Prefeitura Municipal de Santa Luzia - Professor - Língua Portuguesa (2019) Questão 44

Ao escrever seus livros, o senhor não se preocupa em deixar as tramas datadas?

Pedro Bandeira

Tenho de usar aquilo que nunca muda: as emoções humanas. Por que Shakespeare vale até hoje? Porque ele não faz histórias de reis ingleses, mas sobre sonhos, inveja, cobiça, ambição, velhice, paixão de adolescentes... Faz histórias eternas, que não dependem da tecnologia. Até hoje você lê Ricardo III e fica impressionado, por ser um homem que faz tudo pela ambição do poder — isso existe até hoje. A emoção de uma jovem nunca mudará. Uma menina vai estar sempre apaixonada, vai ter sempre ciúmes da colega, vai ter medo do mundo, vai ter problemas com os pais que se separam. O furor uterino da Madame Bovary jamais será ultrapassado — é até hoje um romance atemporal. Hoje em dia se discute até que Lobato tem dificuldade de se tornar um clássico. Porque ele centrou muito na vida rural quando o Brasil já estava se tornando urbano.

O senhor também faz algumas releituras de clássicos da literatura mundial.

Pedro Bandeira

Um personagem como Iago vira Iara, uma menina ciumenta [em A Hora da Verdade]; Hamlet, lido de trás para frente, vira Telmah — aí transformei Hamlet na menina Telmah, que vive as mesmas dúvidas [em Agora Estou Sozinha]. Ou Cirano de Bergerac, um homem feio que escreve cartas para serem entregues pelo seu rival a sua amada — mas Cirano vira Isabel, de A Marca de uma Lágrima. Porque quero ajudar o jovem a gostar de ler. Não sou literatura final, de resultado final; sou introdução. Como para mim foram introdução Monteiro Lobato, Mark Twain, Emilio Salgari, Charles Dickens, Victor Hugo. A cultura é uma montanha enorme, de conhecimentos, de beleza, amontoada ao longo de muitos séculos. Para você chegar lá em cima, onde estão Shakespeare, Baudelaire, Cervantes, tem de subir uma escada. Para uma criança chegar um dia a Baudelaire, ela tem de pisar em Ruth Rocha, em Ziraldo, em Pedro Bandeira. Esses degraus têm de ser confortáveis, para ela gostar de continuar subindo.

Revista Língua, nº 67. São Paulo: Segmento, maio de 2011. (Adaptação).



As ideias de Pedro Bandeira a respeito do contato da criança com a literatura são corretamente parafraseadas pela seguinte citação da obra Coisas que todo professor de português precisa saber, de Luciano Oliveira:

  • A “Uma forma prática de o professor incentivar o uso da literatura em sua sala é a criação de oficinas de leitura ou de círculos de leitura.” [p. 173].
  • B “Forçar estudantes adolescentes a lerem obras literárias para as quais ainda não estão preparados não é nada bom para a formação de leitores de textos literários.” [p. 175].
  • C ”Os textos literários são textos, e como tal possuem elementos que impõem limites às interpretações que os leitores fazem: são obras abertas, mas não escancaradas.” [p. 188].
  • D “A leitura de textos literários também serve para que o professor estimule seus alunos a desenvolver o hábito de realizar leituras críticas.” [p. 192].