transformando numa aflição invisível que parece respirar com ele. Talvez ele, como algumas mulheres no choque do parto, não queira o filho que tem, mas a ideia é apenas uma sombra. Afinal, ele é só um homem desempregado e agora tem um filho. Ponto final.


TEZZA, Cristovão. O filho eterno. Rio de Janeiro: Record, 2007. p. 06.



Assinale a opção CORRETA, em relação a esse texto.

  • A Cristovão Tezza confere novas possibilidades ao gênero autobiográfico, redimensionando o papel da memória na narrativa.
  • B Cristovão Tezza insere sua própria história no contexto da criação literária, retratando a história de seu pai e de seu irmão.
  • C Cristovão Tezza confessa as frustrações de pais que, em um primeiro momento, não aceitam filhos trissômicos.
  • D Cristovão Tezza narra sua própria história, com o intento de mostrar como a trissomia apresenta diversos níveis.
  • E Cristovão Tezza mostra que não há necessidade da ação do tempo para a aceitação de um filho trissômico.