Questão 59 do Concurso Universidade Estadual Paulista (UNESP) (2017)

Os homens, diz antigo ditado grego, atormentam-se com a ideia que têm das coisas e não com as coisas em si. Seria grande passo, em alívio da nossa miserável condição, se se provasse que isso é uma verdade absoluta. Pois se o mal só tem acesso em nós porque julgamos que o seja, parece que estaria em nosso poder não o levarmos a sério ou o colocarmos a nosso serviço. Por que atribuir à doença, à indigência, ao desprezo um gosto ácido e mau se o podemos modificar? Pois o destino apenas suscita o incidente; a nós é que cabe determinar a qualidade de seus efeitos.

(Michel de Montaigne. Ensaios, 2000. Adaptado.)


De acordo com o filósofo, a diferença entre o bem e o mal

  • A representa uma oposição de natureza metafísica, que não está sujeita a relativismos existenciais.
  • B relaciona-se com uma esfera sagrada cujo conhecimento é autorizado somente a sacerdotes religiosos.
  • C resulta da queda humana de um estado original de bem-aventurança e harmonia geral do Universo.
  • D depende do conhecimento do mundo como realidade em si mesma, independente dos julgamentos humanos.
  • E depende sobretudo da qualidade valorativa estabelecida por cada indivíduo diante de sua vida.