Prefeitura Municipal de Teresina - Diversos Cargos (NUCEPE - 2019) Questão 37

TEXTO 8

                                Explicação da eternidade


devagar, o tempo transforma tudo em tempo.

o ódio transforma-se em tempo, o amor

transforma-se em tempo, a dor transforma-se

em tempo.

os assuntos que julgamos mais profundos,

mais impossíveis, mais permanentes e imutáveis,

transformam-se devagar em tempo.

por si só, o tempo não é nada.

a idade de nada é nada.

a eternidade não existe.

no entanto, a eternidade existe.

os instantes dos teus olhos parados sobre mim eram eternos.

os instantes do teu sorriso eram eternos.

os instantes do teu corpo de luz eram eternos.

foste eterna até ao fim.


          José Luís Peixoto. In: A Casa, a Escuridão. Editora: Livros Quetzal, 2002.  



A repetição da expressão “os instantes” na penúltima estrofe

  • A é um recurso para estabelecer um maior vínculo com o leitor.
  • B reforça a ideia de que para o eu lírico a eternidade não existe.
  • C estabelece relação com a primeira estrofe, que destaca sentimentos.
  • D enfatiza que foram diferentes momentos vividos com a pessoa amada.
  • E torna a leitura cansativa, assim como o eu lírico considera a eternidade.

Encontre mais questões

Voltar