Questão

TEXTO 2 (Editado)


A pesquisa científica sobre os efeitos terapêuticos da relação entre seres humanos e animais de estimação começou nos Estados Unidos em meados de 1960. Depois de muitos estudos e observação, ficaram claros os benefícios que são gerados nessa interação. Pensando nisso, a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) possui um Grupo de Estudos sobre a Interação Humano e Animal (GE-INTERHA) para fomentar pesquisas que demonstrem a importância dos animais de estimação para a qualidade de vida das pessoas.

Essa convivência, segundo pesquisadores, é capaz de melhorar a autoestima, diminuir problemas do coração e auxiliar a família na diminuição do estresse, na queda da pressão em hipertensos e, principalmente, de melhorar a interação social.

Em um estudo realizado recentemente, ficou comprovado que, em geral, as famílias que têm animais de estimação gastam menos com remédios. Além disso, foi criada a Terapia Assistida por Animais, que pode ser aplicada em diferentes casos médicos, com grandes melhorias para os pacientes. Alguns casos mais conhecidos são os tratamentos de idosos e de crianças com paralisia cerebral, autismo ou hiperatividade.

Os cães e gatos são muito usados, pois são os animais mais próximos do ser humano. As suas visitas causam melhoras sociais, emocionais, físicas e cognitivas de pacientes em tratamento. Acariciar um animal, por si só, já ajuda o paciente a relaxar. Cães e gatos também servem como companhia para idosos solitários, evitando casos de depressão.


A relação entre seres humanos e animais de estimação. Jornal Cruzeiro do Sul, 24/05/13. Disponível em < https://www2.jornalcruzeiro.com.br/materia/474869/a-relacaoentre-seres-humanos-e-animais-de-estimacao>. Acesso em jan. 2019. (Adaptado)



Sob ponto de vista da Morfologia, a palavra formada pelo mesmo processo de formação do termo “tratamento” é
  • A ajuda
  • B cerebral
  • C hipertenso
  • D autoestima
  • E estresse

Questões Relacionadas

“Hoje, alguns especialistas já refutam o termo e preferem “antimicrobiano” a “antibiótico”. (3º parágrafo). Em ambos os vocábulos destacados nesta frase, o prefixo se junta ao radical sem o auxílio do hífen. O mesmo se verifica no seguinte caso:
  • A anti + inflamatório
  • B auto + observação
  • C hiper + sarcose
  • D supra + hepático
O elemento multi-, que compõe a palavra multifatorial (4º parágrafo), tem o mesmo valor semântico do elemento destacado na palavra:
  • A  maxidesvalorização
  • B  megaevento
  • C macroeconomia
  • D pluricultural

A palavra destacada em “A jornalista Anya Kamenetz” demonstra um caso de:

  • A Composição.
  • B Sufixação.
  • C Regressão.
  • D Parassíntese.
  • E Derivação imprópria.

Procurar outras questões