Questões da Prova da Receita Federal do Brasil (Receita Federal) - Auditor Fiscal da Receita Federal - Prova 3 - Gabarito 1 (2012)

Limpar Busca

Entre as características qualitativas de melhoria, a comparabilidade está entre as que os analistas de demonstrações contábeis mais buscam. Dessa forma, pode-se definir pela estrutura conceitual contábil que comparabilidade é a característica que

  • A permite que os usuários identifiquem e compreendam similaridades dos itens e diferenças entre eles nas Demonstrações Contábeis.
  • B utiliza os mesmos métodos para os mesmos itens, tanto de um período para outro, considerando a mesma entidade que reporta a informação, quanto para um único período entre entidades.
  • C considera a uniformidade na aplicação dos procedimentos e normas contábeis, onde, para se obter a comparabilidade, as entidades precisam adotar os mesmos métodos de apuração e cálculo.
  • D garante que usuários diferentes concluam de forma completa e igual, quanto à condição econômica e financeira da empresa, sendo levados a um completo acordo.
  • E estabelece procedimentos para a padronização dos métodos e processos aplicados em demonstrações contábeis de mesmo segmento.

A Empresa Controladora S.A., companhia de capital aberto, apura um resultado negativo de equivalência patrimonial que ultrapassa o valor total de seu investimento na Empresa Adquirida S.A. em R$ 400.000,00. A Empresa Controladora S.A. não pode deixar de aplicar recursos na investida, uma vez que ela é a única fornecedora de matéria-prima estratégica para seu negócio. Dessa forma, deve a investidora registrar o valor da equivalência

  • A a crédito do investimento, ainda que o valor ultrapasse o total do investimento efetuado.
  • B a crédito de uma provisão no passivo, para reconhecer a perda no investimento.
  • C a crédito de uma provisão no ativo, redutora do investimento.
  • D a débito do investimento, ainda que o valor ultrapasse o total do investimento efetuado.
  • E a débito de uma reserva de capital, gerando uma cobertura para as perdas.

Na identificação e determinação de erro contábil de períodos anteriores, devem ser consideradas as omissões e incorreções nas demonstrações contábeis da entidade de um ou mais períodos anteriores que

  • A não estavam disponíveis quando da autorização para divulgação das demonstrações contábeis desses períodos e não retroagissem a prazo superior a dois exercícios contábeis.
  • B somente quando se verifica efetivamente fraudes administrativas nos cálculos e informações que respaldaram as informações sobre as quais as demonstrações retrospectivas foram baseadas.
  • C na avaliação de seus efeitos incluíssem os efeitos decorrentes de cálculos matemáticos ou aplicação equivocada de políticas contábeis que não retroagissem a cinco períodos contábeis.
  • D contivessem informações que pudessem ter sido razoavelmente obtidas e levadas em consideração na elaboração e na apresentação dessas demonstrações contábeis.
  • E a necessidade de uma reapresentação retros- pectiva exigir premissas baseadas no que teria sido a intenção da Administração naquele momento passado e não produzissem efeitos fiscais.

Os bens adquiridos e mantidos pela empresa, sem a produção de renda e destinados ao uso futuro para expansão das atividades da empresa, são classificados no balanço como

  • A Imobilizado em Andamento.
  • B Realizável a Longo Prazo.
  • C Propriedades para Investimentos.
  • D Investimentos Temporários.
  • E Outros Investimentos Permanentes.

A empresa Valorização S.A. tem como estratégia a compra de suas próprias ações para aumentar a liquidez de seus papéis no mercado e aproveitar a vantagem da diferença entre o valor patrimonial e o valor de mercado. O resultado obtido, quando da venda dessas ações em tesouraria, pela empresa Valorização S.A., deve ser contabilizado como

  • A reserva de capital, quando gerarem um ganho.
  • B outras receitas operacionais, quando gerarem um ganho.
  • C ágio na venda de ações, quando gerarem uma perda.
  • D ações em tesouraria, quando gerarem uma perda.
  • E despesas não operacionais, quando gerarem uma perda.