Questão 62 do Concurso Instituto Geral de Perícia de Santa Catarina (IGP-SC) - Perito médico-legista (2017)

Em 28 de Fevereiro de 2017, o Instituto Médico Legal de Curitiba recebeu 6 corpos, vítimas de um acidente de trânsito, que estavam no mesmo veículo. Segundo informações da polícia e da perícia de local de crime, eram todas da mesma família: mãe (42 anos), pai (42 anos), 3 filhos: um menino (20 anos) e duas meninas (16 e 12 anos, respectivamente), e o irmão do pai (25 anos). O médico legista conseguiu fazer a identificação, usando métodos antropológicos, exames odontológicos e impressão digital, apenas do pai e das duas filhas. Os outros 3 corpos estavam carbonizados e amostras de tecidos tiveram que ser enviadas para o laboratório de DNA, não tendo sido possível identificar nem o sexo das vítimas. Amostras dos três indivíduos previamente identificados também foram enviadas para o laboratório de DNA para servirem de referência.


A partir do fato acima relatado, assinale a alternativa correta:

  • A Na obtenção de DNA de boa qualidade de todos os tecidos encaminhados, a análise de marcadores do cromossomo Y possibilitaria identificar com precisão a amostra feminina, assim como identificar e individualizar a amostra referente ao tio paterno e ao filho, usando a amostra do pai como referência.
  • B Não é possível realizar análise de DNA mitocondrial para identificar o irmão, usando as irmãs como referência, uma vez que o mesmo é do sexo masculino.
  • C Uma vez que qualquer grau de carbonização torna o DNA extremamente fragmentado em todos os tecidos e não acessível para análise, não é possível fazer a identificação de nenhum dos 3 corpos carbonizados.
  • D Na obtenção de DNA de boa qualidade de todos os tecidos, seria possível realizar análise de 15 marcadores do tipo microssatélite e identificar todos os corpos por meio de teste de paternidade reversa, usando o pai e as duas filhas como referência.