Questões de CAU - Conselho de Arquitetura e Urbanismo (Arquitetura)

Limpar Busca

Em contraste com o transporte rodoviário predominante nos centros urbanos, os planejadores têm se dedicado a propostas que priorizam a mobilidade baseada em modais ativos. Além de reduzir a geração de poluentes, esses modais melhoram os índices de saúde a o tornar os exercícios físicos parte da rotina diária dos cidadãos. Considerando-se o projeto urbano sob a ótica dos modais ativos, é importante

  • A priorizar os pedestres nos cruzamentos, simplificando seus trajetos.
  • B evitar a presença de faixas de estacionamento junto às ciclofaixas e ciclovias.
  • C priorizar o projeto e especificação de elementos na escala urbana.
  • D planejar previamente o zoneamento das distintas funções urbanas.

O meio urbano é composto por uma combinação de elementos construídos e naturais que interagem com o ambiente, gerando distintas sensações de conforto e desconforto. No projeto urbano, ao considerar o conforto ambiental, deve-se levar em conta que

  • A a água cria microclimas favoráveis a partir da inércia térmica e evaporaç ão e apresenta baixa refletividade de ondas sonoras.
  • B os albedos das construções típicas de áreas urbanas costumam ser maiores do que os das construções de áreas rurais.
  • C uma grande densidade de edificações proporciona a aceleração do fluxo de ar em ár eas estreitas e redução do vento nas esquinas.
  • D a vegetação apresenta menor capacidade calorífica e menor condutibilidade térmica do que os materiais dos edifícios.

O crescimento e adensamento das cidades, associados a fenômenos de mudança de padrões climatológicos, tem gerado quadros de desabastecimento que trazem o risco de colapso dos sistemas urbanos, como exemplificado pela crise hídrica no Brasil – que atingiu níveis alarmantes a partir de 2014. No sentido de promover a sustentabilidade do consumo de recursos naturais, desenvolvem-se inovações técnicas e tecnológicas, legislação específica, incentivos institucionais e selos de qualidade aplicados aos projetos de construção e manutenção dos edifícios. Ao levar em conta a racionalização do consumo de água em um projeto de edificação, deve-se ter em mente que

  • A a concentração espacial de tubulações, associada ao aumento da quantidade de juntas hidráulicas, minimiza perdas físicas e facilita a manutenção do sistema.
  • B a instalação de componentes com tecnologias economizadoras nos pontos de consumo de água é indicada como estratégia para reduzir a perda de água por vazamento.
  • C o reuso de água em aplicações de contato direto com o usuário (classe 1) requer níveis de turbidez inferior a 5 e volume de coliformes fecais limitado a 200/100mL.
  • D a água cinza, por representar efluente doméstico que provém de bacia sanitária e pia de cozinha, não deve ser incluída nos sistemas de reuso de água.

Em climas quentes e úmidos, o investimento na infraestrutura de drenagem urbana é fundamental para reduzir transtornos e danos devidos à pluviosidade, além de diminuir os custos de manutenção da pavimentação. O projeto do sistema viário deve levar em conta não somente os fluxos de ponto a ponto, mas também as condições climáticas, topográficas e as soluções de drenagem. Durante as etapas de projeto destes sistemas, considera -se que

  • A pavimentos permeáveis são uma solução que pode ser aplicada em vias de alto tráfego para auxiliar a drenagem.
  • B declividades de vias maiores que 8% diminuem os custos de drenagem ao acelerar o processo de escoamento natural da água.
  • C vias com declividades menores que 2% requerem obras de drenagem mais extensivas, elevando os custos da instalação desta infraestrutura.
  • D bacias de estocagem de água auxiliam a drenagem, elevando, porém, os riscos de afogamento durante chuvas torrenciais.

A atuação do arquiteto e urbanista envolve o compartilhamento de funções e responsabilidades, tanto no momento do projeto, quanto em sua execução. A Lei Federal 12.378/2010 regulamenta o exercício da arquitetura e urbanismo, e discorre sobre a composição do acervo técnico profissional, a autoria e coautoria, e as alterações que podem ocorrer ao longo das diversas etapas que levam à concretização de um projeto. Tendo como base essa lei, considere as afirmativas abaixo.


I O arquiteto e urbanista é instado a acompanhar pessoalmente a implantação ou execução de um projeto ou trabalho de sua autoria, com a finalidade de averiguar a adequação da execução ao projeto ou a sua concepção original.

II Em caso de alteração de projeto não concebida pelo autor original, o projeto final terá como coautores o autor original e o autor do projeto de alteração, salvo decisão em contrário do primeiro, que mantém, assim, a autoria exclusiva do projeto.

III Quando uma atividade de projeto for exercida por mais de um arquiteto e urbanista e não sendo especificados diferentes níveis de responsabilidade, todos serão considerados indistintamente coautores e corresponsáveis.

IV O registro de projetos e trabalhos técnicos no CAU do ente da Federação em que o arquiteto e urbanista atua é condicionante para a comprovação de autoria ou participação deste e consequente inclusão da atividade no acervo técnico.


Dentre essas afirmações, estão corretas

  • A II e III.
  • B III e IV.
  • C I e II.
  • D I e IV.