Questão 18 do Concurso Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IF-PE) - Comunicação Social (2017)

Leia os TEXTO 11 para responder à questão.

TEXTO 11
CATAR FEIJÃO 
1.
Catar feijão se limita com escrever:
jogam-se os grãos na água do alguidar
e as palavras na da folha de papel;
e depois, joga-se fora o que boiar.
Certo, toda palavra boiará no papel,
água congelada, por chumbo seu verbo:
pois para catar esse feijão, soprar nele,
e jogar fora o leve e oco, palha e eco.
2.
Ora, nesse catar feijão entra um risco:
o de que entre os grãos pesados entre
um grão qualquer, pedra ou indigesto,
um grão imastigável, de quebrar dente.
Certo não, quando ao catar palavras:
a pedra dá à frase seu grão mais vivo:
obstrui a leitura fluviante, flutual,
açula a atenção, isca-a com risco. 

MELO NETO, João Cabral. A educação pela pedra: Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996 


O TEXTO 11 é um poema e, como tal, guarda diferenças em relação a textos em prosa. No processo de revisão, diante do texto poético, há que se atentar para tais especificidades. Com relação a isso, assinale o item que apresenta uma das principais diferenças entre o texto em verso e o texto em prosa.

  • A No texto em verso, a translineação pertence ao autor, enquanto, na prosa, é uma exigência gramatical e espacial.
  • B O texto em prosa não permite a ocorrência de figuras de linguagem ou recursos estilísticos inovadores.
  • C O texto em verso não pode ser narrativo ou descritivo, tendo em vista seu caráter essencialmente conotativo.
  • D O texto em verso rechaça a utilização denotativa das palavras e não permite o trabalho argumentativo.
  • E O texto em prosa mantém, obrigatoriamente, a linguagem em seu nível denotativo, em prol da objetividade e clareza.