Câmara Municipal do Rio de Janeiro - Diversos Cargos (Prefeitura do Rio de Janeiro - RJ - 2015) Questão 4

Considerar o texto I, para responder à questão.

Texto I: Civilização virtual

Nos anos 60 os astronautas buscavam vida em outros planetas. Meio século depois é aqui mesmo que se descobre um outro tipo de vida: a incorpórea população que habita o ciberespaço.
As ideias, como as gerações, envelhecem e morrem. Maneiras de sentir e de ver o mundo têm prazo de validade. Confundidas com um trivial choque de gerações, as transformações profundas que estão em curso constituem uma mudança de era. São o sintoma da emergência de uma civilização desconhecida.
[...]
Paradoxo: essas tecnologias que supostamente nos aproximam do que é longínquo nos afastam dos mais próximos. A internet e os celulares nos oferecem tudo, salvo pessoas em carne e osso. O SMS economiza a viva voz como os twitters economizam os pensamentos. Conversamos com alguém do outro lado do mundo, vemos sua imagem, mas não sentimos o calor de sua presença.
Atropelando direitos, ignorando autores, Google age como uma superpotência e contra esse poder avassalador já se insurgem Estados como França e Alemanha. O ciberoráculo responde a qualquer questão, salvo de onde viemos e para onde vamos.

Rosiska Darcy de Oliveira. “Civilização Virtual”. Jornal O Globo, 11/11/2012. Fragmento.


O termo “ciberoráculo", neologismo empregado no quarto parágrafo, exemplifica uma ironia sugestiva de que:
  • A o Google atrapalha os relacionamentos entre os seres humanos.
  • B as tecnologias da atualidade simplificaram de modo radical a vida das pessoas.
  • C o Google não consegue responder às principais perguntas do ser humano.
  • D a população que habita o ciberespaço é incorpórea.