Questões de Concursos para Professor - Educação em Creche

Limpar Busca

Embora ______ 260 milhões de crianças no mundo que ainda não frequentem escolas, o acesso _______ educação tem crescido com certa velocidade. Segundo o Banco Mundial, ______ 53% de todas as crianças em países de média e baixa renda que sofrem de “pobreza de aprendizado”.


Em conformidade com a norma-padrão, as lacunas do enunciado devem ser preenchidas, correta e respetivamente, com

  • A existem ... a ... são
  • B existe ... a ... têm
  • C haja ... à ... é
  • D existam ... à ... há
  • E hajam ... à ... tem

As crianças são diferentes, e cada qual tem sua identidade própria, vive em famílias distintas, provém de comunidades étnicas, ambientes culturais e níveis econômicos diversos. Para aproveitar essa diversidade utilizando as brincadeiras, alguns professores dão sugestões que estão apresentadas a seguir. Assinale aquela que está de acordo com Brinquedos e brincadeiras de creches (BRASIL, 2012).

  • A Cibele planeja o faz-de-conta, simulando com as crianças um salão de cabeleireiro, momento em que, ao pentear o cabelo diante do espelho, as crianças têm consciência da cor de sua pele e do tipo de cabelo, oportunizando reconhecer as diferenças.
  • B Maitê propõe aos alunos uma definição científica do mundo físico ao brincar com eles na água e na terra, auxiliando-os a experimentar situações em que percebem esse mundo através de seus sentidos e ao reconhecer as diferenças ambientais.
  • C Carlos explora os jogos de tabuleiro, brincadeiras com regras que estimulam a competição, prática necessária de ser aprendida pelas crianças pequenas, em função de reconhecerem o ganhar ou perder, facilitando a compreensão das diferenças.
  • D Jonas desenvolve diversas brincadeiras tradicionais e folclóricas separando as crianças por sexo, tamanho e idade, de forma que elas possam participar ativamente com seus pares, uma vez que essa similaridade auxilia a convivência.
  • E Miriam espalha o jogo de encaixe no chão da sala para todas as crianças brincarem e, para evitar conflitos, distribui um punhado de pecinhas para cada criança, incentivando-as a brincarem sozinhas com as suas próprias peças.

Vários professores de uma creche iniciaram um trabalho voltado para a Pedagogia de Projetos. Para tanto, utilizaram como referência a obra de Deprá (2017). Tendo em vista o proposto pela autora, o professor que está desenvolvendo corretamente a etapa da “intenção” é

  • A Luís, que planeja as atividades principais, as estratégias, a coleta do material de pesquisa, a definição do tempo de duração do projeto, e como será o fechamento do estudo do mesmo, além de elaborar com os alunos a diagnose do projeto.
  • B Samira, que organiza e estabelece seus objetivos pensando nas necessidades de seus alunos, para posteriormente se instrumentalizar e problematizar o assunto, direcionando a curiosidade dos alunos para a montagem do projeto.
  • C Sandra, que pesquisa sobre o tema, objetivando encontrar respostas aos questionamentos anteriores (como descobrir). Tais atividades prestam-se a valorizar o esforço infantil, contribuindo para a formação do autoconceito positivo.
  • D Hélio, que realiza as atividades planejadas, sempre com a participação ativa dos alunos, pois eles são sujeitos da produção do saber e, afinal, ensinar não é transferir conhecimento, mas criar possibilidades para sua construção.
  • E Eduardo, que avalia os trabalhos que foram programados e desenvolvidos, dando sempre oportunidade ao aluno de verbalizar seus sentimentos, desse modo, ao retomar o processo, a turma constrói saberes e competências.

Considere a seguinte informação, divulgada em um jornal eletrônico, em setembro de 2019:


Dois em cada três jovens acreditam que internet aumenta bullying e amplia isolamento.

(https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,dois-em-cadatres-jovens-acreditam-que-internet-aumenta-bullyinge-amplia-isolamento,70003012751)


Com base nessa informação, é correto afirmar que o número de jovens que acreditam que internet aumenta o bullying e amplia isolamento corresponde, do numero número de jovens que não acreditam nisso,

  • A à metade.
  • B a dois terços.
  • C a três meios.
  • D ao dobro.
  • E a cinco meios.

Conforme Brinquedos e brincadeiras de creches (BRASIL, 2012), três anos é o auge da construção da identidade da criança, que já percebe como as pessoas diferenciam brinquedos de meninos e de meninas. Quando o menino não quer brincar de boneca e a menina de carrinho, por entenderem que não é brinquedo para eles, é necessário que o(a) professor(a)

  • A adote uma postura neutra sem qualquer tipo de intervenção, de forma a desfavorecer a atitude discriminatória das crianças.
  • B reforce tal atitude das crianças, visto que não é preconceituosa, de forma que possam construir sua própria identidade.
  • C dialogue com as crianças intervindo em seus posicionamentos, auxiliando-as na compreensão de que tal ato não convém.
  • D selecione os brinquedos que as crianças deverão usar, de acordo com a idade, tamanho e sexo dos pequenos.
  • E intervenha limitando os brinquedos oferecidos, ou seja, em um dia, apenas carrinhos e no outro, apenas bonecas.