Questões da Prova do Controladoria Geral do Município do Rio de Janeiro (CGM - RJ) - Técnico - Controle Interno - Conhecimentos Gerais (2015)

Limpar Busca

De acordo com os sentidos construídos no texto, pelo autor, é correto afirmar que:

  • A a violência humana decorre de contingências adversas
  • B o progresso da sociedade corrompe o homem
  • C uma civilização ao contrário é o que certos naturistas querem
  • D o desejo humano de se impor ao semelhante gera violência

O gênero crônica, em que se enquadra o texto, é frequentemente escrito em primeira pessoa e reflete, muitas vezes, o posicionamento pessoal de seu autor. Pode-se afirmar que, na crônica de Paulo Mendes Campos, o “eu” que fala:

  • A confunde-se com o autor, tecendo críticas ao dr. Maynard
  • B distingue-se do autor, mostrando-se crítico e perspicaz
  • C distingue-se do autor, mostrando-se ingênuo e alienado
  • D confunde-se com o autor, valorizando a divulgação científica pelos jornais

No quinto parágrafo, há um verbo e vários pronomes flexionados na primeira pessoa do plural. Nesse contexto, essa flexão abrange, além do autor:

  • A a humanidade de modo geral
  • B os que praticam violência sem ter nada a ver com crime
  • C o universo dos leitores do texto
  • D especificamente a população incivilizada e incontida

Pode-se afirmar que o texto de Paulo Mendes Campos é argumentativo, uma vez que se caracteriza por:

  • A encadear fatos que envolvem personagens
  • B tentar convencer o leitor da validade de uma ideia
  • C caracterizar a composição de ambientes e de seres vivos
  • D oferecer instruções para o destinatário praticar uma ação

Em sua argumentação, o autor refere-se aos “pais" do Iluminismo e especificamente a Jean-Jacques Rousseau, com o propósito de:

  • A por causa da violência, questionar as bases e a existência da democracia moderna
  • B como confirmação de suas próprias hipóteses, apoiar-se na citação dessas autoridades
  • C em defesa da civilização, contrapor-se a ideias disseminadas por esse pensador
  • D com apoio em evidências, corroborar as teorias veiculadas durante o século XVIII