Questões da Prova do DPE-SP - Administrador de Redes (FCC - 2015) Página 1

A valorização da dúvida se deve ao fato de que ela

  • A constitui o meio pelo qual se empreende uma contestação ilusória de verdades dadas como irrefutáveis.
  • B vale-se astutamente de sua fragilidade como método para poder impor algumas verdades definitivas.
  • C permite abrir um caminho para o conhecimento ao questionar verdades dadas como absolutas.
  • D contribui para a valorização de verdades pré-estabelecidas por métodos seguros de conhecimento.
  • E implica a tentativa de se chegar a um tipo de conhecimento cuja validade dispensa qualquer comprovação.

Diferentemente da maneira pela qual Sócrates e Descartes qualificavam a dúvida, o texto nos lembra que há

  • A quem pulverize a certeza inabalável com que alguns afirmam seus pontos de vista, juízos e convicções.
  • B aqueles que já de saída se apresentam como especialistas infalíveis em temas da política, da ciência, das artes.
  • C aquele que se dispõe a se pronunciar sobre algum assunto depois de ter aberto várias hipóteses de abordagem.
  • D quem sempre suspenda a verdade das aparências, não se furtando a questioná-las antes de aceitá-las.
  • E quem se afaste de julgamentos definitivos para se deter sobre o que há de problemático numa matéria.

Considere as afirmações abaixo.

I. Da leitura do 1° parágrafo pode-se deduzir que o método de conhecimento no qual a dúvida exerce um papel importante passou a ser mais reconhecido e utilizado em nossos dias, em função da complexidade da época que estamos atravessando.

II. No 2° parágrafo, é patente o tom irônico com que o autor do texto faz referência aos especialistas infalíveis em todos os assuntos, ironia que se ratifica no segmento Todos têm receitas imediatas e seguras para a solução de todos os problemas.

III. No 3° parágrafo, todos estes três segmentos referem ações a se evitar: suspender a verdade ilusória das aparências, avaliar um problema pelo ângulo estrito dos que nele estão envolvidos e Julgar um fato pelo que dele diz um jornal.

Em relação ao texto, está correto o que se afirma APENAS em

  • A I e II.
  • B I e III.
  • C II e III.
  • D II.
  • E III.

Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um segmento em:

  • A pulveriza a certeza absoluta (1° parágrafo) = aniquila a convicção imperiosa
  • B ditasse a urgência (2° parágrafo) = consumasse a precipitação
  • C suspender a verdade ilusória (3° parágrafo) = ir ao encontro da ilusão convincente
  • D avaliar um problema pelo ângulo estrito (3° parágrafo) = retificar uma questão aprimorando o foco
  • E o exame mais detido da matéria (3° parágrafo) = a prova mais recôndita da tese defendida

Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

  • A Uma vez distanciados no tempo, Sócrates e Descartes são parceiros quanto a compartilharem ao mesmo prestígio que costumam atribuir ao valor da dúvida.
  • B Mesmo separados por séculos, os filósofos Sócrates e Descartes parecem acordes quanto ao valor que atribuem ao papel da dúvida na constituição do pensamento.
  • C Muito embora fossem distintos filósofos, é de se constatar que tanto Descartes quanto Sócrates alimentavam sobre as dúvidas a mesma convicção que lhes mantinha.
  • D Descartes e Sócrates, filósofos consagrados, em que pese o valor que se atribuíam às suas dúvidas, tinham estreita relação de pensamento quanto aquilo que lhes era comum.
  • E A par de serem distantes no tempo, ainda que compartilhando suas condições de filósofos, Descartes e Sócrates se identificavam por conta da dúvida que se nutriam.