Questões da Prova da Secretaria de Estado da Educação do Espírito Santo (SEDU-ES) - Professor - Matemática (2018)

Limpar Busca

A afirmação Dizer mídia, sem mais nem menos, é uma abstração logo se justifica, no primeiro parágrafo do texto, pelo fato de que, para o autor

  • A as ideias veiculadas pelos grandes órgãos de imprensa não têm sustentação suficientemente elaborada, não correspondem à gravidade dos fatos a que elas se prendem.
  • B os profissionais da comunicação é que determinam o teor de suas matérias, o qual dependerá, portanto, das qualidades ou vícios pessoais de quem delas se incumba.
  • C a lógica empresarial leva ao sensacionalismo e à tendenciosidade, equiparando assim todos os profissionais da comunicação, negando-lhes a força de seu personalismo.
  • D a política, uma vez representada nos meios de comunicação, torna-se fatalmente abstrata, em virtude do vazio de ideias que predomina na maioria dos profissionais envolvidos.
  • E a ambição pessoal dos grandes empresários da comunicação leva-os a contratar profissionais servis, para quem a política deve atender exclusivamente os interesses da empresa.

Ao tratar das matérias veiculadas pela mídia, no segundo parágrafo do texto, o autor faz ver que

  • A a inconfiabilidade das fontes de informação impede que qualquer usuário chegue a bom termo no desenvolvimento de sua pesquisa.
  • B a insuficiente pluralidade de perspectivas que enfoquem determinado assunto empobrece de modo irreparável a qualidade da informação.
  • C a qualidade dos dados oferecidos é superior à capacidade intelectual que têm os usuários de absorver as informações com real proveito.
  • D o excesso de informações disponibilizadas por tão ágil tecnologia supera a capacidade de discernimento de quem delas dispõe.
  • E o acúmulo de elementos manipulados pela mídia obriga o usuário a dominar recursos tecnológicos muito além de sua efetiva capacidade.

Considerada no contexto, uma passagem do texto recebeu nova, coerente e correta redação em:

  • A O pior jornalista é aquele que se comporta como um camaleão / Torna-se aquele o pior jornalista, à medida em que se dispor a agir como um camaleão.
  • B A lógica empresarial (...) convida inevitavelmente ao sensacionalismo / O sensacionalismo é inevitável, quando vai de encontro ao interesse empresarial.
  • C a superabundância de informação pode fazer do cidadão um ser muito mais ignorante / a ignorância de um cidadão pode advir de informações em cujas ocorra um excesso.
  • D O cidadão não dispõe dos elementos e da formação adequados / Dada sua indisponibilidade, tais elementos de uma formação não adequa-se ao cidadão.
  • E É justamente nessa defasagem que se produz a instrumentalização em prejuízo do indivíduo / É nesse descompasso que ocorre a manipulação, em detrimento do usuário.

Entre os recursos de construção textual valeu-se o autor, no segmento

  • A boas ou más, inteligentes ou estúpidas, de qualidades emparelhadas pelo critério da simultaneidade com que ocorrem.
  • B à manobra rasteira, ao compadrio, aos pactos ocultos, de uma enumeração em que se aproximam aspectos de uma mesma qualidade negativa.
  • C a superabundância de informação pode fazer do cidadão um ser muito mais ignorante, de uma afirmação irônica, a ser reconsiderada no período seguinte.
  • D O cidadão não dispõe dos elementos, de um uso pouco frequente do verbo dispor, aqui empregado no sentido de pretender.
  • E ficar perdido no meio dessa selva, do efeito de uma figura de linguagem, tal como ocorrera em A lógica empresarial das tiragens.

Para discriminar o que julga ter sido um enorme trabalho de análise, Auerbach

  • A contrapõe a esse esforço inglório dos gramáticos científicos do século XIX o sorriso complacente de um linguista moderno.
  • B julga que tal empreitada deve muito de sua consistência aos alicerces do edifício analítico da ciência linguística contemporânea.
  • C arrola algumas das operações analíticas dos gramáticos tradicionais, vistas como pilares para a edificação da linguística moderna.
  • D inventaria algumas operações da linguística moderna que acabaram por anular a base das gramáticas mais respeitáveis.
  • E promove detalhadamente uma equiparação entre os sérios estudos da gramática tradicional e os esboços analíticos da linguística.