Secretaria de Estado de Educação do Acre (SEE-AC) (IBADE - 2020) Questão 55

“Maldito, maldito criador! Por que eu vivo? Por que não extingui, naquele instante, a centelha de vida que você tão desumanamente me concedeu? Não sei! O desespero ainda não se apoderara de mim. Meus sentimentos eram de raiva e vingança. Quando a noite caiu, deixei meu abrigo e vagueei pelos bosques. (...) Oh! Que noite miserável passei eu! Sentia um inferno devorar-me, e desejava despedaçar as árvores, devastar e assolar tudo o que me cercava, para depois sentar-me e contemplar satisfeito a destruição. Declarei uma guerra sem quartel à espécie humana e, acima de tudo, contra aquele que me havia criado e me lançara a esta insuportável desgraça!”
Mary Shelley. Frankenstein. 2ª ed. Porto Alegre: LPM, 1985.
A Obra de Mary Shelley, Frankenstein, de 1818, faz alusão ao contexto da Primeira Revolução Industrial e seus efeitos sobre a sociedade e a condição humana. Sobre o período e a obra, podemos afirmar que:

  • A O texto ressalta a relação harmônica e mediada pelo equilíbrio entre a sociedade modificada pela industrialização e a natureza.
  • B A partir da industrialização da produção modifica-se a relação do homem com a natureza, em que esta passa a ser ameaçada pelos avanços científicos humanos.
  • C A autora faz alusão ao sofrimento do operariado inglês que afetado pelo desemprego e pelas péssimas condições de vida na cidade, busca refúgio na natureza.
  • D Shelley retrata o processo de êxodo urbano que tomou as cidades inglesas após a industrialização, em que os desempregados passaram a buscar trabalho no campo.
  • E A autora ressalta em sua obra o importante papel da genialidade inventiva dos indivíduos empenhados no progresso da ciência e da indústria.

Encontre mais questões

Voltar