Questão 22 do Concurso Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul (TJ-MS) - Psicologia (2017)

Nas separações conjugais, não é raro que litígios se estendam por longos períodos, sem efetividade das decisões judiciais. Pela perspectiva sistêmica, é possível se fazer leituras específicas desse fato, que podem fundamentar ações interdisciplinares para tal problemática.


Com base nessas premissas, assinale a alternativa CORRETA.

  • A A separação é uma ocorrência possível no ciclo familiar e seus desdobramentos dependerão, dentre outros aspectos, das interdependências vividas pelos integrantes da família e pelos compromissos de lealdade.
  • B A partir da separação, a família se desestrutura e não mais se terá um sistema em que as partes exercem compromissos jurídicos de lealdade conjugal, o que desfaz a unidade psicoafetiva.
  • C Uma vez que o que se desfaz é o vínculo conjugal, a avaliação do psicólogo nas varas de família deve priorizar as características psicológicas e econômicas de cada ex-cônjuge para que seu relatório auxilie o magistrado na decisão sobre a guarda de filhos.
  • D As colusões conjugais bastante comuns nos litígios familiares dizem respeito às relações de casal, por isso, embora detectadas num estudo psicossocial da família, não serão fundamento para o subsídio psicológico fornecido ao juiz.
  • E Os profissionais de direito, psicologia e serviço social que atuam com separações nas varas de família seguem os ritos jurídicos, o que os impede de colaborar com novos rumos para o processo, uma vez que a objetividade, linearidade e determinismo fundamentam essas práticas.