Questões da Prova do Tribunal Regional Federal da 1ª Região - Técnico Judiciário - Segurança e Transporte (FCC - 2007)

Limpar Busca

Uma grande solenidade será realizada em local fechado, onde estarão reunidas autoridades judiciárias e convida- dos. Como medida de segurança, é necessário

  • A fazer levantamento prévio do local.
  • B verificar os antecedentes criminais dos convidados.
  • C posicionar atiradores de elite em locais externos.
  • D fechar todas as saídas e deixar apenas um acesso ao local.
  • E isolar a área num raio mínimo de duzentos metros do acesso.

Dois agentes de segurança estão protegendo uma impor- tante autoridade que caminha pela via pública quando, repentinamente, uma pessoa se aproxima rapidamente da autoridade com um objeto na mão. Nesse caso, os se- guranças NÃO

  • A podem abordar a pessoa, interpondo-se entre ela e a autoridade.
  • B podem imobilizar a pessoa e revistá-la, verificando o que ela tem na mão.
  • C devem apontar sua arma para esta pessoa para intimidá-la.
  • D devem atuar com firmeza, observando cada peque- no gesto da pessoa e determinar que ela se man- tenha a uma distância considerada segura.
  • E devem tomar o objeto da mão da pessoa, com uso da força, se necessário, mas sem causar lesões.

Quando a ocasião exigir máxima discrição dos agentes de segurança, é recomendável, para o reconhecimento mútuo e a troca de breves informações entre si, a utlização de

  • A fardas com distintivos especiais.
  • B senhas previamente combinadas.
  • C mensageiros de confiança.
  • D rádio-comunicação.
  • E celulares.

Correu um boato de que o Desembargador J.C. Silva seria vítima de um atentado. Carlos, responsável pela seguran- ça, recebeu uma correspondência, sem identificação de remetente, de cunho "confidencial", dirigida ao Desembar- gador. Por medida de segurança, ele a abriu e verificou tratar-se de uma carta da esposa do Desembargador J.C. Silva. Carlos

  • A deveria ter destruído a correspondência antes de abri-la, por motivos de segurança.
  • B agiu com zelo e presteza, preservando a segurança do Desembargador.
  • C não poderia ter agido de outra forma, pois sua função é proteger as autoridades judiciárias.
  • D agiu em legítima defesa de terceiros.
  • E não poderia ter tomado esta atitude, pois isto configura um crime de violação de sigilo de correspondência.

Uma mulher adentra em um recinto do Tribunal legalmen- te, ou seja, foi identificada e recebeu a autorização. No entanto, o segurança Antonio a reconheceu como uma traficante de entorpecentes procurada pela polícia. Ele a detém e, logo após, a exibe à imprensa contra a vontade dela. Nesse caso, Antonio

  • A não pode ser punido, pois a Lei de Imprensa garante a liberdade de informação.
  • B exerceu seu dever de alertar a população sobre a prisão de pessoa perigosa.
  • C pode ser condenado ao pagamento de indenização por danos materiais ou morais decorrente da violação da imagem da pessoa.
  • D está isento de qualquer penalidade, pois a Consti- tuição Federal garante a liberdade de expressão.
  • E será condenado por crime de responsabilidade, pois a traficante deveria ser considerada inocente até prova em contrário.