Questões da Prova da Câmara Municipal de Marabá - PA - Técnico - Contabilidade (2011)

Limpar Busca

Quanto ao gênero textual, “Estraga-prazeres” pode ser classificado como um(a)

  • A conto.
  • B fábula.
  • C crônica.
  • D editorial.
  • E parábola.

Para Luis Fernando Veríssimo, a frase “não foi bem assim” (linha 17) serve para

  • A frustrar a expectativa dos ouvintes.
  • B minimizar a exatidão no relato de fatos.
  • C relativizar a veracidade de narrativas míticas.
  • D dar a entender que os fatos sempre têm dois relatos.
  • E imprimir dramaticidade e autenticidade aos relatos oficiais.

Na visão de Luis Fernando Veríssimo, as pessoas, de um modo geral,

  • A criticam a forma exagerada como se contam os fatos da nossa história.
  • B preferem a justeza e a veracidade dos fatos ao relato dramático e bem contado.
  • C acreditam que os fatos sempre têm dois relatos, com ou sem nuances e qualificativos.
  • D preferem uma versão exagerada e divertida de uma história a uma versão inteiramente conforme aos fatos.
  • E hesitam em revelar os tediosos detalhes que desmentem ou mitigam a versão entusiasmada e bem mais engraçada.

Ao afirmar “E nada, nunca, é exatamente bem assim” (linha 22), o autor conclui que

  • A a verdade só tem serventia histórica.
  • B o mito é fruto do entusiasmo, do exagero e da mentira.
  • C os fatos de nossa história oficial não resistem a uma revisão.
  • D a verdade absoluta inexiste quando se trata de relato de fatos.
  • E os fatos narrados sem nuances e sem qualificativos são pouco irônicos.

A posição de Luis Fernando Veríssimo em relação à questão em foco é de um(a)

  • A sutil ironia.
  • B intensa revolta.
  • C certa esperança.
  • D absoluta descrença.
  • E grande pessimismo.